sexta-feira, 03 de julho de 2020
Colunistas / Política
Tasso Franco

JOÃO INSTALA "TROPA DE CHOQUE" E ADOTA "BATEU LEVOU" VISANDO 2014

JH JÁ COMEÇOU SUA CAMPANHA A GOVERNADOR DA BAHIA
25/07/2012 às 20:02
MIUDINHAS GLOBAIS:

    1. O prefeito de Salvador, João Henrique, montou uma "tropa de choque" constituida por equipe de marketing político, advogados, jornalistas, assessores, economistas, consutores, e vai, momentaneamento, deixar de lado o "João paz e amor" e adotar a postura de "João bateu levou", pelo menos até passar as eleições municipais. Depois, essa mesma equipe, em 5 salas no Tomé de Souza, prédio da Av ACM, segue na orientação de sua campanha a governador, em 2014.

    2. A vereadora Olivia Santana (PCdoB), a senadora Lidice da Mata (PSB) e o PT já experimentaram essa nova fase de JH ao fazer criticas a sua gestão e serem classificadas de "cultivar sentimentos negativos", a primeira; merecer "reflexão" de pensamentos, a segunda; e ao PT direcionado a Wagner, dizer que paga bem aos professores municipais sem greve.

   3. O curioso dessa história é que JH embora seja mal avaliado em sua administração, vide DataFolha que o coloca em penúltimo lugar entre algumas capitais pesquisadas, é um político de mão cheia, e tem em mãos argumentos contra quase todos os partidos que venham a criticá-lo porque integrantes desses partidos fizeram parte dos seus governos. Em 2004, contra César Borges, PFL, venceu com apoio do PT,PSB, PSDB, PDT, etc e estes foram participar das "tetas governamentais".

   4. Em 2008, na sua reeleição, atribui-se como preponderante o apoio do PMDB de Geddel e Lúcio no primeiro turno; e no segundo turno o apoio do DEM de ACM Neto desta feita contra PT e PSB. Então será difícil para quaisquer desses partidos fazerem criticas. É só lembrar que a Secretaria de Saúde na primeira gestão JH foi indicação do PT, de Nelson Pelegrino, com Luis Eugênio; e Paulo Mascarenhas, do PSB, foi secretário do Emprego e Renda quando da época do rompimento deste partido com JH, em 2008.

   5. E mais: é pública e notória a briga, considerada pelo PMDB uma traição, entre Geddel e João na eleição de 2010, quando JH não apoiou Geddel para governador; e que Olivia Santana foi secretária de Educação da Prefeitura e fazia rasgados elogios a JH, assim como o PSDB nos primórdios de 2005, PDT, PSC e outros de menor quilate faziam o mesmo.

   6. Então, ficará difícil criticar JH porque ele dará o troco, na tampa., E mais: seu advogado na área eleitoral, Ademir Ismerim, disse ao BJÁ que vai pedir direito de resposta a qualquer crítica descabida que for feita a JH nos horários eleitorais dos partidos na TV e no Rádio que começam dia 20 de agosto.
 
   7. Ao que tudo indica, explicitamente, JH não dará apoio a nenhum dos 5 candidatos a prefeito. Mas, óbvio que está dando, digamos assim, uma "mãozinha" ou "mãozona" a ACM Neto, por gratidão de 2008, e porque sabe que este é o único que poderá apoiar sua candidatur a governador, em 2014. O PT já tem vários nomes e não lhe dará legenda nem apoio; o PMDB já tem Geddel; PSDB não existe; DEM com Aleluia é brincadeira! PDT com Marcelo Nilo depende de Wagner; PSD, de Otto Alencar, esse, talvez, se tiver de Wagner seria o maior adversário de JH.

   8. Daí que, num segundo turno na capital, se existir, JH tem tudo para apoiar ACM Neto, se este chegar lá. Hoje, Léo Prates, Cláudio Tinoco, Nelsinho Fontes e a turma do PTN está na "mãozinha" ou "mãozona" e João Bacelar, secretário de Educação, é ACM Neto até debaixo d'água. E Bacelar é PTN JH e a rede PTN no Estado (Irecê, Camaçari, etc) é JH 2014. Tá vendo como tudo se encaixa.

   9. Esse "João bateu levou" não é brincadeira não. Bem, depois da campanha, ele volta a "João paz e amor".