quarta-feira, 08 de dezembro de 2021
Cultura

PROJETO VENCEDOR DE EDITAL DA FGM CONCORRE NO FESTIVAL RIO WEB

O projeto conta com cinco episódios disponíveis para visualização na plataforma YouTube
Secom Salvador , Salvador | 14/10/2021 às 18:13
A Bahia Já Me Deu
Foto: Divulgação

A websérie “A Bahia Já Me Deu”, contemplada pelo Prêmio Anselmo Serrat de Linguagens Artísticas da Fundação Gregório de Mattos (FGM), está concorrendo na categoria “Melhor Série de Variedades” no #RioWebFest2021 com outros oito concorrentes. O projeto conta com cinco episódios disponíveis para visualização na plataforma YouTube, tendo como proposta contar as histórias dos músicos baianos negros, responsáveis pela criação de discos de vinil, discografias do passado e da cena contemporânea.

 

O presidente da FGM, Fernando Guerreiro, destacou que a Lei Aldir Blanc tem alcançado resultados surpreendentes em Salvador, pela qualidade dos projetos. Sobre a websérie, Guerreiro afirmou que, em razão do vinil ser um item de colecionador, está ligado à memória e à afetividade.

 

“A gente sempre acaba remetendo a uma relação amorosa e o que André faz é um resgate de figuras e grupos na nossa história”. Ele lembrou que o projeto traz grupos e figuras importantes, que precisam ser resgatados, para que não se percam no tempo, acrescentando que o vinil é um veículo que ajuda a resgatar essas memórias.

 

As gravações contaram com a participação de Chocolate da Bahia, do grupo Apaches do Tororó – primeiro grande bloco de índio de Salvador -, do Araketu, e de familiares da sambista Claudete Macedo. “Cada episódio segue no ritmo da pessoa abordada, cada um tem uma dinâmica”, diz Guerreiro.

 

O gestor também previu que Salvador terá um estouro do audiovisual, potencializado pela pandemia, com benefícios para a economia criativa. “Isso tudo está ligado à websérie, com muita qualidade documental, imagem, técnica, e merece a indicação ao festival”, comentou.

 

Motivação – Idealizado pelo músico André Oliveira, o projeto foi desenvolvido em meio à pandemia da Covid-19. Seu maior receio era de que o projeto não fosse finalizado no tempo previsto, tendo em vista que a maioria dos entrevistados é idosa. “Deu tudo certo, fora essa situação pandêmica, o processo foi muito enriquecedor. Mexer com as memórias desses artistas negros da cidade e os locais de afeto é muito importante”, explica.

 

O músico ainda relata a felicidade em saber que seu projeto estava concorrendo oficialmente no festival internacional. “Foi uma sensação de alívio, pois indica que o projeto tem sua potência não só na Bahia, como em outros estados e países”, disse.

 

Para Oliveira, a indicação tem um enorme significado, pois através dela poderá contar as histórias de artistas negros, muitos esquecidos até mesmo em Salvador. Ele ainda destaca que, independentemente do resultado, em novembro no Rio, a cidade de Salvador e seu povo negro estará representado.

 

Rio Web Fest – Na 6ª edição, o #RioWebFest2021 acontece na cidade do Rio de Janeiro, de 25 a 27 de novembro. O prêmio possui cerca de 60 categorias e tem como indicados Manu Gavassi, Míriam Castro e Fernanda Paes Leme. A votação é realizada por meio popular e estará aberta até o dia 25 de novembro, através do site oficial do evento no link https:// riowebfest. net/ pt-br/ voto-popular/.

 

O projeto “A Bahia Já Me Deu" foi contemplado pelo Prêmio Anselmo Serrat de Linguagens Artísticas, da Fundação Gregório de Mattos, Prefeitura Municipal de Salvador, por meio da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc, com recursos oriundos da Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal.