sexta-feira, 10 de julho de 2020
Colunistas / Política
Tasso Franco

GALO, PERU, ZEBRA-VERDE, GALINHA E RAPOSA NA POLITICA

A bicharada tá solta
18/09/2012 às 18:01

Foto: Roslin University of Edinburg
Galinha-galo ginandromorfo metade penas brancas macho e metade penas escuras fêmea
   O Lobisomem de Serrinha já comentou neste site que a turma que frequenta o Boteco do Teco preparou um galo bem temperado para receber a presidente Dilma em recente visita que a chefe da Nação faria a Serrra, com o governador Wagner, para difundir o programa cirurgias de cataratas.

   A presidente não pode ir, infelizmente, sendo substituida pelo ministro Padilha, da Saúde. O "galego" não se zangou e fez a sua parte no Hospital Municipal da Serra.

   A turma do Boteco do Teco como já tinha preparado o galo com folhas aromáticas de dona Santa e os licores de dona Leda, na ausência de S. Exa. que receberia tal mimo devorou o penoso com uma grande de Brahma. 

    Se a presidente Dilma algum dia remarcar a viagem a Serra, segundo palavras do orador oficial da turma, Alirio Vermelho, "outro galo será preparado com todo carinho".

   Duas semans depois desse episódio, nosso editor de Politica, comentou sobre a disputa eleitoral em Salvador, muita gente "arrotando" que Neto ganharia no primeiro turno e lembrou que, galo que canta antes de hora dança; pois, galo não é peru que morre de véspera.

    Tanto isso é verdade que o galo é reverenciado no Natal com missa e o peru vai a panela.

   Depois surgiu a "zebra verde", segundo o Blog do Anderson, de Conquista, isso porque a campanha de Mão Santa, ex-deputado, está fazendo o maior sucesso justo porque ele se veste com uma camisa verde listrada parecendo uma zebra ecológica e estaria subindo nas pesquisas.

   Até lembramos que, em Salvador, tem-se o candidato (eterno) Bira do Jegue, o qual já foi Bira do Jegue zebra.

    Eis que, agora, em Camaçari surge mais dois personagens para animar a festa eleitoral, a raposa e a galinha. Ora, nas fábulas infantis e para adultos, raposa não toma conta de galinheiro porque é sopa no mel. Se tem uma coisa que raposa gosta é de galinha.

   Vai que o candidato Maurício de Tude, não se sabe porque cargas d'agua mistura raposa com galinha na política e está dando o maior rolo em Camaçari. 

    Pois dito, na noite passada sonhei com uns cavalos brancos rondando uma igreja e numa luta com Tifão. Depois sai voando. É isso, a politica tem dessas assombrações. (TF)

 
voltar