segunda-feira, 16 de setembro de 2019
Colunistas / Miudinhas
Tasso Franco

MAIS IMPOSTOS! Governo estuda lançar nova CPMF com alíquota de R$0,40

O saudoso deputado Pedro Irujo certa ocasião fez uma campanha em que defendia "Mais empregos; menos impostos"
10/09/2019 às 20:12
  MIUDINHAS GLOBAIS:

   1. Entra governo e sai governo e a toada é a mesma para 'salvar' o Brasil: mais impostos no lombo das pessoas. Segundo o Globo.com, o secretário-adjunto da Receita Federal, Marcelo de Sousa Silva, apresentou nesta terça-feira (10) as alíquotas em estudo pelo governo federal do imposto sobre pagamentos, que vem sendo comparado à antiga Contribuição Provisória Sobre Movimentação Financeira (CPMF).

   2. Segundo ele, cada saque e cada depósito em dinheiro deverá ser taxado com uma alíquota inicial de 0,40%. Cada operação de débito e de crédito deve ser submetida a uma alíquota de 0,20%. A proposta foi apresentada durante o Fórum Nacional Tributário, organizado pelo SIndifisco Nacional.

   3. A ideia da equipe econômica é que a contribuição sobre pagamentos substitua gradativamente a contribuição patronal sobre salários (folha de pagamentos), a Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido (CSLL) e, também, o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

   4. "É uma alíquota de 0,20% no débito e crédito para poder desonerar parcialmente a folha em algo equivalente a um FGTS [7%]", disse o secretário-adjunto ao final do evento.

   5. A área econômica do governo avaliou que a tributação atual sobre a folha de pagamentos (patrão e empregado juntos), que soma atualmente 43,5%, é “muito acima” de outros países da região, como México (19,7%) e Chile (7%), representando um “desestímulo à contratação de mão de obra”.

   6. Por outro lado, o secretário-adjunto da Receita Federal afirmou que a reforma proposta pelo governo deve propor benefícios como ampliação da faixa de isenção do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF), e o reembolso de impostos às pessoas com baixa renda.

   7. A reforma tributária a ser apresentada pelo governo também deve prever a unificação de impostos. O novo imposto deve se chamar Contribuição Social sobre Bens e Serviços (CBS) e unificará PIS, COFINS, CIDE e IPI.

   8. Pela proposta divulgada nesta terça pela Receita Federal, a unificação seria gradual e começaria pela unificação de PIS e COFINS. O novo tributo teria um regime não cumulativo por valor agregado com uma alíquota única de 11%. A CIDE e o IPI seriam incorporados posteriormente.
                                                                  *******
  9. Pergunta socrática: porque até agora o governo não fechou a TV Brasil que tem audiência zero e consume milhões de reais ano?

   10. A balança comercial brasileira teve superávit de US$ 1,539 bilhão, na primeira semana de setembro de 2019, com cinco dias úteis. Segundo dados divulgados nesta segunda-feira (9/9) pela Secretaria Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia (Secint/ME), as exportações no período chegaram a US$ 4,811 bilhões, enquanto as importações foram de US$ 3,272 bilhões. No acumulado do ano, as exportações somam US$ 153,450 bilhões e as importações, US$ 120,368 bilhões, com saldo positivo de US$ 33,082 bilhões.

   11. Confira os dados completos da balança comercial: http://www.mdic.gov.br/index.php/comercio-exterior/estatisticas-de-comercio-exterior/balanca-comercial-brasileira-semanal

   12. Na comparação com agosto de 2019, pela média diária, houve crescimento de 12,9% nas exportações, subindo de US$ 852,3 milhões para US$ 962,1 milhões. Os destaques foram os aumentos de 17,8% na venda de produtos básicos, de US$ 468,8 milhões para US$ 552,1 milhões; de 14,6% dos semimanufaturados, de US$ 104,7 milhões para US$ 120 milhões; e de 4% dos manufaturados, de US$ 278,9 milhões para US$ 290 milhões.

   13. Já na comparação da média diária de US$ 962,1 milhões até a primeira semana de setembro deste ano com a de setembro de 2018 (US$ 1,010 bilhão), as vendas diminuíram 4,7%. O recuo foi motivado principalmente pela redução de 17,9% nos produtos semimanufaturados, de US$ 146,1 milhões para US$ 120 milhões, e de 11,8% nos manufaturados, de US$ 329 milhões para US$ 290 milhões.

   14. O vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, voltou ao Twitter nesta terça-feira para tentar explicar sua declaração, feita na véspera - de que não é possível se conseguir por vias democráticas a transformação que o Brasil quer na velocidade desejada - e garantiu que sua fala foi apenas uma "justificativa aos que cobram mudanças urgentes".

   15. "O que falei: por vias democráticas as coisas não mudam rapidamente. É um fato. Uma justificativa aos que cobram mudanças urgentes. O que jornalistas espalham: Carlos Bolsonaro defende ditadura. CANALHAS!", escreveu nesta terça.

   16. O texto inicial de Carlos foi interpretado no meio político como uma defesa da ditadura ou de um golpe e recebeu críticas variadas.

   17. "Por vias democráticas a transformação que o Brasil quer não acontecerá na velocidade que almejamos... e se isso acontecer. Só vejo todo dia a roda girando em torno do próprio eixo e os que sempre nos dominaram continuam nos dominando de jeitos diferentes!", escreveu o vereador na segunda-feira.

   18. Na manhã desta terça-feira (10), o governador Rui Costa recebeu um grupo de empresários, liderado pelo ex-piloto de Fórmula 1, Rubens Barrichello, para discutir a implantação de um complexo de automobilismo no entorno da Arena Fonte Nova.

   19. Durante o encontro, que ocorreu na Governadoria, em Salvador, foi assinada uma carta de intenções para a construção do empreendimento, que prevê um kartódromo com potencial para sediar competições internacionais, um museu da história do automobilismo, com objetos utilizados por Rubinho – veículos, capacetes, troféus e macacões –, além de centro comercial.

   20. Também presente na reunião, o secretário estadual do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), Davidson Magalhães, explicou que, em até 120 dias, serão iniciados os estudos de viabilidade econômica para a implantação do complexo, no mesmo modelo da concessão da Arena Fonte Nova. 

   21. “Estamos abertos a receber, com muita alegria, a sugestão proposta pelos próprios empresários. Essa é a oportunidade da Bahia criar mais um empreendimento que atrai turistas e gera emprego e renda para a população. O local é privilegiado pela mobilidade urbana, e o acesso é fácil por meio do metrô”, ressaltou.