segunda-feira, 20 de novembro de 2017
Saúde

Protocolo pioneiro na AL garante até 90% de sobrevida em caso infarto

Protocolo pioneiro na América Latina garante até 90% de sobrevida em casos de infarto (COM INFORMAÇÕES DA SMS/PMS)
SMS , Salvador | 16/07/2017 às 11:32
Paciente de Vera Cruz sendo socorrido
Foto:
Com tontura, enjoo e um desconforto no peito, o aposentado Antônio Barbosa de Oliveira, 67 anos, procurou a emergência do 16º Centro de Saúde no Pau Miúdo em busca de algum medicamento para aliviar o mal-estar. Ao chegar na unidade veio a surpresa. O paciente estava sendo vítima de um infarto agudo do miocárdio.  “Eu pensei que não era nada demais, apenas um desconforto no peito. Mas as dores foram aumentando e eu não aguentei, tive que buscar atendimento médico”, revelou.

Assim como Antônio, mais de 300 mil brasileiros sofrem de infarto por ano, sendo que cerca de 80 mil deles não consegue sobreviver, conforme estimativa do Ministério da Saúde. Por isso, um atendimento rápido e adequado ao paciente significa a diferença entre a vida e morte.

Em Salvador, um protocolo pioneiro na América Latina (Protocolo IAM) implantado em  julho de 2009 pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência - SAMU 192, tem revolucionado o atendimento às vítimas de infarto na capital e região metropolitana. Através de uma rede integrada de atenção, o serviço consegue identificar precocemente os pacientes com quadro clínico com suspeita do agravo e realizar com agilidade a desobstrução das artérias que irrigam o coração.

"O SAMU pode ser acionado por meio do 192 ou pelas próprias unidades de pronto atendimento e hospitais públicos do município. Nossa rede monitora em tempo real as suspeitas diagnósticas de infarto em sua modalidade mais grave nas unidades de emergência e quando surge algum paciente com perfil eminente, a equipe do Protocolo IAM se encarrega de colher as informações necessárias, dentre elas, o tempo desde a instalação dos sintomas até o acionamento", diz Pollianna Roriz, médica coordenadora do Protocolo IAM.

Durante os atendimentos, os profissionais viabilizam a recanalização da artéria por meio da remoção imediata para serviço especializado com hemodinâmica para realização do procedimento chamado angioplastia. Para garantir a agilidade e todo o suporte necessário para atenção imediata do paciente, a Prefeitura mantém um convênio com os hospitais Português e Santa Izabel, onde os usuários permanecem até recuperação do quadro clínico.

Nas situações mais críticas, as equipes do SAMU realizam a desobstrução arterial com a administração de uma medicação intravenosa trombolítica,  procedimento bastante difundido em muitos países de primeiro mundo. Se aplicada em tempo hábil, como nas primeiras três horas do início do quadro, o método aumenta a chance de sobrevida do infartado em até 90%.

"A ação rápida da equipe da emergência na assistência ao paciente com infarto é o principal fator para salvar a vida nesses tipos de caso. Infelizmente, as pessoas buscam atendimento médico no momento mais crítico do infarto, com muitas horas do início dos sintomas, quando as chances de reverter o quadro é mais complicado. Mas o Protocolo IAM nos permite fazer a busca ativa dos pacientes cardíacos e elevar as chances de sobrevida do assistido", explicou doutora Pollianna Roriz.   

Casos como o de Aristides Pinto, 43 anos. Morador da Ilha de Vera Cruz, o pescador foi identificado com sintomas avançados de infarto pela equipe do Protocolo IAM que acionou prontamente a lancha do serviço para transferência do paciente para o hospital de referência.  Todo o processo foi deflagrado em menos de 3 horas,  tempo essencial para salvar o miocárdio de Aristides. "Não tenho palavras para agradecer aos médicos que me atenderam. De uma hora para outra senti fortes dores no peito e pensei que ia morrer. Mas graças a Deus o atendimento foi muito bom e deu tudo certo", agradeceu.

Desde a sua implantação, o protocolo já atendeu mais de 2.500 vítimas de infarto. Essas pessoas foram atendidas em suas próprias residências ou já se encontravam em unidades de saúde com suspeita de infarto.