sexta-feira, 30 de outubro de 2020
Direito

Transalvador retém 31 CNHs na volta das blitze da Lei Seca

Mais de 300 motoristas foram abordados pelos agentes da Transalvador
Secom Salvador , Salvador | 21/09/2020 às 19:33
Transalvador retém 31 CNHs na volta das blitze da Lei Seca
Foto: Divulgação

Mais de 300 motoristas foram abordados pelos agentes da Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador) durante a primeira semana de retorno das blitze diárias da Lei Seca, iniciadas no dia 14 deste mês em diversos pontos da cidade.

 

Dos 315 veículos abordados, 29 condutores se recusaram a fazer o teste do bafômetro e 31 tiveram a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) apreendida. Outros quatro foram autuados por direção seguida de ingestão de álcool em quantidade de até 0,29 miligrama por litro de ar.

 

Ainda durante as blitze, seis veículos foram apreendidos e outras 37 infrações diversas foram registradas pelos agentes da Transalvador. Nenhum condutor foi flagrado com o índice de álcool no sangue maior que 0,30 mg/l, o que configura crime de trânsito.

 

Protocolo - Para retomar as blitze, a Transalvador adotou um protocolo de segurança contra a Covid-19, visando proteger tanto os servidores públicos quanto o cidadão. 

 

Os agentes foram orientados a reforçar ainda mais a higienização dos equipamentos usados a cada teste realizado e evitar aglomerações nas abordagens. Além disso, os condutores têm a temperatura aferida antes da abordagem, só tendo acesso ao etilômetro quem está com a temperatura abaixo de 37,8°C. Os mesmos cuidados foram adotados pelos profissionais da Transalvador, que não abdicaram do uso das máscaras, luvas, óculos ou protetor facial. Além do uso do álcool em gel disponibilizado para cada equipe.

 

“É comprovado que as blitze da Lei Seca são importantes instrumentos para coibir condutas irresponsáveis no trânsito. Com essa retomada, adotamos um protocolo de segurança todo especial para não descuidar da saúde do cidadão. Com as nossas abordagens diárias, Salvador se tornou uma referência no Brasil em termos de promoção da segurança viária, já que essa iniciativa refletiu na queda no número de acidentes”, salientou Fabrizzio Müller, superintendente da Transalvador.