segunda-feira, 18 de outubro de 2021
Colunistas / Miudinhas
Tasso Franco

CIDADE DO SALVADOR VAI VOLTANDO AO NORMAL COM QUEDA NA PANDEMIA

Dos 1.161.932 casos confirmados desde o início da pandemia, 1.125.967 já são considerados recuperados, 11.055 encontram-se ativos e 24.910 tiveram óbito confirmado.
13/07/2021 às 09:09
  1. Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 2.513 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,2%) e 2.904 recuperados (+0,3%). O boletim epidemiológico desta terça-feira (13) também registra 76 óbitos. Apesar de as mortes terem ocorrido em diversas datas, a confirmação e registro foram realizados hoje. Dos 1.161.932 casos confirmados desde o início da pandemia, 1.125.967 já são considerados recuperados, 11.055 encontram-se ativos e 24.910 tiveram óbito confirmado.

2. O boletim epidemiológico contabiliza ainda 1.401.629 casos descartados e 231.316 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica em Saúde da Bahia (Divep-BA), em conjunto com as vigilâncias municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas desta terça-feira. Na Bahia, 51.349 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

3. O número total de óbitos por Covid-19 na Bahia desde o início da pandemia é de 24.910, representando uma letalidade de 2,14%. Dentre os óbitos, 55,77% ocorreram no sexo masculino e 44,23% no sexo feminino. Em relação ao quesito raça e cor, 54,95% corresponderam a parda, seguidos por branca com 22,42%, preta com 15,34%, amarela com 0,41%, indígena com 0,14% e não há informação em 6,74% dos óbitos. O percentual de casos com comorbidade foi de 60,16%, com maior percentual de doenças cardíacas e crônicas (72,71%).

4. A existência de registros tardios e/ou acúmulo de casos deve-se a sobrecarga das equipes de investigação, pois há doenças de notificação compulsória para além da Covid-19. Outro motivo é o aprofundamento das investigações epidemiológicas por parte das vigilâncias municipais e estadual a fim de evitar distorções ou equívocos, como desconsiderar a causa do óbito um traumatismo craniano ou um câncer em estágio terminal, ainda que a pessoa esteja infectada pelo coronavírus.
                                                             *****
5. Com a reabertura dos parques municipais, os soteropolitanos estão aproveitando ainda de forma tímida os espaços públicos da cidade. Liberados para funcionar de segunda a sábado, os locais oferecem várias opções de lazer, à disposição de turistas e soteropolitanos.

6. A titular da Secretaria de Sustentabilidade e Resiliência (Secis), Edna Ferreira, responsável pela administração dos parques, avaliou o movimento como atípico, nos primeiros dias de reabertura. ”É normal que o fluxo ainda esteja pequeno”, afirmou.

7. No parque Lagoa dos Dinossauros, no Stiep, algumas pessoas apareceram de última hora, achando que teriam acesso sem agendar previamente. Com a regra de agendamento mantida, a procura foi maior no segundo dia, com 900 pessoas cadastradas para a visita, nesta terça-feira (13).

8. A movimentação ficou por conta das crianças, na expectativa de conhecer de perto os dinossauros que povoam o espaço. Prestes a completar três anos, o pequeno Rafael estava vestido a caráter, para uma sessão de fotos junto com a mãe, Roberta Canário. Ele, que é fã de dinossauros, vai comemorar aniversário com o tema. “Estávamos na expectativa pela reabertura do cenário para as fotos da festa”, explicou a mãe.

 9. Treinamento – Por conta do agendamento necessário para acessar a Lagoa dos Dinossauros, os colaboradores do espaço receberam, no último sábado (10), treinamento para operar o sistema de agendamento eletrônico de visita ao espaço.  O treinamento é uma parceria da Secis com a Secretaria Municipal de Inovação e Tecnologia (Semit). O agendamento pode ser feito no site lagoadosdinossauros.salvador.ba.gov.br. O limite de agendamento é de 200 pessoas, por cada horário disponível, totalizando 2.200 visitantes por dia.

 10. No Parque dos Ventos, na Boca do Rio, assim como nos demais, todos os protocolos estavam em vigor, incluindo a aferição de temperatura e a disponibilização de álcool em gel. A administradora Verônica Farias, de 40 anos, mora no Jardim Armação e aproveitou para levar o filho Gael, de três anos, para curtir o parque já no primeiro dia de reabertura. 

11. “Foi bem tranquilo, uma forma de estar ao ar livre de maneira segura, combinando com a prática esportiva. Muito bom retomar os passeios em segurança”, declarou.

 12. uncionamento – Os parques dos Ventos (Boca do Rio) e da Cidade (Itaigara) funcionam de segunda a sábado, das 5h às 22h. No Stiep, o Parque da Lagoa dos Pássaros abre de segunda a sábado, das 5h às 19h. Já o acesso ao Parque da Lagoa dos Dinossauros é das 8h às 17h, também de segunda a sábado.

13. O Jardim Botânico, em São Marcos, abre de segunda a sexta, das 8h às 17h. Já o Parque das Dunas, em Praia do Flamengo, funciona de 8h às 17h, de segunda a sexta, e no sábado, de 8h às 13h. O acesso ao local deve ser agendado através do telefone (71) 98888-0108, ou pelo perfil do Instagram @parquedasdunassalvador.

14. Protocolos – Os espaços estão operando com protocolos específicos, publicados em edição extra do Diário Oficial do Município (DOM), no dia 8 passado. Dentre as medidas estão a necessidade de designação de acessos específicos para entrada e saída e, sempre que possível, fluxos únicos de movimentação dos visitantes, a fim de evitar aglomerações e o cruzamento de pessoas.

 15. O uso de máscara é obrigatório para acesso e durante toda a permanência nos parques, inclusive durante a realização de atividades físicas. Deve ser disponibilizado álcool a 70% nas entradas dos parques, nas entradas dos sanitários e nas áreas de maior circulação de pessoas.

 16. Os equipamentos de uso compartilhado, academias de ginástica e anfiteatros devem permanecer fechados. São permitidas atividades esportivas, desde que todos os participantes usem máscaras, durante a permanência no local, e seja mantido o distanciamento mínimo de 1,5m entre as pessoas.

  15. Não são liberadas atividades que possam gerar aglomerações, como piqueniques, rodas de conversa, shows, grupos escolares ou religiosos e similares. Em áreas gramadas, os lugares permitidos para utilização têm que estar demarcados, para garantir o distanciamento mínimo.

   16. Também está proibido o uso de bebedouros nos espaços comuns dos parques. O acesso de veículos só será permitido para passageiros e motoristas com deficiência ou mobilidade reduzida, para atividades de manutenção e segurança, ou para o desempenho de atividades administrativas.