sexta-feira, 10 de julho de 2020
Colunistas / Política
Tasso Franco

NETO PODE GANHAR NO 1º TURNO SE PELEGRINO NÃO DECOLAR

Time de Lula ainda não decolou
24/08/2012 às 20:01
A pesquisa Ibope/TV Bahia para a capital tem campo nos primórdios de veiculação do programa eleitoral gratuito no rádio e na tv. De toda sorte, dá uma idéia de que o candidato do PT, Nelson Pelegrino, ainda vai crescer um pouco mais afastando uma hipótese de ser ultrapassado pelo candidato do PMDB, MK, o qual empacou em 8% e não deu sinais de reação nesses últimos 20 dias restando-lhe, agora, somente o marketing politico na TV para tentar melhorar sua performance.

  Acontece que marketing por marketing, Pelegrino também tem e até com tempo maior e mais coisas para mostrar do que MK, ainda com a possibilidade, como já vem fazendo, de atacar ACM Neto. A questão é que, o modelo que está sendo usado para atingir a popularidade de Neto colando-o a João Henrique não parece surtir efeito, pois, a peça é grosseira e causa até uma certa repulsa àqueles que já se definiram por Neto.

  Veja que há um número ainda menor de indecisos (passou de 11% para 10%) o que denota uma cristalização do eleitortado. Ou seja, o eleitor já se definiu por seu candidato e a margem de manobra para os segundo e terceiro colocados chegarem junto ao primeiro fica mais estreita. Além do que, quem está na frente sempre consegue alguns pontos dos indecisos na expectativa de quem vai ser o vencedor.

  O indeciso, historicamente, gosta de votar naquele que será o vencedor. Quanto aos brancos e nulos, tb historicamente, os pleitos de Salvador registram faixas que vão de 20% a 22%. Isso significa dizer que, se eleições fossem hoje ACM Neto teria chances de vencer o pleito no primeiro turno. 

  Outro detalhe é o seguinte: como a campanha de Márcio Marinho estão muito mal conduzida do ponto de vista do marketing e do corpo-a-corpo com o eleitorado pode haver uma tendência, como já registrada nesta última pesquisa, de seu percentual migrar ainda mais. Se isso acontecer com maior intensidade, em tese, Pelegrino poderia ser beneficiado, porém, não alteraria o número global.  

  Outra questão crucial é a baixa avaliação do governador Wagner em Salvador com apenas 19% de ótimo bom; e 39% de ruim e péssimo. Restam pouco mais de 40 dias para o pleito e o tempo é curto para que Wagner melhore sua performance junto ao eleitorado. Ainda daria tempo? Bem, duvida-se. Ainda assim, Wagner já entabulou uma agenda positiva na capital (e no estado) e engrena uma terceira marcha na segunda com uma visita a Arena Fonte Nova e vários atletas.

  Mas, o governo carece de obras para inaugurar. Só tem obras para visitar e outras a prometer. Se isso sensibilizar o eleitorado, tudo bem. Senão, adeus. No básico, que pesa mais para o povão, estão os cinco itens costumeiros: educação, saúde, segurança, saneamento, transporte. 

   O prefeito JH está no chão. Tem uma rejeição estupenda em termos de avaliação de 67%. Mas, JH é de todos, de Pelegrino, ACM Neto, PMDB, PRB. E, não se sabe exatamente porque, uma vez que Pelegrino nunca foi gestor da capital, sua rejeição junto ao eleitorado é a maior com 30%, seguido de Da Luz com 29%, MK e Neto cada qual com 25% e Marinho com 17%.

   Com esses dados expostos, ao que tudo indica, a partir da próxima semana a campanha vai esquentar ainda mais.