domingo, 23 de fevereiro de 2020
Política

FATOR DENICE SANTIAGO NA CAMPANHA DA SUCESSÃO DE NETO, p TASSO FRANCO

Rui adota estilo bolsonarista ao buscar militar popular para prefeita de Salvador e atropela militantes históricos
Tasso Franco , da redação em Salvador | 30/01/2020 às 19:20
Major Denice com uma perna no PT
Foto: DIV
   MIUDINHAS GLOBAIS:

   1. O PT ao que tudo indica e apesar dos protestos dos (as) pré-candidatos (as) da base aliada do governador Rui Costa (PT) vai mesmo lançar a 'out-sider" major PM Denice Santiago como pré-candidata a prefeita da capital, a partir do dia 7 de fevereiro quando será divulgado o calendário eleitoral do diretório nacional do partido. É uma opção no estilo bolsonarista de buscar uma militar popular e que comenda as operações da Maria da Penha, em Salvador, atropelando militantes tradicionais do partido.

   2. Mas, deverá mesmo prevalecer o "caciquismo" e noticia-se, nos bastidores, que Denice fará sua pré-estreia na festa de Yemanjá, ao lado do governador. Há, no momento, conversas com os pré-candidatos petistas para que desistam de suas intenções e como nenhum deles tem força política para enfrentar o governador Denice deverá ser sacramentada. Ademais, aquela antiga democracia petista no modelo dos debates, de prévias e outros, isso já foi sepultado há tempo. 

   3. Denice tem os apoios de Lula, Wagner e Rui. Pronto: é o que basta. Se vai dar certo no plano eleitoral são outros quinhentos. Com Dilma deu; com Haddad não deu. 

  4. Magoadas com a decisão do trio Lula/Wagner/Rui as deputadas federal Lidice da Mata (PSB) e Olivia Santana (PCdoB) se articulam no sentido de analisar a situação político/eleitoral criada com esse novo fato que é a "out-sider" Denice. 

  5. Também os pré-candidatos Bacelar (Podemos) e Angelo Coronel (PSD) são contrários a um nome "out-sider", mas, dificilmente, vão se desentender com o governador. No máximo manterão suas candidaturas no 1º tuno (e olhe lá) para ver o que acontece.

  6. Quanto ao pastor Isidório (Avante) seu filho João Isidório liberou uma nota à imprensa, hoje, destacando que seu pai (lider das pesquisas) seguirá em frente como pré-candidato a prefeito e não a vice numa possível composição com Denice. Como na política já dizia Sebastião Nery há nuvens e estas se movem tem-se que aguardar um tempo para saber se esses novos ventos manterão a pré-candidatura de Isidório de pé.

  7. O governador Rui Costa (PT) está bem avaliado em Salvador e tem um poder percentual de transferência de votos alto, acima da média de todos os percentuais individuais dos pré-candidatos já divulgados em pesquisas. 

   8. Tempo para a major crescer há. Estamos ainda em janeiro e a eleição se dará em outubro, portanto, há 8 meses. Ao que tudo indica com o número 13, do PT e a força de Rui/Wagner tende a crescer. 

   9. Para a campanha de Bruno Reis, candidato do DEM e do prefeito ACM Neto, trata-se de um dado novo e relevante. Certamente vão aguardar os fatos e a possível filiação da major ao PT. Forças políticas da base ruista (PSB/PCdoB/PP/Podemos/PSD) migrarem para o DEM é difícil, mas, não impossível. Só o tempo dirá se isso será possível a partir do comportamento do governador com a candidata do PT, se será um apoio pleno ou limitado.

   10. A união de Olivia + Lidice mudaria o quadro na base aliada de Rui? Sim. 

   11. A questão, no entanto, esbarra em qual delas abriria mão da cabeça da chapa. Ademais, Olivia foi secretária da primeira gestão Rui e o PCdoB tem cargos no governo. E Lidice, que chegou a ensaiar uma posição de independência como uma terceira força na política baiana recuou e se aliou a Rui, ela que foi adversária dele na campanha de 2014, e também seu partido tem cargos no governo.

   12. Daí que Rui está soberano e pode, sim, lançar Denice sem que haja essas arestas todas que se esboçam. Salvo se houver um fato novo que desagrade demais a essas forças alinhadas na sua base, o que parece improvável, pois, Rui sabe fazer política.

   14. O fato Denice, também, deve ser analisado a longo prazo pois a campanha estadual não demorará muito de acontecer e, pelo visto, o PT vai seguir nessa linha de receber apoios, mas, o inverso, tem limitações.
                              *****