quinta-feira, 14 de novembro de 2019
Colunistas / Miudinhas
Tasso Franco

DIFUNDE-SE ONDA DE QUE O CARNAVAL DE SALVADOR VIROU PARADA GAY

A vereadora Marta Rodrigues (PT) criticou o aumento dos trios no bloco Mudança do Garcia. “Senti que havia muitos trios e isso descaracterizou um pouco a Mudança"
04/03/2019 às 19:37
MIUDINHAS GLOBAIS:

   1. Veja como o turismo na Bahia ainda é amador com dirigentes de órgãos públicos nomeados por indicações políticas e sem conhecimento pleno do segmento. Está a difundir-se como uma grande coisa que a rede hoteleira de Salvador estaria entre 97% a 100% dos seus leitos ocupados, o mesmo acontecendo em Porto Seguro, Ilhéus e na Chapada Diamantina. Ora bolas, no caso de Salvador, o Carnaval é a 'galinha dos ovos de ouro' do turismo mambembe local e, óbvio, que a rede hoteleira tem ocupação plena. Aí, divulga-se esse fato como um grande feito.

   2. Nos países com turismo profissional as redes hoteleiras têm ocupações altas em todas as temporadas e ninguém fica a divulgar que no réveillon de Londres ou de Paris os hotéis estão lotados; que na semana santa da Espanha os hotéis estão com lotação plena. O que a Bahia tem que mudar não é somente a divulgação sazonal de uma ocupação hoteleira, mas, todo o seu turismo para um movimento mais profissional lembrando que a cidade do Salvador está sem um centro de convenções há mais de dois. Que a cidade do Salvador, portão de entrada do turismo no estado, sequer tem um calendário fixo de eventos.

   3. É só vê o que acontece na semana santa na capital que tem o maior número de igrejas católicas do país: a cidade fica vazia porque não existem atrativos para que as pessoas venham para a capital baiana. E os soteropolitanos vão para o interior, para o exterior ou para Pernambuco e Minas Gerais. Na Espanha, hoje, para algumas cidades, já está dificil encontrar uma vaga de hotel na semana santa. Por que? Porque há ujma organização que está estruturada há anos.

   4. Neste Carnaval de Salvador também está a difundir-se na rádio boca-a-boca e nas redes sociais que o Momo está mais parecendo uma parada gay do que festejos carnavalescos. É preciso tem atenção especial com essa 'onda' porque já estamos perdendo artistas e espaços para os carnavais de rua do Rio de Janeiro e São Paulo, se repente matamos nosssa "galinha dos ovos de ouro".
                                                                             *****
    4. Durante o período carnavalesco, a Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador) intensifica as blitze de alcoolemia para inibir o uso de álcool por condutores que prestam serviço durante a festa. Cerca de 400 motoristas ligados a secretarias e órgãos municipais envolvidas na Operação Carnaval passam pelo teste do bafômetro diariamente. Até o início da tarde desta segunda-feira (4), foram realizados 1.185 testes.

   5. O coordenador responsável pela operação, Francisco Cláudio Mangieri, explicou que a iniciativa ocorre impreterivelmente todos os anos e que é uma segurança não apenas para os motoristas, mas também para a população.

   6.  “Estamos sempre promovendo essa ação durante o Carnaval porque é uma forma de zelar pela integridade dos cidadãos nesse período. A gente sempre alerta aos motoristas que, se eles se colocaram à disposição para trabalhar, precisam renunciar ao uso do álcool, pois não combina com direção”, frisou.

   7. Em quatro dias de atuação no carnaval, as equipes da Vigilância Sanitária (VISA) da Prefeitura realizaram 3.907 inspeções, 337 re-inspeções e 157 fiscalizações em estabelecimentos localizados nos circuitos Dodô, Osmar e Batatinha.

   8. As ações nesse período são direcionadas a ambulantes, estruturas provisórias (camarotes e balcões de alimentação) e comércios formal e informal de alimentos, visando prevenir que a população contraia doenças através do consumo de produtos e serviços em desacordo com as normas sanitárias vigentes.

   9. Neste domingo houve apreensão de 58 quilos de alimentos variados em um estabelecimento comercial, próximo ao Campo Grande. Carnes, saladas, queijos, comida baiana, peixes foram descartados por acondicionamento incorreto, principalmente.

   10. Vale ressaltar que a VISA presta ainda, o serviço de orientação aos profissionais para que não sejam cometidas irregularidades, minimizando assim, o percentual de autos de infrações, notificações e interdições no período carnavalesco

   11.Quem entra no Camarote Expresso 2222 já sente o inconfundível aroma da Avatim criado exclusivamente para o espaço. A fragrância para interiores, que foi batizada de Expresso 2222, já é marca registrada do camarote da família Gil há cinco anos e combina notas de bergamota, lavanda e âmbar. 

   12. Além disso, a Avatim também montou o SPA Avatim, com profissionais que oferecem aos convidados massagens relaxantes e ofurô para os pés. Nessa área estão sendo realizadas ações com influenciadores digitais, que promovem uma entrada relâmpago no Instagram para mostrar um pouco do funcionamento do SPA dentro do camarote. 

   13. Até o momento, os influenciadores que já realizaram a ativação foram Flor Gil, dez anos, filha de Bela Gil; Nathalia Costa, atriz mirim que participou da novela “Êta mundo bom”, da Rede Globo,; a jornalista e humorista Maíra Azevedo, que participa como comentarista do programa “Conversa com Fátima Bernardes”; a cantora Ana Mametto e o ator e comediante Luís Miranda, da Rede Globo.

   15. A vereadora Marta Rodrigues (PT) criticou o aumento dos trios no bloco Mudança do Garcia. “Senti que havia muitos trios e isso descaracterizou um pouco. Na Mudança, o forte é a percussão porque é para todo mundo ouvir, ler os cartazes e gritar palavras de ordem. O bloco tem como característica essa firmeza e coerência de vir para a rua com o seu protesto”, disse a vereadora na sua passagem pelo camarote da Câmara, na tarde desta segunda-feira (4).

   16. Como ponto positivo, a parlamentar destacou o tema do bloco escolhido para este ano, que trata do combate a todas as formas de intolerância.

   17. “Havia muitos cartazes de combate ao racismo e à intolerância religiosa durante o Carnaval. Quando falamos de religião, tem uma que sofre muito que é a de matriz africana e que acaba não tendo a devida visibilidade. Isso termina permitindo o desrespeito, como o caso da Pedra de Xangô, que recebeu toneladas de sal”, explicou.
 
   18. Há alguns anos, a axé music perdeu espaço para ritmos novos, principalmente o sertanejo. O fenômeno foi comentado pelo cantor baiano Dan Valente, que se apresentou neste domingo (3) no Camarote Skol Puro Malte. Perguntado se sentia medo de o sertanejo exaurir, Dan disse que não. 

   19. "Acho que não pela larga escala de produção. O sertanejo tem um trunfo de pluralidade musical, é como uma 'banda de baile', tem várias possibilidades, artistas novos surgindo com novas características e identidades", afirmou.

   20. O cantor acrescentou ainda que tenta sempre trazer a cara da Bahia para suas músicas e o seu jeito de cantar. "Inclusive, Jennifer, de Gabriel Diniz, ela tem muito da nossa percussão, tá estourada. E é isso que fazemos no show, colocamos essa percussão, para ter nossa identidade para mostrar para todo o país", acrescentou.