quarta-feira, 18 de setembro de 2019
Política

GOVERNADOR DO RIO DIZ QUE DESPOLITIZOU POLICIA E RESULTADOS APARECEM

Com informações de A Tarde
Da Redação ,  Salvador | 22/08/2019 às 17:54
Wilson Witzel durante palestra em Salvador
Foto: A Tarde
  Durante palestra em Salvador, o governador Wilson Witzel participou nesta quinta-feira, 22, da abertura do Simpósio Nacional de Combate À Corrupção, em Salvador e apontou a estrutura da polícia despolitizada, a reestruturação e a desburocratização da Polícia Civil e Militar, como algumas das diretrizes de combate à corrupção fundamentais em seu governo.

O gestor afirmou que foi procurado por deputados e prefeitos para indicar comandantes para o Batalhão da PM, algo que não foi aceito por ele. Para Witzel, a polícia precisa ser isenta, sem interferências para trazer resultados. "Estamos despolitizando a estrutura da Polícia Militar e da Polícia Civil no estado do Rio de Janeiro.

O Governador afirma que a reestruturação e a união entre as polícias são fundamentais para o combate ao crime. "A reestruturação da Polícia Civil em criar um departamento de combate à lavagem de dinheiro, ao crime organizado e ao tráfico de armas e de drogas, e que trabalhe em parceria com a Polícia Federal, cria condições para asfixiar aquela irrigação financeira do tráfico de drogas".

A outra questão está ligada a desburocratização, que permite mais autonomia para polícia, dando mais agilidade no processo criminal. " Que a Polícia Militar seja porta de acesso ao sistema criminal, especialmente na lavratura do flagrante, porque os boletins de ocorrência e os flagrantes, eles são a porta de acesso para polícia.

O governador encerrou sua participação com um decreto estadual que cria um programa de integridade para ser aplicado no Rio de Janeiro. Ele afirmou que o Controlador Geral do Estado, Bernardo Barbosa, fez um estudo aprofundado para elaborar o decreto.  “Estou assinando aqui, considerando a necessidade de políticas coordenadas e eficazes contra corrupção, que promovam a participação da sociedade e reflitam os princípios da necessidade de direito, as devidas gestões dos bens públicos da integridade e transparência, finalizou.