quarta-feira, 21 de abril de 2021
Colunistas / A Boa Mesa
Dom Franquito

DOM FRANQUITO APRECIA O OMELETE COM CARNE DE SOL DO VILA CRIATIVA

Restaurante Vila Criativa, Largo do Bonfim, 35, Salvador da Bahia
12/12/2020 às 09:11
 Esta é a 43ª crônica do livro Dom Franquito mais 96 restaurantes ao redor do mundo posta no wattpad. Leia abaixo e as demais no aplicativo.

  DOM FRANQUITO APRECIA O OMELETE DE CARNE DE SOL DA VILA CRIATIVA

  Imagine você numa casa tipicamente de Salvador, num local que tem a cara da capital baiana, vista para a basílica do Senhor do Bonfim, decoração bem soteropolitana, artigos de presentes todos típicos da Bahia - pimentas, cocadas, adereços, guias, camisas, etc - e uma comida com tempero indo-euro-afro-baiano.

  Esse local existe ou é ficção. É invenção do articulista de A Boa Mesa?

  Ora, ora meu caro leitor, minha bondosa leitora existe e fica lolcalizado na Colina do Bonfim num antigo rancho de romeiros - reformado e adaptado para restaurante - e tem o sugestivo nome de Vila Criativa.

  Ao chegar, um pouco de cuidado com a escadinha que dá acesso ao local, degráus antigos, uma gradinha, uma pérgola e dois salões bem decorados com panelas de barro, penelas de aluminio, colheres de pedreiro, fifós, lanternas, caçarolas, peneiras, fotos, uma infinidade de bisquis, e objetos para venda, souvenies.

  Assim é o Vila Criativa: como se vocês estivesse entrando numa tipica casa baiana - casa de morada e de negócios - dessas em que a familia mora no primeiro piso e a tenda é embaixo. O atendimento é primoroso e a Vila reabriu no último dia 4 diante da pandemia com todos os protocolos, medição de temperatura e distanciamento entre as mesas, garçons com máscaras e saquinhos e álcool gel nas mesas.

  O cardápio ainda está muma folha de papel com letras miudinhas e a sugestão do Fred, garçom que nos atendeu, mui gentil, foi de experimentar os pastéis - frango, camarão, carne - e as casquinhas de siri.

  Como estávamos yo, mi nieta Luna e a madame Bião de Jesus aceitamos a sugestão das casquinhas, pero, mi nitea, que não saboreia frutos do mar, solicitou batatas fritas.

  Adorou: as batatas são servidas num pequeno cesto e yo também as bilisquei porque são servidas com molho e dois tipos de queijos e mi nieta só gosta das potatos copm sal. Eh! garota cheia de 9 horas.

  La señora Bião já sorvia uma heineken que também adora e a casquinha de siri que degustava com prazer. Ai foi que a gelada desceu leve. Quis uma segunda e o Fred, com mil desculpas, disse que havia acabado. Ela então solicitou uma devassa puro malte tropical. É normal essas coisas em restaurantes da Bahia. A gente já está tão acostumado que nem reclama.

  Ficamos admirando a decoração da casa e mi nieta nos dando lições sobre relaciionamento abusivo, amor ilusório e 'cat fish' da internet. Esses adolescentes de hoje sabem coisas do arco da velha. E Yo, que sou deste tempo, da Vovó Benta, fiquei a escutar e a tirar dúvidas com ela, a qual quando dá pra falar é uma matraca. Só para quando o bispo pede.

  La senôra Bião de Jesus, católica que é, devota de vários santos, de olho na madre (luna) e de outro na missa (o garçom Fred) solicitou um pastel de camarão. Imaginei que fosse um pastelzinho de entrada. Chegou um pastelzão. Saboroso. Até yo, dei umas dentadas nas bordas.

  E, papo avançando tarde a dentro, fiéis entrando e saindo da basílica, solicitei de principal um omelete recheado com queijo mussarrela, salada e carne do sol. Nunca tinha experimentado essa especialidade. Seria a primeira vez. E fiquei admirado com a beleza do empratamento e o sabor da comida. Uma maravilha.

  Las chicas pediram filé na chapa com fritas, arroz, purê, vinagrete e feijão de corda. De dar água na boca. Elas cairam sem dó e piedade. Ainda assim, não conseguimos comer tudo e levamos a sobra para casa. La Jesus, feliz, ao dizer que no domingo, não precisava cozinhar.

  La chica Luna disse que algo estava pesando no seu corpo e folgou o botão da bermuda. 

  Agradecemos ao Fred a gentileza, pagamos a conta e rumamos para a Sorveteria da Ribeira. Luna jurava, no carro, que não queria mais nada, nem um meia bola de chocolate ou coco. 

  Na tienda de gelatos ficou admirada com uma crônica de Sêo Franco presa em moldura na parede quando ele ainda tinha cabelos negros. La Jesus na fila. Uma bola de coco para mim e duas de morango e coco para ela. Quando la Luna viu protestou: - Yo também quero. E ganhou uma bola de baunilha. 

  Fomos então para a balaustrada da península apreciar o mar calmo da Baía de Todos os Santos, as minas pra lá e pra car, os minos também, as familias, a cidade em movimento.

_______________________________________

Vila Criativa Restaurante 

Largo do Bonfim, 35

(Colina do Bonfim, Salvador)

Fone 71.3023.4497 

Abre às 10h para almoço e jantar

Omele de Carne de Sol R$35,00

File na Chapa R$95,00 (para dois)

Casquinha de Siri R$15,00

Pastel de Canarão R$15,90

Heineken 600 mil - R$15,00

Devassa R$13,00

Coca Cola lata R$6,00

Batata Frita R$20,00

Cobra R$10,00

Estacionamento zona azul ou privados

Não tem ar condicionado

Aceita todos os cartões

Classificação 4 DONS