quinta-feira, 22 de agosto de 2019
Salvador

Prefeitura oferta curso de defesa pessoal para mulheres

O curso tem carga horária de 15 horas e se encerra nesta sexta-feira (16)
Secom Salvador , Salvador | 13/08/2019 às 13:49
Curso de defesa pessoal para mulheres
Foto: Jefferson Peixoto/Secom
Com o intuito de ensinar ao público feminino mecanismos de defesa para se desviar de situações de violência e de perigo, a Secretaria de Política para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ) está ofertando mais uma edição do curso de Defesa Pessoal e Prevenção à Violência no Cotidiano da Mulher. As aulas teóricas e práticas são ministradas para 30 mulheres, no Centro de Atendimento à Mulher Soteropolitana Irmã Dulce (Camsid), na Ribeira, em parceria com a Guarda Civil Municipal (GCM). O curso tem carga horária de 15 horas e se encerra nesta sexta-feira (16). Os certificados serão entregues no final deste semestre.
De janeiro a agosto, o centro já formou oitos turmas, totalizando 150 mulheres beneficiadas. Entre as participantes dessa edição está a estudante de serviço social Priscila Dantas, de 20 anos. Ao tomar conhecimento da iniciativa pela internet, fez questão de assegurar uma das vagas. “Toda mulher deveria aprender, afinal estamos expostas a vários tipos de perigo. Nunca sofri nenhum tipo de violência, mas acho muito válido aprender a me defender, caso ocorra”, disse a jovem que mora na Ribeira. 
Nesta segunda-feira (12), as participantes receberam noções de primeiros-socorros. Durante os ensinamentos, o instrutor faz questão de esclarecer que a ideia não é estimular a violência e sim preparar mulheres para as situações reais em que a defesa pessoal pode ser útil. Para o coordenador de supervisão à violência da Guarda Civil Municipal (CGM), Ronaldo Silva, as aulas práticas visam orientar as mulheres a se desvencilharem de situações de violência muito específicas.
“O primeiro passo é identificar quais são estes casos. Mulheres quando são agredidas geralmente são vítimas de puxões no cabelo e golpes de esganaduras. Ensinamos exatamente como utilizar as técnicas para evitar que esse tipo de violência ocorra. Lembrando que são práticas passa cessar a agressão, correr e pedir ajuda. Nunca se deve partir para o embate”, frisa o instrutor.
Programação - Até o final da semana, a programação do curso contempla noções sobre o funcionamento da GCM, com foco na prevenção a violência cotidiana, primeiros-socorros, uma roda de conversa sobre a Lei Maria da Penha e as aulas práticas. De acordo com a coordenadora do Camsid, Camile Lima, o curso é sempre aberto ao público geral, embora os ensinamentos sejam muito importantes para as mulheres atendidas no local, a maioria vítima de violência doméstica. “Temos casos das mais diversas formas de agressão. É uma oportunidade de aprender a autodefesa. A ideia é que elas aprendam a se esquivar e consigam pedir ajuda. A prática com certeza ajuda a salvar vidas”, ressaltou a coordenadora.