quinta-feira, 02 de abril de 2020
Política

STF: TOFOLLI DIZ QUE BRASIL NÃO PODE VIVER EM CONFLITO PERMANENTE

O presidente Jair Bolsonaro com suas postagens nas redes sociais engrena uma situação de crise atrás da outra
Tasso Franco , da redação em Salvador | 26/02/2020 às 19:53
Dias Tofolli comenta que Brasil precisa de paz
Foto: STF
   MIUDINHAS GLOBAIS:

   1. O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, reagiu na tarde desta quarta-feira ao compartilhamento pelo presidente Jair Bolsonaro de um vídeo convocando para manifestações contra a Corte e o Congresso.

  2. "O Brasil não pode conviver com um clima de disputa permanente. É preciso paz para construir o futuro. A convivência harmônica entre todos é o que constrói uma grande nação", disse Tofolli em nota.
3. Segundo o presidente do STF, "não existe democracia sem um Parlamento atuante, um Judiciário independente e um Executivo já legitimado pelo voto". Ele também afirma que "sociedades livres e desenvolvidas nunca prescindiram de instituições sólidas para manter a sua integridade".

  4. Na terça-feira, Bolsonaro compartilhou por WhatsApp um vídeo convocando para os atos. Amigo do presidente, o ex-deputado federal Alberto Fraga (DEM-DF) confirmou a informação ao GLOBO. O próprio Fraga disse ter recebido o vídeo de Bolsonaro. 

  5. Os atos foram marcados por apoiadores do presidente em defesa do governo, dos militares e contra o Congresso. A mobilização ganhou força na semana passada, após o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, ter atacado parlamentares, acusando-os de fazer “chantagem”. (GLOBO.COM)
                                                               ******
  6. O Departamento Estadual de Trânsito ( Detran-BA) encerrou, na madrugada desta Quarta-feira de Cinzas ( 26), em Salvador, a Operação Lei Seca de Carnaval. No período da folia, o órgão abordou 8.648 pessoas e 4.153 veículos. Dos condutores submetidos ao teste do bafômetro, 273 foram enquadrados na legislação de alcoolemia e quatro conduzidos à delegacia.

  7. Durante a operação, realizada com o apoio da Polícia Militar, o Detran-BA registrou 1.108 autuações, removeu 164 veículos e recolheu 244 carteiras de habilitação. Os carros e motos removidos no Carnaval estão sendo liberados no pátio credenciado ao departamento, na Avenida Barros Reis, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, e aos sábados, das 9h às 13h.

  8. " Adotamos um novo padrão na Operação Lei Seca, para garantir uma cobertura maior na segurança viária. Conseguimos abordar três vezes mais veículos este ano, em relação ao Carnaval passado. O importante foi que tivemos o apoio da população, o que demonstra que o cidadão está cada vez mais consciente sobre o respeito às regras de trânsito", declarou o coordenador de Fiscalização do Detran-BA, Márcio Santos.

   9. Os módulos assistenciais à saúde montados pela Prefeitura nos circuitos do carnaval contabilizaram 5.630 atendimentos durante toda a folia, com destaque para diminuição de 35% das intervenções cirúrgicas (126), em relação ao ano passado quando foram contabilizados 195 casos.

  10. Do total de admissões, o circuito Dodô respondeu por 72% (4.053) das ocorrências, enquanto o Osmar somou 24,5% (1.379) dos atendimentos na folia. Vale ressaltar que o circuito do Campo Grande registrou redução de 4% no total de casos, quando comparado com o carnaval do ano de 2019. O posto Farol da Barra liderou o volume de intervenções com 1.137 entradas, seguido dos módulos Ademar de Barros (966), Shopping Barra (631) e Morro do Gato (576).

  11. Para o secretário municipal da Saúde, Leo Prates, a ocorrência de mais casos clínicos e redução de procedimentos cirúrgicos evidencia uma maior tranquilidade e resolutividade da saúde no carnaval. "Com o fim da festa pudemos verificar a redução dos casos de maior gravidade, confirmando nossas expectativas quanto à prestação de serviço de qualidade nos circuitos da folia ", analisou o gestor.

  12. Este ano, os casos de intoxicação alcoólica voltaram a aumentar, tendo os postos localizados entre a Barra e Ondina registrado 82% do total de foliões fazendo o uso excessivo do álcool. Os módulos assistenciais contabilizaram 550 ocorrências por embriaguez, um acréscimo de 8,7% quando comparado com o mesmo período do ano passado.

  13. As principais causas de atendimentos a turistas também foram por intoxicação alcoólica. Das 1.276 pessoas de outras localidades atendidas, 9,8% demostraram ter ingerido grande quantidade de álcool. Vale ressaltar que os turistas corresponderam por 23% do total de foliões atendidos nos postos dos circuitos.

   14. Houve apenas 150 transferências para unidades de retaguarda, o que representa somente 2,7% dos casos. O Hospital Geral do Estado (43) foi a principal referência para as transferências, seguido da UPA Brotas (31) e UPA Vale dos Barris (21), desta forma, a rede pública absorveu 88% das demandas oriundas dos circuitos da festa.

  15. O sistema de táxis de Salvador transportou 131.380 mil foliões em cinco dias de folia, de acordo com o balanço parcial divulgado pela Secretaria de Mobilidade (Semob) nesta terça-feira (25), último dia de Carnaval. Durante todo o período da festa, a população contou com uma frota de 7,2 mil veículos.

  16. Os táxis estão distribuídos em 17 pontos especiais para embarque e desembarque de passageiros. Desde a última quinta (20), os profissionais estão autorizados a utilizar a Bandeira 2. A cobrança é válida até as 12h da Quarta-feira de Cinzas (26).

  17. Somente entre a noite de ontem e madrugada de hoje (25), 38.592 mil pessoas foram conduzidas pelo modal de transporte. Ainda de acordo com a Semob, 19 taxistas foram autuados, sendo oito deles por recusas de passageiros e três por cobranças abusivas.

  18. Usuários que se sentirem lesados devem denunciar os abusos a qualquer agente de trânsito e transporte que esteja no circuito ou ainda relatar o ocorrido por meio do Whatsapp da Semob, que é o (71) 9997-5135. A secretaria orienta que os foliões optem em pegar os veículos de táxi nos pontos de embarque e desembarque onde há fiscalização.