ter?a-feira, 20 de agosto de 2019
Política

LIDER DA MAIORIA NA ALBA estabelece dia 20 para votar contas Rui 2015

Targino Machado diz que há "conluio" entre Rui e a maioria dos conselheiros do TCE desrespeitando parecer de auditores
Tasso Franco , da redação em Salvador | 13/08/2019 às 17:10
Rosemberg Pinto: "Vamos apreciar e votar as contas no dia 20 de agosto"
Foto: BJÁ
  Ficou para o próximo dia 20, terça-feira, a apreciação e provável votação das contas do governador Rui Costa (PT), ano de 2015, aprovadas com ressalvas pelo TCE. Pelo menos foi o que disse à imprensa o líder da Maioria, deputado Rosemberg Pinto (PT) entendendo que, embora o PL estivesse na ordem do dia pretende instalar uma Comissão Conjunta no decorrer da semana, debater a matéria e só levar ao plenário depois de debates amadurecidos. 

   O líder da Oposição, deputado Targino Machado (DEM), diz que há 43 ressalvas às contas apontadas pelos auditores do TCE e, portanto, votará contra a aprovação. Destacou, ainda, que há um "conluio" entre a maioria dos conselheiros do TCE e o govrnador Rui Costa, pois, se os auditores da Casa, pagos e muito bem pelo povo baiano recomendaram a desaprovação das contas, o pleno votou pela aprovação. "Estão (a maioria dos conselheiros) na contramão dos interesses da Bahia e dos baianos", frisou.

   Perguntado pelo Bahia Já se havia um acordo para votar as contas dia 20, uma vez que Rosemberg afirma que serão votadas nesta data, Targino assegurou: “Não há acordo nenhum. Não se pode ter acordo para homologar as imoralidades todas perpetradas nessas contas. Essa conta de forma especial de 2015 foi votada e tem 43 itens apontados no parecer pelo Tribunal de Contas do Estado, isso é fato recorrente que se repetiu em 2016, 2017 e 2018. Extravasou com os auditores, que nunca fizeram isso, protagonizando um protesto documentalmente”, disse.

   Segundo Rosemberg a votação vai ocorrer desde que, até lá, dois projetos que estão sobrestando a pauta - dos deputdos Euclides Fernandes e Pedro Tavares - sejam aprovados ainda esta semana. Targino rebateu dizendo que vai obstruir os projetos dos deputados usando o regimento da Casa embora seja favorável aos dois. "A questão é regimental e eles (a Maioria) que coloquem gente pra votar", frisou.

 cQuanto as contas de 2015 “nosso voto é contrário e não há acordo. Tem que votar, estarei aqui para votar, agora a obrigação do quórum é de quem tem a Maioria. Nós não temos quórum se quer para dar a continuidade da sessão que é um terço, 21 dos senhores deputados. Então, quem tem a obrigação de fazer isso é o governo que tem 45 deputados”, completou Targino.

   Na tribuna, Rosemberg criticou a tentativa de obstrução por parte da bancada oposicionista. “Ouço aqui algo inusitado que a Oposição vai obstruir os dois projetos que estão na ordem do dia, o que vai na contramão do discurso de fazer um esforço para aprovar projetos de iniciativa dos parlamentares na Casa”, disse o petista fazendo um apelo para que Targino recue em sua decisão e vote os projetos.

   Em resposta, Targino disse que sempre há a possibilidade de acordo, notadamente quando se conduz a relação política com diálogo em exaustão, mas no momento político esses dois projetos carregam consigo interesses políticos subjacentes”. 

   FATIAR AS CONTAS

   O deputado Rosemberg Pinto comentou que todas as contas de Rui entre 2015 e 2018 serão votadas ainda semestre, mas, vão entrar na Ordem do Dia um ano de cada vez. A idéia é colocar a cada semana ou a cada 15 dias, uma das contas.

   Sobre as criticas do PSL dando conta de que os governistas esqueceram a Bahia e só falam de Bolsonaro, Rosemberg comentou que esse debate distrital foi provocado pelo presidente que,  propositadamente, depreciou o povo nordestino.