segunda-feira, 24 de setembro de 2018
Política

BRASIL vai à eleição presidencial sem uma Oprah. O que ela disse?

O refrão que está sendo entoado pelo mundo: Mas sua hora chegou. Mas sua hora chegou. A hora delas chegou.
Tasso Franco , da redação em Salvador | 11/01/2018 às 18:52
Oprah Winfrey, uma voz mundial
Foto: REP
   MIUDINHAS GLOBAIS:

   1. O que disse a apresentadora de TV Oprah Winfrey no Globo de Ouro 2018 e que teve tanta repercurssão no mundo a ponto dela ser apontada como merecedora de ser presidenta dos EUA, desafiando Donald Trump? A sua fala foi tudo o que as pessoas queiram ouvir sobre assédio sexual, tema tão atual, e representou um empoderamento da mulher de forma contundente, a ponto do próprio Trump, acusado de assédio, dizer que topa o desafio de enfrentá-la para presidente nas próximas eleições.

   2. Uma outra questão que muito tem sido abordada: por que o Brasil não tem uma voz poderosa como a da Oprah?
Temos até apresentadoras de TV famosas, conhecidas em todo país, politicas renomadas - uma delas chegou a ser presidenta - mas suas vozes não repercutem quer diante do tema comentado pela Oprah - assédio sexual -; quer sobre o nosso mais relevante mal, a corrupção. 

   3. Agora mesmo há um vazio na disputa presidencial com o pré-candidato petista envolvido com a Justiça tendo a possibilidade real de ir parar na cadeia, um pré-candidato a extrema-direita com teses absurdas e desconectadas com o mundo contemporâneo, um pré-candidato do centro amorfo, que ninguém sabe quem será, e uma pré-candidata muher que mais parece uma beata do século XIX. E onde está a nossa Oprah? 

   4. Havia, uma possível esperança em Joaquim Barbosa, pelo PSB, mas, o jurista teme que seja rifado pelo partido, que sofre pressões de Lula, antes mesmo de lançar seu nome, e sua candidatura não existir. Ciro Gomes, que poderia ser uma outra esperança, ninguém parece confiar em suas teses. E uma possível Oprah dos pampas, há dois nomes, parece coisa remota. E fala num apresentador de TV da Rede Globo que reforma casas.

   5. Oprah ficou consagrada na TV americana como uma das mais renomadas apresentadoras de Talk Shows, e posteriormente, fez um sucesso estrondoso no cinema, com sua próxima aparição sendo no filme Uma Dobra no Tempo. A atriz foi até o palco do Globo de Ouro para receber o prêmio Cecil DeMille, por seus feitos e conquistas na indústria, e aproveitou o espaço para soltar o verbo, confira tudo o que Oprah disse em seu discurso:

   6. Em 1964, eu era uma garotinha sentada no chão de carpete da casa da minha mãe em Milwaukee assistindo Anne Bancroft apresentar o Oscar de melhor ator durante o 36º Academy Awards. Ela abriu o envelope e disse cinco palavras que literalmente fizeram história: “O vencedor é Sidney Poitier.

   7. ” No palco surgiu o homem mais elegante que eu já havia visto. Eu me lembro que seu terno era branco, e é claro, sua pele era negra. E eu nunca vi um homem negro sendo celebrado daquele jeito. Eu tentei muitas, e muitas vezes explicar o que aquele momento significava para uma garotinha, uma criança assistindo de um assento barato, quando minha mãe chegou morta de cansaço por limpar a casa de outras pessoas. Mas tudo o que eu posso fazer é uma citação e dizer que a explicação está na atuação de Sidney em Uma Voz na Escuridão: “Amém, amém, amém, amém.” 

   8. Em 1982, Sidney recebeu o prêmio Cecil B. DeMille aqui no Globo de Ouro, e esse momento não se perdeu para mim, existem algumas garotinhas assistindo enquanto eu me torno a primeira mulher negra a receber o mesmo prêmio. É uma honra e um privilégio compartilhar a noite com todas elas e também com os incríveis homens e mulheres que me inspiraram, que me desafiaram, que me sustentaram e fizeram minha jornada ao palco possível. 

   9. Dennis Swanson, que apostou em mim para A.M. Chicago. Quincy Jones, que me viu no meu programa e disse a Steven Spielberg, “Ela é a Sophia em A Cor Púrpura.” Gayle que é a definição do que é um amigo, e Stedman que tem sido minha rocha.

   10. Gostaria de agradecer a Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood, pois todos sabemos que imprensa está ameaçada atualmente. Mas também sabemos que é a dedicação insaciável em descobrir a verdade absoluta que nos impede de fechar os olhos para a corrupção e injustiça, para tiranos e vítimas, e segredos e mentiras. Eu quero dizer que eu valorizo a imprensa mais do que nunca enquanto tentamos passar por esses tempos complicados, o que me leva a dizer: 

   11. O que eu sei com certeza é que falar sua verdade é a ferramenta mais poderosa que todos temos. E eu estou especialmente orgulhosa de todas as mulheres que se sentiram fortes o bastante e empoderadas o bastante para falar e compartilhar suas histórias pessoais. Cada um de nós aqui é celebrado pelas histórias que contamos, e este ano nós nos tornamos a história.

   12. Mas não é uma história que afeta apenas a indústria do entretenimento. É uma que transcende qualquer cultura, geografia, raça, religião, políticas, ou locais de trabalho. Então eu quero que esta noite expresse gratidão à todas as mulheres que aceitaram anos de abuso e assédio porque elas, assim como minha mãe, tinham filhos para alimentar e contas para pagar e sonhos para realizar. 

   13. Elas são as mulheres cujos nomes jamais saberemos. Elas são faxineiras e fazendeiras. Elas estão trabalhando em fábricas e elas trabalham em restaurantes e estão na academia, engenharia, medicina e ciência. Elas são parte de nosso mundo e tecnologia, e política e negócios. Elas são nossas atletas nas Olimpíadas, e são nossos soldados no exército.

   14. E tem mais uma pessoa: Recy Taylor, um nome que eu conheço e eu acho que vocês devem conhecer, também. Em 1944, Recy Taylor era uma jovem esposa e uma mãe. Ela estava indo para casa após o serviço na igreja que ela frequentava em Abbeville, Alabama, quando foi capturada por seis homens brancos armados, que a estupraram, e a deixaram vendada na beira da estrada que ela voltava para casa da igreja. Eles ameaçaram matá-la se ela contasse a alguém, mas sua história foi levada ao NAACP, onde uma jovem trabalhadora chamada Rosa Park se tornou a principal investigadora de seu caso e juntas elas buscaram justiça. Mas justiça não era uma opção na era de Jim Crow. 

   15. Os homens que tentaram destruí-la nunca foram julgados. Recy Taylor morreu 10 dias atrás, a beira de seu aniversário de 98 anos. Ela viveu o que todos vivemos, muitos anos em uma cultura quebrada pela brutalidade de homens poderosos. Durante muito tempo, as mulheres não foram ouvidas ou acreditadas se ousassem falar sua verdade contra o poder desses homens. Mas sua hora chegou. Mas sua hora chegou. A hora delas chegou.

   16. A hora delas chegou. E eu espero que Recy Taylor tenha morrido sabendo que a verdade dela, assim como a verdade de muitas outras mulheres que foram atormentadas durante esses anos e mesmo agora ainda são atormentadas, está acabando. Estava em algum lugar no coração de Rosa Park por quase 11 anos depois, quando ela tomou a decisão de permanecer sentada naquele ônibus em Montgomery, e está aqui em todas as mulheres que escolheram dizer, “Eu também.” E todo homem — todo homem que escolha escutar.

   17. Em minha carreira, eu sempre tentei fazer o meu melhor, seja na televisão ou no cinema, dizer algo sobre como os homens e mulheres realmente se comportam. Dizer como vivenciamos a vergonha, como amamos e como sentimos raiva, como falhamos, como nos arrependemos, perseveramos, e como nos destacamos. Eu entrevistei e retratei pessoas que vivenciaram as coisas mais horríveis que a vida pode nos mostrar, mas eles pareciam compartilhar uma mesma qualidade, que é a habilidade de manter a esperança de um amanhã mais brilhante, mesmo durante nossas noites mais sombrias. 

   18. Então eu quero que todas essas garotas que estão assistindo isso agora, saibam que um novo dia surgiu no horizonte! E quando esse novo dia finalmente nascer, será porque diversas mulheres magníficas, muitas no qual estão bem aqui essa noite, e alguns belos e fenomenais homens, lutando duro para se certificar que elas se tornem as líderes que nos levarão a um lugar onde ninguém mais tenha que dizer “Eu também” novamente.

   19. É isso. Com todo respeitos as mulheres militantes brasis, falta-nos uma Oprah.