ter?a-feira, 07 de abril de 2020
Saúde

Camaçari:Hospital Santa Helena não registrou nenhum caso de Covid-19

É falsa a notícia divulgada de que o primeiro caso confirmado em Camaçari foi identificado no Hospital Santa Helena, do Grupo SH Brasi
Adriana Nogueira , Salvador | 21/03/2020 às 11:43

É falsa a notícia divulgada de que o primeiro caso confirmado em Camaçari, na sexta-feira, 20/03, para o Covid-19, foi identificado no Hospital Santa Helena, do Grupo SH Brasil. 

  Conforme o boletim epidemiológico assinado pelo secretário de Saúde Elias Natan, até 18h de ontem, houve 30 casos suspeitos da doença no município, sendo 19 descartados, 10 em fase de análise e 1 confirmado, mas não do Hospital Santa Helena. A enfermeira Ana Paula Nogueira, coordenadora de Vigilância Epidemiológica de Camaçari, atesta que o caso de contaminação confirmado em Camaçari não foi notificado pelo hospital do Grupo SH Brasil. "Nenhum caso do Hospital Santa Helena foi positivo até essa sexta-feira. As informações  divulgadas pela mídia local não procedem, são inverdades, fake news.”, afirma a coordenadora do órgão.

  Vale destacar que o próprio secretário de Saúde de Camaçari, Elias Natan, destacou no boletim oficial a importância de não compartilhar fake news e reforçou que os dados oficiais são divulgados no site do Ministério da Saúde, da Secretaria de Saúde do Estado e nas mídias sociais do órgão, no município.

  O gerente médico e responsável técnico do Hospital Santa Helena e Emergência Santa Helena, em Camaçari, unidades que integram o sistema de atendimento do Grupo SH Brasil, Dr. Conrado Rios (Cremeb 14686), diz que o Hospital apresentou 19 casos para investigação e confirma que nenhum deu positivo para o Covid-19. "É com muito pesar que temos que enfrentar uma doença tão persuasiva como o Covid-19 e refutamos, de forma contundente, a irresponsabilidade da divulgação de notícias falsas, que se tornam mais uma tortura para as pessoas que já estão sofrendo tanto neste momento de crise. Temos compromisso com a verdade e com nossos pacientes, fake news é uma grande irresponsabilidade, não é hora de fazer isso. Nós, profissionais da área de saúde, estamos nos esforçando ao máximo e nos preparando para acolher os pacientes da melhor forma possível e trazer alento para eles”, declara.

 

 

Medidas protetivas emergenciais implementadas pelo Grupo SH Brasil 


Segundo Rios, a maior preocupação é com a população. "As pessoas estão no limite do medo e do pânico, por isso, é preciso manter a serenidade, a calma e a solidariedade humana. Nossos pacientes estão sendo atendidos conforme a recomendação do Ministério da Saúde. Quem estiver contaminado será bem assistido e sua família será amparada pelo próprio Sistema Santa Helena”, completa.

  O médico diz que se inspira na experiência de mais de 40 anos de atuação na área de Saúde do Dr. Raimundo Pinheiro, Diretor Médico do Grupo SH Brasil. Juntos, e com apoio de outros profissionais da direção do hospital e equipe que atua no setor, como enfermeiros e especialistas, além de engenheiros que prestam serviço na área hospitalar, discutiram como melhorar o fluxo de atendimento de emergência na instituição, por conta do Covid-19, para garantir a assistência de quem precisa e a proteção de quem não se contaminou.

  Nossa estrutura hospitalar possui um espaço especial para que o paciente respiratório  entre por uma via exclusiva, o que é um grande ganho para todos, pois esse acesso não constrange a pessoa possivelmente doente e protege os demais pacientes. Também criamos um espaço específico para o atendimento de casos respiratórios, que será inaugurado na próxima segunda-feira (23), nos organizamos com todos os materiais necessários, treinamos nosso pessoal para se proteger, devido ao alto grau de exposição dos profissionais e de contágio da doença, pois este também é um momento muito delicado para quem atua na área saúde. Reformamos a unidade de emergência e vamos ampliar o espaço da UTI para receber casos mais graves, sempre com o compromisso de investir numa educação continuada, para diminuir o medo e a exposição dos profissionais”, esclarece.

  O gerente médico encoraja que toda pessoa que estiver com sintomas de febre muito alta, tosse e dor de garganta procure atendimento médico para ser examinado e passar pela investigação do Covid-19. "Não precisa de pânico, mas não se deve ter medo de ir ao médico. Se está doente, procure ajuda e cuidado para ser examinado. Já quem está se sentindo bem não precisa ir a uma emergência ou hospital. Já estamos com transmissão comunitária da doença, então, se o quadro clínico for de febre frequente, de 39 a 40 graus, tosse seca e dor de garganta, características marcantes da doença, é preciso investigar. Lembrando que o teste com o kit do Covid-19 só é recomendado pelo Ministério da Saúde apenas nos casos mais graves”, ressalta.

  Segundo ele, o contato do médico com o paciente ajuda no levantamento do histórico clínico e na prescrição de exames laboratoriais, que ajudam no diagnóstico. “A pessoa pode ter sido acometida por outra virose, como o H1N1 e a Influenza, doenças com sintomas parecidos. Existem muitos outros vírus circulando e fazemos o levantamento de um painel viral. Quem precisar ser internado na nossa UTI, tendo que passar por esse momento tão difícil, receberá todo o calor humano dos nossos médicos, pois, nessa hora, o contato humano é o que faz toda diferença”, finaliza Conrado Rios.