quinta-feira, 17 de outubro de 2019
Colunistas / Miudinhas
Tasso Franco

VEREADORES VÃO PRESTAR SOLIDARIEDADE AO REITOR DA UFBA JOÃO CARLOS

Ditadura venezuelana mata 4 pessoas e fere centenas de pessoas nos conflitos na Venezuela
02/05/2019 às 09:59
MIUDINHAS GLOBAIS:

1. A Câmara Municipal de Salvador (CMS), numa ação sugerida pela ouvidora-geral, vereadora Aladilce Souza (PCdoB), fará na próxima terça-feira (7), às 9h30min, uma visita oficial à Universidade Federal da Bahia (Ufba). Os vereadores vão prestar solidariedade ao reitor João Carlos Salles pelo corte de 30% da verba federal, anunciado pelo Ministério da Educação. 

2. O presidente da Casa, vereador Geraldo Júnior (SD), parabenizou Aladilce pela iniciativa e reforçou a importância da ida de todos os parlamentares à universidade.

3. “Considero importante a nossa participação nessa ação como forma apoiar e prestar solidariedade ao reitor João Carlos Salles e a toda comunidade da Ufba. Convido todos os vereadores para esse importante ato, seguindo a nossa disposição de protagonizarmos juntos as ações da Casa”, destacou o presidente.

4. Líder do PT na Câmara Municipal, a vereadora Marta Rodrigues classificou como “estapafúrdia e antidemocrática” a decisão do Ministério da Educação de cortar 30% do orçamento da Universidade Federal da Bahia (Ufba) por considerar que a instituição promove “balbúrdia”. Para a legisladora, a notícia é estarrecedora.

4. Segundo Marta, que já estudou na instituição e atuou como conselheira universitária, todo o corpo docente e discente precisa se manifestar veementemente contra essa corte e contra a declaração dada pelo atual ministro da Educação, Abraham Weintraub. 

5. “Eu já estudei na Ufba, meu irmão estudou, meus filhos estudaram. É natural que instâncias públicas estejam sujeitas a corte, em períodos de crise principalmente, mas com esse tipo de justificativa?  Trata-se nitidamente de perseguição política, pelo fato da Ufba se tratar de uma instituição que preserva a democracia em seu ambiente acadêmico”, declarou.

6. O deputado estadual Jacó (PT) protocolou nesta quinta-feira (2) Projeto de Resolução na Assembleia Legislativa da Bahia que concede a Medalha do Mérito 2 de Julho ao reitor da Universidade Federal da Bahia (Ufba), João Carlos Salles. Caso aprovada, a mais alta honraria da Casa será entregue em sessão especial, em data e horário a serem estabelecidos em comum acordo com a Mesa Diretora da Alba.

7. No último dia 30, o parlamentar manifestou-se em sessão plenária na Alba contra os cortes de 30% no orçamento da Ufba, medida que o Ministério da Educação atribui à "balbúrdia" dentro dos seus campi e ao "baixo desempenho acadêmico". 

8. "É um caso de perseguição política a quem mais se esforça e dialoga com a população e a resistência. E também ao reitor, comprometido com os movimentos sociais, que abriu a Ufba para o povo, se colocou contra o golpe e ascensão do conservadorismo e articulou com outros reitores a defesa da universidade pública", disse Jacó.

9. Em sua proposição, o deputado Jacó reprisa a biografia de João Carlos Salles Pires da Silva, nascido em 12 de maio de 1962, em Cachoeira, a mudança para Salvador em 1975, Colégio 2 de Julho, uma nova vida e um ambiente de contracultura, "logo temperado de macrobiótica e marxismo, com bastante leitura e muita militância política".
                                                                       ****
10. Os riscos para o saneamento básico com a aprovação da Medida Provisória 868/2018 e a proposta de Parceria Público-Privada para a Embasa foram discutidos, nesta quinta-feira (02), em audiência pública na Assembleia Legislativa da Bahia.

11.  A atividade foi proposta pelo deputado estadual Marcelino Galo, a Frente Parlamentar Ambientalista da Bahia, o Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente no Estado da Bahia (Sindae) e Observatório do Saneamento Básico – Bahia.

12. Em sua fala, Marcelino Galo reiterou que o acesso ao saneamento básico é um direito humano fundamental, que influencia na qualidade de vida da população. “No Brasil, 55% do esgoto produzido são despejados diretamente na natureza. Uma situação que gera grandes riscos à saúde das pessoas e também consequências para o meio ambiente. 

13. Privatizar não é o melhor caminho para resolver essas questões. Os países europeus, que optaram pela privatização, agora estão tentando estatizar o sistema, porque não deu o resultado que esperavam. O saneamento básico precisa de investimentos e melhorias, mas isso deve acontecer a partir de outras alternativas, que não a concessão”.

14. A audiência contou com a presença de professores, funcionários da Embasa, associados ao Sindae, deputados estaduais e federais e sociedade civil. O professor da UFBA, Luiz Roberto Moraes, também criticou a possibilidade de privatização dos serviços de saneamento básico. “A água é um bem essencial e não pode ser tratada como mercadoria. Temos estudos que trazem opções muito mais eficazes para os problemas do saneamento”.

15.  Um tribunal de Caracas ordenou na quinta-feira a captura do líder da oposição venezuelana Leopoldo López, que está na residência do embaixador espanhol Jesús Silva, depois de ter traído a prisão domiciliar na terça-feira.

16. O embaixador dos EUA junto à Organização dos Estados Americanos (OEA), Carlos Trujillo, revelou quinta-feira que vários países estão a preparar uma resolução condenando a "interferência" na Venezuela dos Governos de Cuba, China e Rússia apoiam o presidente venezuelano Nicolas Maduro.

17. Vários países querem condenar na OEA a "interferência" de Cuba na Venezuela
O Conselho Permanente da OEA na quinta-feira realizou uma reunião extraordinária para discutir "o papel dos actores externos na Venezuela", em meio ao novo pico de tensão vive esta semana o país onde o líder da oposição Juan Guaidó liderou uma revolta de curta duração militar

18. Em declarações à imprensa, Trujillo sentiu que a reunião de hoje foi um "primeiro passo para aumentar a pressão multilateral" e disse que "não é ir a uma resolução condenando as ações da Rússia, Cuba e China na região , mais sobre o assunto da Venezuela ".

10. O diplomata norte-americano se recusou a especificar quando será apresentada a resolução, um instrumento que serve para determinar a posição da OEA sobre um assunto e pode ter consequências sobre a política externa das nações que o subscrevem.

20. Perguntado se os EUA Será um dos países que apresentar esta iniciativa, apenas respondeu "dependendo da resolução" e disse que ainda há trabalho a ser feito.
                                   *****