terça-feira, 22 de agosto de 2017
Colunistas / Crônicas
Jolivaldo Freitas

Políticos malucos e malucas que apoiam Maduro

Jolivaldo Freitas é jornalista e escritor
25/07/2017 às 11:48
Tem horas que penso que os políticos brasileiros foram feitos, como diria o escritor Nelson Rodrigues, se referindo ao nosso país, "para não dar certo". Os caras, as caríssimas, deputados e deputadas só fazem besteira aos olhos do povo, numa atitude que parece não temer as críticas ou voltada para manter seus privilégios, estes sim de elite, ou não estão nem aí, uma vez que já têm mesmo garantida a aposentadoria, pelos anos de atuação no Congresso Nacional. Dá a nítida impressão que os políticos já anestesiaram o senso crítico. 

Vejamos o que fizeram recentemente os três principais partidos de esquerda do Brasil – PT, PC do B e PDT. Todo mundo vê, todo dia e o mundo democrático todo se colocado contra a tentativa de construir uma ditadura de fato, na Venezuela. O presidente Nicolas Maduro é visto e tido como um déspota, que vem matando seu povo a bala e fome e de raiva.
 
A Venezuela tem um judiciário comprado, suas corporações militares como se fossem núcleos de mercenários. A escalada de violência é de um grau que já quase estava esquecido na América Latina. Mesmo as bases que apoiaram Hugo Chavez, patrono de Maduro, já estão pulando fora e se encostando na oposição, oferecendo seu apoio, por saber que o momento é de crueldade. 

Que o governo não quer perder o osso. Aí vêm representantes dos partidos brasileiros citados e fazem um discurso em defesa do regime chavista. Em que diabo de mundo estão Gleisi Hoffman, Lídice da Mata e Graziottini, por exemplo.
 
Com esta atitude só mostram que necrosaram no tempo. O texto que subscreveram semana passada no encontro realizado na cidade de Manágua, capital da Nicarágua, que foi a resolução final do 23.º Encontro do Foro de São Paulo, organização que reúne diversos partidos de esquerda da América Latina e do Caribe, defende a elaboração de uma nova Constituição que amplia os poderes de Maduro. 

Sonha com o triunfo das forças revolucionárias na Venezuela e enceta que a revolução bolivariana é alvo de ataques do imperialismo e de seus lacaios. É de morrer de rir, se a palavra morrer não fosse de mau gosto na Venezuela.
 
Agora, que foro dentro da realidade, com vergonha na cara chamaria para participar políticos que estão citados na Lavajato e esperam seus devidos momentos para enfrentar o olhar de Sérgio Moro? A sensação que de que nossa esquerda está realmente perdida na Antártida e que morrerem de vergonha das suas atitudes contra a Nação brasileira e om povo brasileiro, engrossou a fileira das "viúvas" de Maduro, assinando a resolução por vergonha de abrir a boca ou por que estão mesmo fora de foco e locupletada com a pior direita que este país já viu. 

Nem o Pravda, mídia russa para o qual eu escrevo, tem uma postura de tal envergadura. O que pensar das nossas mulheres-cabeças Fátima Bezerra, Vanessa Grazziotin, Lidice da Mata, Regina Souza e Angela Portela? As mulheres estão ficando piores que o Cão. E homem é o Satanás. Insensíveis em nome de um projeto (de vida) político. Lembrei do mal que fez Stalin, um dos maiores criminosos da história e que a esquerda, como mulher de bandido, apaixonada, não enxerga.
 
Que políticos são esses? Todos, inclusive Lídice, merecendo uma surra (no sentido figurado viu dona Maria da Penha?) de cipó caboclo. Olha! Melhor deixar para lá para não dar o mesmo mau exemplo que PCdoB, PT e outros deram na Nicarágua. Mas, que tal um clister de pimenta? Também não... nada de violência. E água benta?