segunda-feira, 16 de setembro de 2019
Política

BOLSONARO lança programa para implantar 216 escolas cívico-militares

Ministro da Economia, Paulo Guedes, diz que a imprensa fica discutindo sobre a mulher e Macron, o pai de Bachellet e esquece os avanços do país na economia
Tasso Franco , da redação em Salvador | 05/09/2019 às 19:33
Bolsonaro no lançamento do programa
Foto: Marcos Corrêa
   MIUDINHAS GLOBAIS:

   1. Com a meta de implantar o modelo de gestão compartilhada entre civis e militares em 216 escolas até 2023, o presidente da República, Jair Bolsonaro, assinou um decreto e lançou nesta quinta-feira (05) o Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares. A proposta do Ministério da Educação é que a cada ano 54 escolas passem a funcionar com esse modelo.

   2. Em cerimônia no Palácio do Planalto, o presidente Bolsonaro destacou a importância do ensino. “O que nos tira da miséria e da pobreza, da ignorância, obviamente, é o conhecimento”. E ressaltou a importância do programa. “Porque a tendência nessas escolas militarizadas é dar certo? Sem querer desmerecer ou dizer que as outras não dão certo. Também dão certo, mas uma taxa muito maior nas militarizadas. Porque tem disciplina”, disse o presidente.

   3. A meta prevista pelo Ministério da Educação antes do lançamento oficial do programa era chegar a 108 novas escolas cívico-militares no país até 2023. De acordo com o ministro da Educação, Abraham Weintraub, a ampliação ocorre para estimular um modelo que está dando certo.

   4. “É um modelo que está tendo uma taxa de sucesso muito boa. Os alunos que estão melhores cuidam dos que estão mais pra trás. Existe um respeito muito grande, uma autoestima de pertencer a uma escola cívico-militar. As crianças estão lá para aprender e o desempenho que vemos está muito acima da média brasileira”, afirmou Weintraub.

   5. Nesse método, os militares atuam como monitores para auxiliar na gestão educacional. A organização didático-pedagógica e a administração da escola ficam por conta dos civis. A implementação depende da adesão voluntária de estados, municípios e do Distrito Federal.

   6. Atualmente, há no país 203 escolas cívico-militares em 23 unidades da federação. O secretário de educação básica do Ministério da Educação, Jânio Carlos Endo, disse que a decisão de expandir o modelo se baseia nos bons resultados apresentados por essas escolas em avaliações como a do Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que avalia a qualidade das escolas públicas.

   7. “As escolas cívico-militares apresentam resultados positivos na avaliação do Ideb que se mostram superiores aos das escolas civis com taxa de abandono escolar 70% menor e taxa de reprovação dos alunos 37,4% inferior”, explicou Endo.

   8. De acordo com o secretário, o programa vai combater a violência e a evasão escolar. “É uma medida importante que combate as desigualdades de oportunidade, a violência, buscando uma melhor gestão escolar, oferecendo aos jovens a possibilidade de se tornarem protagonistas de suas vidas”.

   9. O modelo de gestão compartilhada será levado, preferencialmente, para regiões que apresentam situações de vulnerabilidade social e baixo Ideb.

   10. Em uma primeira fase poderão ser convocados 540 militares da reserva para atuarem em até 30 escolas, de acordo com o ministro da Defesa, Fernando Azevedo. “Sabemos que o caminho é longo e que muitos serão os desafios, mas com o esforço conjunto e a união de todos, temos a certeza que esse programa nos dará bons frutos”.

   11. O projeto faz parte do Compromisso Nacional pela Educação Básica, que busca avançar na qualidade educacional. A estimativa é de que o custo anual, por escola, seja de R$ 1 milhão.

   12. A implementação da gestão compartilhada entre civis e militares depende da adesão voluntária de estados, municípios e do Distrito Federal.

   13. Os 26 estados e o Distrito Federal têm de 6 a 27 de setembro para indicar ao Ministério da Educação duas escolas que poderão receber o projeto em formato piloto já no primeiro semestre de 2020. Os colégios devem ter de 500 a 1 mil alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental e/ou do ensino médio.
                                                                  ******
   14. A parceria entre a Prefeitura e o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) deve beneficiar milhares de eleitores na cidade até esta sexta-feira (6). O projeto Caminhão da Biometria promove atendimento itinerante nos bairros, com o objetivo de beneficiar e facilitar o acesso à população aos serviços de regularização da situação eleitoral por meio da revisão de dados, alistamento, 2ª via do título de eleitor e transferência.

   15. Os moradores das localidades de Itapuã e do Subúrbio já foram beneficiados com a ação. A próxima parada é na região de Cajazeiras, no Campo da Pronaica. O atendimento acontece das 9h às 17h, nesta sexta.

   16. Para ser atendido não é necessário realizar agendamento. No entanto, os interessados devem apresentar documento de identificação com foto e um comprovante de residência recente, emitido há, no máximo, três meses. Com oito kits de atendimento, o veículo consegue atender até 32 eleitores por hora, aproximadamente.

   17. A Escola Vale do Dendê vai celebrar, na sexta-feira, 6, na Estação da Lapa, os dez anos do Carrinho Multimídia com um evento que vai reunir bate-papo e discotecagem e uma oficina de Ideas Jockey. O encontro será a partir das 18h, na sede da escola, que fica piso térreo, plataforma C do terminal

   18. O Carrinho Multimídia circulou pela primeira vez nas ruas de Salvador em 2009, ignorando hierarquias entre as linguagens (escrita, visual, oral, sensorial), ultrapassando fronteiras entre o popular e o erudito, entre ruas e salas de aulas, entre arte e ativismo. Concebido pela artista e publicitária Ana Dumas, o Carrinho é uma estação de arte e comunicação ambulante, inspirada nos carrinhos de café baianos, trios elétricos e sound systems jamaicanos.

   19. ministro da Economia, Paulo Guedes, reclamou do que chamou de excesso de atenção para as falas e os "modos" do presidente Jair Bolsonaro, enquanto, segundo ele, o País tem tido progressos na área econômica. Ele reconheceu que Bolsonaro chamou a mulher do presidente francês, Emmanuel Macron, de feia e concordou com a afirmação. "A mulher é feia mesmo", disse.

   21. A declaração de Guedes arrancou risos da plateia de empresários em um evento em Fortaleza, promovido pelo portal Poder360 e pelo grupo de comunicação Jangadeiro.

   22. Guedes citou uma série de avanços, segundo ele, nas privatizações, na reforma da Previdência e no mercado de gás brasileiro. "Estou vendo progressos, mas a preocupação é com o pai da Bachelet, com a mulher do Macron", disparou o ministro.

   23. Está tramitando na Câmara dos Deputados o projeto de Lei 4150/19 que altera o Código Civil (Lei 10.406/02) para definir que a personalidade civil do ser humano começa desde a sua concepção.

   24. Com a medida espera-se a redução do número de abortos no país, que segundo dados da Pesquisa Nacional do Aborto (PNA) 2016, a taxa gira em torno 13 abortos para cada mil mulheres entre 18 e 39 anos no Brasil.

   25. Para o deputado estadual, Samuel Júnior (PDT) será uma medida ‘pró-vida’. “É preciso enxergar que salvaremos duas vidas: a do bebê e a da mãe. É um duplo risco e exposição desnecessária para realizar o procedimento. O aborto nunca é solução para nada, nem para a gravidez indesejável, nem para a gravidez inesperada, e sempre deixa cicatrizes indeléveis no corpo, mente e na história de vida da mulher", afirmou Samuel.

   26. Organizações da sociedade civil têm até o dia 2 de outubro para se inscrever no edital de seleção para implantação da Casa da Sabedoria. Lançado pela Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Sempre), o chamamento público objetiva identificar propostas para implantar e executar serviços referentes a três Centros de Convivência do Idos.

    27. O valor total de recursos disponibilizados é de R$ 1.980.000,00, sendo R$ 450.000,00 para implantação e R$ 1.530.000,00 para execução indireta, alocados no Fundo Municipal do Idoso..

   28. As propostas selecionadas terão o objetivo de realizar a implantação e execução de serviços socioassistenciais voltados para a população idosa, com idade igual ou superior a 60 anos, em situação de vulnerabilidade social e violação de direitos. A capacidade de atendimento será para 250 idosos cada, pelo período de 12 meses, com instalações nas localidades do Subúrbio Ferroviário, Orla e Cajazeiras.

    29. 27. Estudo realizado pelo Instituto dos Auditores Fiscais da Bahia (IAF) estima que a Bahia receberá cerca de 1 bilhão do pré-sal. De acordo com Tolstoi Nolasco, Diretor de Assuntos Econômicos e Financeiros do Instituto dos IAF, o recurso poderá chegar à Bahia após aprovação da Proposta de Emenda Constitucional nº 98/2019, que assegura aos Estados e Municípios a participação na arrecadação de recursos com origem nos leilões do pré-sal.

   30.  "Serão mais beneficiados os Estados e Municípios com menores rendas per capita. Utilizando-se os percentuais de distribuição do FPE, estima-se que a Bahia receba recursos na ordem de R$ 950 milhões, além de participar de parte da fatia dos 3% arrecadados, por possuir jazidas de petróleo, gás natural e outros hidrocarbonetos", afirmou.