quinta-feira, 21 de novembro de 2019
Salvador

Cemitério do Campo Santo promove semana de evangelização

D. Murilo Krieger celebra missa às 9h do dia 2 de novembro
Comunicativa BA , Salvador | 01/11/2019 às 11:26
Campo Santo
Foto: divulgação
A Santa Casa da Bahia promove a Semana de Evangelização do Cemitério Campo Santo em homenagem ao Dia de Finados. A extensa programação de missas, iniciada no último domingo, acontecerá até o dia 2 de novembro. No período, mais de 30 mil pessoas devem visitar o cemitério, que está contando com reforço na pintura, segurança e limpeza, além de iluminação cênica.
Sete missas estão programadas para o Dia de Finados, 2 de novembro, com destaque para a Missa em Memória dos Fiéis Falecidos, às 9h, presidida pelo Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger. A celebração contará com a participação dos Irmãos da Santa Casa da Bahia. No mesmo dia, às 11h, o ato ecumênico Oração Interreligiosa pelos Falecidos de Todos os Credos Religiosos contará com líderes de diferentes religiões. A última missa do dia acontecerá às 15h30.
CAMPO SANTO INICIA OPERAÇÃO DE CREMATÓRIO - A Santa Casa da Bahia acaba de dar início à operação do crematório e da sala ecumênica do Cemitério Campo Santo. A nova estrutura, que é a mais moderna de Salvador e está entre as mais avançadas do Brasil, reúne tecnologia, humanização do atendimento e sustentabilidade. A sala ecumênica possui recursos 4D e oferece infraestrutura completa para a realização de cerimônias. “Estamos oferecendo aos clientes a possibilidade de vivenciar uma experiência completamente personalizada no momento de prestar a última homenagem aos entes queridos. A escolha é completa, da iluminação às projeções, contamos até com chuva de pétalas”, afirma o gerente do Campo Santo Roberto Taboada.
No crematório, as operações são rastreadas do início ao fim do processo, o que evita falhas de identificação. Cada cremação cadastrada aparece automaticamente para o operador, que precisa inserir um código de identificação individual antes de iniciar a cremação. “Toda a operação é feita através de um tablet para monitoramento em tempo real, além de suporte e acompanhamento remotos”, conta o gestor.
O modelo implantado no Campo Santo também permite controle automático para manutenção das condições ideais de funcionamento do equipamento e sistema avançado de monitoramento e registro com acesso online que garante a realização de processos seguros. Sustentável, a tecnologia atende às resoluções 316/2002 e 386/2006 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA) e está em conformidade com a norma NBR 12.131, que regula a segurança em instalações de gás e sistemas de combustão, com a utilização de componentes que superam os requisitos mais restritivos. “O nosso crematório controla de forma precisa a geração das emissões de gás, que são mantidas constantemente dentro dos limites de mais de 40 parâmetros ambientais”, atesta Taboada.
MODERNIZAÇÃO CRESCENTE - Desde 2016, o Cemitério Campo Santo passa por uma nova fase de modernização e expansão, orientada pelas diretrizes de um Plano Diretor. Os primeiros lançamentos foram o produto Campo Santo Familiar, seguido dos módulos verticais de sepultamento. Dotados do sistema Eco No-Leak, que realiza três etapas para tratamento dos gases oriundos da decomposição do corpo, o que reduz em mais de 95% a concentração do gás sulfídrico, que é bastante tóxico e provoca chuva ácida. O material utilizado para a produção dos módulos verticais de sepultamento é o Eco Granito, uma resina a base de garrafas pet recicladas, bagaço de cana-de-açúcar e fibra da casca de coco. O projeto de inovações do Cemitério Campo Santo também conta com placas de identificação em gavetas com leitura de QR Code, por meio do qual o visitante tem acesso ao histórico de vida e fotos do falecido, além de poder registrar orações e acender velas virtuais.
MUSEU A CÉU ABERTO - As ricas manifestações artísticas expostas nos túmulos do Cemitério Campo Santo, comprado pela Santa Casa da Bahia em 1840, o transformaram no maior representante da arte cemiterial do Estado e um dos mais significativos do Brasil. Tamanha expressividade motivou, em 2007, a criação do Circuito Cultural. São mais de 200 obras catalogadas, localizadas em sete quadras do Cemitério. Os estilos renascentista, barroco, gótico, moderno e contemporâneo caracterizam as peças, muitas delas produzidas por artistas renomados, como o mausoléu de Otávio Mangabeira, assinado por Mario Cravo.

  

PROGRAMAÇÃO DE MISSAS ATÉ 2 DE NOVEMBRO

 

DIA 01/11 – SEXTA-FEIRA                                            

 

Tema: “O Senhor é o Pastor que me conduz.

Nada me falta!.” (Salmo 22)

07:30h – Missa em honra a Divina Misericórdia

Preside: Pe. Lázaro Muniz – Capelão

09:00h – Terço da Misericórdia e Via Sacra com o Movimento Apostolado da Divina Misericórdia.

 

DIA 02/11 – SÁBADO                                                        

06:30h – Missa em Memória dos Fiéis Falecidos

Preside: Pe. Lázaro Muniz, Capelão do C. Santo.

Animação das Missas das 06:30, 07:30 e 09h00 - Comunidade Católica Shalom

07:30h  – Missa em Memória dos Fiéis Falecidos

Pe. André Luís dos Santos Alencar.

Liturgia: Paróquia S. Francisco de Assis/Boca do Rio

09:00h – Missa em Memória dos Fiéis Falecidos

Preside: D. Murilo S. R. Krieger, SCJ Arcebispo de São Salvador da Bahia

(Liturgia: Irmãos da Santa Casa de Misericórdia)

11:00h – Oração Inter-Religiosa pelos Falecidos de todos os Credos Religiosos

(Participação: Pai Raimundo Trocoli, Umbanda, Ebomi Nice, Candomblé, Pastor Joel Zeferino, Evangélicos, e Representantes de outras Religiões)

12:30h – Missa em Memória dos Fiéis Falecidos

Preside: Pe. Adilson Silva dos Santos

Leituras e Preces - Paróquiado AltodasPombas Animação do Culto Inter religioso e Missas das

12;30, 14:00 e 15:30, equipe da Paróquia Santa Cruz,

Engenho Velho da Federação)

14:00h – Missa em Memória dos Fiéis Falecidos

Preside: Pe. Lázaro Muniz, Capelão do C. Santo.

15:30h – Missa em Memória dos Fiéis Falecidos

Preside: D. Marco Eugênio Galrão de Almeida – Bispo Auxiliar da Arquidiocese