quinta-feira, 02 de abril de 2020
Economia

Dá para se produzir na rua para o Carnaval de Salvador

Além de adereços, há vendedores ambulantes que também oferecem opções de brinquedos para as crianças se divertirem no Carnaval
Secom Salvador , Salvador | 26/02/2020 às 20:20
Dá para se produzir na rua para o Carnaval de Salvador
Foto: Jefferson Peixoto/Secom
No Carnaval, a alegria não é o único requisito importante para muitos foliões. Adereços coloridos e brilhos dão o toque especial para quem quer curtir a festa com muita criatividade. E para quem não teve tempo de produzir um look especial antes de sair de casa, não faltam opções de enfeites e fantasias vendidos por ambulantes espalhados por todos os circuitos da festa, a preços bastante acessíveis para incrementar o visual.
  As tiaras com variados temas, como flores, orelhas de animais, chifres de diabinha e unicórnio, estrelinhas, auréolas de anjos, frases e memes, continuam sendo os preferidos entre as mulheres e crianças. Elas estão por todos os lados e custam, em média R$10.
  Coroas de rainha, cocar saias de índios, flores para cabelo, máscaras, chapéus de bruxa, glitter, perucas, adesivos para o corpo, argolas, pulseiras e colares coloridos também estão na lista dos mais vendidos.
  Vendedor ambulante de adereços e fantasias há 16 anos, Roque Rodrigues, 48, tem um estoque variado para o Carnaval. Ele se diz animado com o aumento do número de foliões que procuram este tipo de produtos nos últimos anos. “Eu tenho notado que as pessoas estão querendo estar mais fantasiadas nas ruas, mesmo quem sai em bloco e camarote. Isso é bom”, avalia.
  A artesã Elisabete Muniz Pinho conta que produziu todo o estoque de tiaras, plaquinhas, pulseiras e colares duas semanas antes de começar o Carnaval. O carro-chefe de sua produção são as tiaras com miniatura de chapéu com glitter. Ela comemora o resultado das vendas. “Estou vendendo uma média de 40 peças por dia. Só tenho poucos agora. Espero que termine de vender tudo”, afirma Elizabete.
  Fantasia improvisada - No caminho do circuito do Campo Grande, a funcionária pública Inês Sapucaia comprou do ambulante Roque o elemento que faltava para a fantasia improvisada ficar completa: uma tiara de onça para combinar com a sua blusa animal print, cílios postiços dourados e uma plaquinha que avisava: “Não cutuque a onça com vara curta”.
  Para ela, os adereços vendidos por ambulantes são uma verdadeira mão na roda para quem quer compor uma fantasia sem gastar muito. “Eu acho isso fantástico. É uma possibilidade de gastar pouco e criar uma fantasia legal no improviso. O importante no Carnaval são a criatividade e a irreverência”, afirma.
  Inês ressalta que os adereços vendidos pelos ambulantes acabam servindo como inspiração para pensar nas fantasias que usa diariamente. “Vejo na rua e já começo a imaginar”, diz.
  Já a amiga Mônica de Almeida Rocha, que usava um corpete vermelho de renda, cílios postiços, adesivos que imitavam pedrarias, aproveitou e comprou chifres de diabinha. “Exceto a roupa, todos os adereços foram comprados com vendedores ambulantes. Gastei pouco e estou pronta para a festa”, avalia Mônica. Mais discreto, o seu esposo, José Francisco Neves, aproveitou para comprar uma tiara de anjo para entrar no clima da festa. “Sou o anjo da turma”, brinca.
Saias na moda - Outro item que tem feito sucesso entre as mulheres são as saias de tule, estilo “tutu”. Coloridas e leves, elas dão um toque especial a qualquer produção e são vendidas, em média, por R$ 15 
  Esta foi a aposta da estudante Michele Freitas, 20, que incrementou o visual com um body colorido, meia calça de arrastão e uma tiara de flores, quase todos comprados em ambulantes. “Só o body comprei em loja. O resto foi tudo em ambulante. São opções baratas e tem coisas bem legais. Dá para compor vários looks”, destaca a estudante.
  A saia de tule também foi a escolha da dona de casa Marina Andrade para compor a fantasia da filha Emily, de 3 anos. "Ela está parecendo uma bailarina. Ela gosta de usar a saia até quando está em casa", comenta.
  Além de adereços, há vendedores ambulantes que também oferecem opções de brinquedos para as crianças se divertirem no Carnaval. Entre os itens mais vendidos estão as armas de água, que custam entre R$ 10 a R$ 40, dependendo do tamanho, além de martelos de plásticos, balões de gás e os famosos sprays de espuma, que devem ser utilizados com cuidado e segurança.