segunda-feira, 14 de outubro de 2019
Política

Moema defende cotas para mulheres durante Reunião Geral de Prefeitos

O encontro debateu os desafios da representação feminina na política brasileira
Imprensa Lauro , Lauro de Freitas | 08/10/2019 às 19:26
Encontro Prefeitos
Foto: Edgard Copque
“Vamos lutar pela garantia da manutenção dos 30% das candidaturas de mulheres e dos recursos partidários”, afirmou a prefeita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho, nesta terça-feira (8), na sua participação do “Café com as Prefeitas”. O encontro, que debateu os desafios da representação feminina na política brasileira, fez parte do primeiro dia da 76ª Reunião Geral da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), realizado no Wish Hotel da Bahia, em Salvador.
No encontro para discussão dos fundos partidário e eleitoral, além da apresentação dos resultados da segunda etapa da pesquisa Instituto Alziras sobre financiamento de campanha e violência política, Moema Gramacho, que também é vice-presidente de Mulheres da FNP, colocou em pauta a questão do machismo dentro do Congresso Nacional como um dos principais entraves para o crescimento feminino na política brasileira. A posição gerou sentimento de empatia entre as prefeitas que participaram do café.
“Quando eu estava na Câmara Federal, lembro o quanto foi difícil aprovar as cotas. A dificuldade para coletar assinaturas dos parlamentares homens foi grande. Esta discussão não para por aqui. Precisamos garantir um espaço ainda maior para nós mulheres.  Devemos levar sempre para nossos partidos o quanto a questão do financiamento eleitoral e partidário é importante para a garantia de disputas equilibradas. A pesquisa do Instituto Alziras é um excelente instrumento de luta”, completou.
Para concluir a segunda etapa da pesquisa, o Instituto Alziras também mapeou o perfil de 45% das 649 prefeitas no Brasil, entre os anos de 2017 e 2020. De acordo com Michele Ferreti, diretora do Alziras, mulheres candidatas a cargos políticos têm dificuldade de acessar recursos para financiamento de campanhas e não passam por formações obrigatórias dos partidos.
“5% do Fundo Partidário deve ser destinado a promoção da participação política das mulheres. Relatamos que 121 milhões de reais deixaram de ser aplicados pelos partidos nas formações. No Brasil, 45% dos filiados a partidos são mulheres e muitas delas deixam de estar na política por conta desses mecanismos que inviabilizam a candidatura”, disse.
Ainda na 76ª Reunião Geral da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), desta vez na plenária de prefeitos e prefeita, Moema Gramacho reforçou o desejo das gestoras municipais de que a manutenção das cotas de mulheres esteja entre as prioridades da reunião. “Somos 52% no eleitorado e da população brasileira. Mas apenas 12% de representação enquanto prefeitas e 13% nas câmaras municipais. O que nos remete que precisamos efetivamente dessas duas garantias de participação através da promoção de formação e do financiamento de campanhas”, frisou.
A 76ª Reunião Geral da FNP segue até a próxima sexta-feira (11) com prefeitos, secretários e autoridades no debate das pautas municipalistas. Temas como finanças, saúde, educação, pacto federativo, g100, reforma da Previdência e reforma tributária, e soluções para a mobilidade urbana serão debatidos.