sexta-feira, 10 de julho de 2020
Colunistas / Política
Tasso Franco

ACM NETO MANTÉM ELEITORADO CATIVO EM 40% E SEGUE FIRME

Pelegrino não conseguiu desestabilizar a candidatura de ACM Neto
13/09/2012 às 20:02

Foto: Valter Pontes
A estratégia de atques de Pelegrino a Neto não desestabilizou sua candidatura
   A nova pesquisa Ibope divulgada hoje pela TV Bahia aponta um novo movimento do eleitorado em Salvador, mas, por ora, nada que modifique o quadro preferencial de ACM Neto (DEM), o qual oscilou de 40% para 39%; enquanto Nelson Pelegrino (PT) deu um saldo de 16% para 27%, um crescimento de 11%; Mário Kértész (PMDB) caiu de 8% para 6%; Márcio Marinho (PRB) desceu de 5% para 3%; Hamilton Assis (PSOL) saiu de 0% para 2%; e Da Luz, PRTB, se manteve com 1%.

   A novidade, se é que podemos dizer assim, é que, se as eleições fossem hoje haveria um segundo turno na capital baiana. Ainda assim, vale observar o seguinte: a estratégia de Pelegrino nos ataques a Neto no rádio e na televisão não surtiu efeito no sentido de abalar a confiança do seu eleitorado, embora tenha colocado o Democrata, em alguns situações de aperto, necessitando mudar um pouco o eixo de sua campanha midiática, associando Pelegrino a Wagner, especialmente nas áreas da saúde, educação e violência.

   Pelegrino, a rigor, cresceu no eleitorado de MK, onde conquistou 2%; mais 2% no eleitorado de Márcio Marinho; e mais 4% dos indecisos que passaram de 12% para 8%. Ou seja, Pelegrino ainda não conseguiu desestabilizar a candidatura Neto, mas, já produziu um efeito devastador na candidatura de MK, o qual alimentava a possibilidade de polarizar com Neto (e/ou chegar ao segundo), hipótese que, o Ibope aponta agora, diluiu.
 
   MK não tem mais como se aproximar de Pelegrino (a diferença são de 21% o que representa num eleitorado de 1.000.000 algo como 210.000 mil votos mudando) e o Ibope, agora deixa claro que, havendo segundo turno, isso se dará entre Neto x Pelegrino, diferente do que aconteceu em 2008 quando chegaram no final da campanha, emparelhados, Neto, JH e Pinheiro, dando Pinheiro x JH no segundo turno.

   É certo, também, que a partir de agora, com uma polarização maior entre Neto x Pelegrino, MK, Marinho, Hamilton e Da Luz passam a ser coadjuvantes do processo e também vão sofrer bastante para segurar esses percentuais que têm na atualidade.

   O eleitor, na medida em que o pleito se aproxima, não gosta de votar em quem se apresenta com chances bastante limitadas e essa migração se dará de forma quase espontânea sem que os candidatos tenham força para segurar seus votos.

   Outro dado interessante é que ACM Neto está com um eleitorado cristalizado, porém, não conseguiu avançar nem 1% junto aos indecisos, os quais eram 12% e agora são 8%, todo esse contingente se deslocando para Pelegrino.

   Também outro detalhe que deve ser analisado é que as performances de JH (apenas 4% de ótimo/bom) e Wagner (apenas 15% de ótimo/bom) não se alteraram. Então, os marketeiros que analisem esses caminhos.