quarta-feira, 18 de setembro de 2019
Economia

Cooperativas baianas da agricultura familiar estão na Climate Week

O encontro reúne representantes de 26 países e cerca de 5 mil pessoas para debater a crise climática no planeta
SDRBahia , Salvador | 22/08/2019 às 20:04
Cooperativas baianas da agricultura familiar participam da Climate Week
Foto: divulgação
O sistema agroalimentar mundial passa por desafios e traz como consequências o aumento do desmatamento e de doenças relativas ao consumo excessivo de determinados produtos com agroquímica, produzidos pelo sistema convencional.  Todo esse cenário requer uma série de transformações e a agricultura familiar é uma das possibilidades de preservar a biodiversidade.
Nessa perspectiva, o Governo do Estado, por meio do Bahia Produtiva, projeto da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), apoia a participação de quatro cooperativas da agricultura familiar da Bahia na Semana do Clima da América Latina e Caribe (Climate Week), que acontece no Wet'n Wild,  em Salvador, até esta sexta-feira (23).
O evento, idealizado pela Organização das Nações Unidas (ONU) é uma preparação para a COP25 (Conferência sobre Mudança Climática), que acontecerá em dezembro, no Chile, para discutir sobre o enfrentamento da emergência climática, tema de urgência mundial.
Participam do evento, a  Cooperativa da Cajucultura Familiar do Nordeste (Cooperacaju), de Ribeira do Pombal, a Cooperativa da Agricultura Familiar e Economia Solidária da Bacia do Rio Salgado e Adjacências (Coopfesba), de Ibicaraí, a Cooperativa de Produção da Região do Piemonte da Diamantina (Coopes), de Capim Grosso, e a Central de Comercialização das Cooperativas da Caatinga, de Juazeiro.
De acordo com o assessor especial do Bahia Produtiva, Guilherme Martins, é importante inserir cooperativas da agricultura familiar em uma discussão dessa natureza, em um ambiente de debates e de comercialização, como da Semana do Clima 2019: “A intenção é que os gestores, as organizações mundiais, gestores públicos e a comunidade que discutem essas questões de mudanças climáticas possam ter conhecimento de projetos como o Bahia Produtiva, que apoia as cooperativas incentivando a sociobiodiversidade na Bahia e adota ferramentas de manutenção e preservação do meio ambiente”.
Para o presidente da Cooperacaju, Icaro Rennê, essa é mais uma oportunidade que o Governo da Bahia proporciona às cooperativas, que mostraram seu potencial para o público de diversos países: “Participar desse evento do clima, nos proporcionou demonstrar a riqueza da agricultura familiar da Bahia, e o que nós temos de diversidade. O clima é o principal fator responsável por essa produção diversa da Bahia, um estado tão vasto e com grande riqueza de clima e produções”.
O presidente da Coopfesba, Osaná Crisóstomo, destacou que é essencial que  cooperativas, associações e agricultores familiares tenham esse momento de diálogo: “Precisamos discutir como vamos projetar daqui pra frente, sobre a alimentação saudável, o apelo à qualidade, e, também, sobre a preservação e conscientização que são um grande desafio, pois nós agricultores temos que estar preparados para essas intervenções da natureza, pra saber como nos proteger e produzir um alimento cada vez melhor”.
O encontro reúne representantes de 26 países e cerca de 5 mil pessoas para debater a crise climática no planeta. A consultora de agricultura do Canadá, Hannah Simmons, conheceu os produtos das cooperativas da Bahia: “Amei os produtos como caju, cacau e mel. Cada vez que eu tenho oportunidade de apoiar e comprar os produtos, eu faço, porque eu adoro valorizar este tio de produção da agricultura familiar e a gente tem que andar junto nesse caminho pra mudar a agricultura”.