terça-feira, 25 de julho de 2017
Colunistas / A Boa Mesa
Dom Franquito

DOM FRANQUITO conhece o ADAMASTOR e saboreia um clássico da casa Casa

Casa ainda atua em 'soft-opening' e alguns dos vinhos da carta não tem para os clientes
12/05/2017 às 18:20
 Fui conhecer o mais novo restaurante da capital baiana, o 'Adamastor', do Fera Pálace, na Rua Direita dos Mercadores ou Direita do Palácio, que a Câmara de Salvador numa atitude até irresponsável trocou para o nome de Rua Chile, a mais antiga da cidade. 

   O local leva o nome do Sêo Adamastor Rocha, pai de Gualber Rocha, e que neste ponto comercial rés-do-chão da rua tinha uma loja de confeções para homens e vendias ternos, gravatas e sapatos sociais. Quem na Bahia, nos anos 1960/1970 queria ficar nos trinques, elegantes no sentido clássico da palavra, tinha que passar no Adamastor.

    Nessa época, a Rua Direita do Palácio era o centro comercial mais importante da cidade e o 'Adamastor'  batia de testa para a 'Sloper', que era a loja de grife e bijus, jóias e perfumes para mulheres; a 'Livraria Civilização Brasileira' e um pouqinho mais acima 'As Duas Américas', magazine que instalou a primeira escada rolante da cidade.

   O 'Adamastor' antigo se situava no Pálace Hotel, hoje Fera Pálace, e o restaurante do hotel ficava no primeiro andar e servia clássicos da culinária brasileira, o filé a cavalo e a moqueca baiana. Agora, no Fera, o restaurante foi para o térreo, exatamente onde ficava o 'Adamastor' de Sêo Rocha, um lugar aprazível, bem climatizado, com atendimento de excelência, mas, ainda funcionando com 'abertura suave', o que elas chamam de 'soft openning'. Ou seja, há um cardápio básiso em tudo: na comida, nas sobremesas e nas bebidas.

   Ainda assim, não era para faltar algunas botellas. Yo mesmo pedi a simpatississima Sabrina, a garconete ainda em treinamento, um tinto Morgadio de Mora Reserva, do Alentejo português, uno Syrah, a moça foi toda solícita pegá-lo, mas, em instantes voltou dizendo que 'sentia muito' mas não tinha. 

   Pelo sim, pelo não, uma vez que la señora Bião de Jesus estava a fim de um vino, solicitei o seguinte no 'cardápio suave', um Dão Jardim de Estrela e a jovem garçonete mais uma vez apressou-se em atender-nos, pero, voltou novamente com as mãos abanando.

   -Já presenti, disse yo, quando vi a face da menina, não há...não se preocupa.

   - Então vamos saborear um branco emendou la señora Bião.

    Sabrina interveio: - É melhor eu ir ver o que tem.

   E, os que tinha passava do meu crédito no Visa. De forma que, optamos, yo por uma long neck beer, e ella por um mojito.

   A casa estava lotada. Local novo, agradável, belo, decoração harmoniosa , light, boa sala de espera, nos sentimentos à vontade.

   Dá sempre prazer ir a um local assim. Creio que faltou uma pequena band jazz para acalentar nossos sonhos ou mesmo um piano. 

   Mas, então, não havendo, paciência. Faz parte. 

   Optamos por clássicos da casa: filé de peixe grelhado com vinagrete de manga servido com legumes cozidos, quase veganos; e la Bião pelo filé a francesa, com presunto, batata frita, ervilhs frescas, cebola e molho roti. Esse também era um dos pratos clássicos do Chile, no antigo Pálace, com a diferença que, naquela época, os garçons usavam smoking. Hoje são mais tropicalistas.

    La Bião não gostou da acidez e preprado do mojito, disse que o servido no Bistrô Cuco, do Pelô, é bem melhor. Despois disso, optou por uma Stela Artois.

    Os pratos srvidos foram bem comportados. O peixe estava excelente, textura na medida e bem temperado. Os legumes nem tanto assim. E o filé, bem agradável, no ponto. 

    Passaram com mediano louvor. O 'Adamastor', até para honrar o nome do velho alfaiate, tem muito a melhorar. Como ainda está em 'abertura suave', desculpe não usar o termo 'soft oppening' (acabei usando) está perdoado.

    Vou voltar por lá. Esta semana soube pela girl jornalista Olivinha que a casa vai adotar um pf comercial para executivos do centro e outros profissionais liberais, na base de 30 mangos. É, mas cobrando R$12,10 numa long neck que no atacado custa R$3,00 tá salgado.

   Uma coisa importante a destacar é que o Fera Pálace e seu 'Admastor', e vem muito mais coisa bacana nesse prédio art-déco da Rua Direita e outtros investimentos que Grupo Massafera está fazendo no centro, já está levando muita gente ao centro histórico nesse trecho da cidade. Gente que não ir por lá há anos. 

   Creio que, com outros investimentos, o Emiliano, e uma atenção maior em segurança e ordenamento no centrão, vai reanimar a Rua Direita do Palácio, não mais como na época da Mulher de Roxo e das Óticas Viuva Neves, mas, vai ser legal.
--------------------------------------------- 
ADAMASTOR RESTAURANTE
Fera Palace Hotel
Rua Direita do Palácio (Chile)
Centro de Salvador
fONE 71. 3266.0487
Recomenda-se fazer reserva
Filé a francesa R$48,00
Peixe com legumes R$35,00
Mojito R$25,00
Long neck R$11,00
Cheese cake com caldo de jabuticaba R$20,00
Estacionamento com manobrista R$20,00
Cobra 10%
Aceita todos os cartões
Abre todos os dias - almoço e jantar
Classificação 3 DONS