sexta-feira, 03 de julho de 2020
Colunistas / Política
Tasso Franco

QUEM VAI GANHAR A ELEIÇÃO EM SALVADOR: GALO OU PERU?

Ninguém deve cantar de galo antes da hora
12/09/2012 às 20:01
Foto: FO
FHC sentou na cadeira antes da hora, em 1984, cantou de galo, e Jânio Quadros ganhou
   1. Muita gente tem me perguntado quem vai ganhar as eleições para prefeito de Salvador. Ora, se soubesse isso com tamanha antecedência não estaria no jornalismo e sim com uma tenda de vidente na Praça do Iguatemi, ganhando bom capilé.

   2. Eleição só se ganha depois de abertas as urnas, como se diz no popular, pois, hoje, com as eletrônicas não abre-se nada e o resultado é quase imediato, após o encerramento das votações, em 7 de outubro, por volta das 20h.



   3. Há, portanto, ainda muito tempo de campanha e o eleitorado só se define com mais clareza na semana da eleição, ainda que as pesquisas de opinião até agora divulgadas mostrem tendências. Mas, isso não significa que alguém esteja eleito de forma antecipada. O que vale para hoje pode ser modificado em mais 15 dias e aí o quadro se altera. Eleitor não é igual a peru de Natal que morre de véspera.



   4. Acho que todo mundo conhece essa história do peru. Diz-se, na brincadeira, que o peru era ateu e caiu na faca para a ceia do Natal; e o galo, crente em Deus, tanto que cantou no nascimento de Jesus e, até hoje, é representado em pompa na Missa do Galo.


   5. No sentido literal, o peru é abatido antes do Natal, para ser previamente preparado. Faz parte da tradicional ceia de Natal. No sentido figurado, aplica-se a quem desiste antes de começar uma atividade, a quem se manifesta derrotado antes mesmo do momento da luta, do embate.

   6. Em outras palavras, significa dizer que ninguém deve abandonar atividade, mesmo que lhe pareça com dificuldades intransponíveis. Quem desiste de algo faz o mesmo papel do peru: morre na véspera, para a alegria dos demais.



   7. Na eleição é assim: ninguém pode cantar de galo antes da hora, tem que esperar a meia noite do Natal eleitoral (7 de outubro); nem fazer o papel de peru, jogar a toalha, esmorecer, dá sinais de derrotado. Mesmo que o camarada esteja lá embaixo nas pesquisas tem que ser otimista. E o camarada que está lá em cima também. Agora, nenhum dos dois pode cantar de galo.


   8. Exemplos existem aos montes de candidatos que deram a virada na semana da eleição. É só lembrar do prefeito João Henrique na sua segunda eleição. Partiu igual ao Atlético Goianiense, lá em baixo na tabela, e depois deu uma de Timão disputando o segundo turno com Pinheiro e vencendo as eleições. Na prima, se dizia que o segundo turno seria entre Imbassahy x Neto; e deu JH x Pinheiro.


   9. Lembram da eleição para prefeito de São Paulo, 1984, quando FHC se sentou na cadeira de prefeito antes da hora? Tirou fotos, fez blage, etc! Pois bem, o eleito foi Jânio Quadros. Esse fato se tornou emblemático e ninguém o repete, mesmo quem está com 90% de intenções de votos nas pesquisas.

   10. Então, meu caro, não tenho como responder a pergunta de quem vai ganhar as eleições. Posso garantir o seguinte: quem vai ganhar tem que trabalhar até o último minuto antes de zerar as urnas eletrônicas. Nem pode jogar a tolha antes da hora (peru); nem pode cocoricar (galo) antecipadamente.  



  
 
voltar