quinta-feira, 22 de abril de 2021
Cultura

ENSINO MÉDIO REMOTO SEC VAI BEM, MAS HÁ CRITICAS A REDE DE CARIDADE

Mais apoio aos alunos e aos professores que não tem computadores de qualidade (Comentário de TF)
Tasso Franco , da redação em Salvador | 29/03/2021 às 18:01
Mais apoio aos alunos e aos professores que não tem computadores de qualidade
Foto: SEC
      Em conversas com professores da rede estadual de ensino na Bahia podemos afirmar neste BJÁ que a volta às aulas na rede estadual do ensino médio remoto tem um bom êxito, ainda que faltem apoios aos professores e aos alunos do ponto de vista material. Estima-se, dados dos professores e não da Secretaria de Educação do Estado, que algo em torno de 70% dos alunos estejam tendo aulas na rede on-line.

   Os pontos que os professores consideram ainda a exigir uma ação do governo do Estado através da SEC são apoios financeiros ao corpo docente e ao alunado nos equipamentos que possuem para dar e assistir as aulas. Diz-nos uma professora em off: "Eu possuo um iphone de qualidade e um laptop também, além de uma rede de dados paga por mim - incluindo o consumo de energia e outros - e isso a SEC tem que levar em conta nos dois lados: ajudar-me nessas despesas (a mim a demais professores que também possuem equipamentos de qualidade) e oferecer aos que não possuem uma linha de crédito barata para que eles possam comprar equipamentos de última geração".

   Segundo esse professor muitos dos seus colegos não possuem sequer iphones dos mais modernos e laptopos bons o que dificulta a transmissão de dados. E, no outro lado (dos alunos) uma parcela imensa deles não dispõem de aparelhos e de pacotes de dados que sustentem uma semana de aulas, um mês de aulas. "Já tive aluno que me falou isso: meu pacote de dados acabou e só vou assistir a aula até aqui", frisa.

   Por enquanto, professores classificam a rede da SEC como de 'caridade'. Ou seja, há boas plataformas à disposição dos professores e alunos oferecidas pelo governo da Bahia, especialmente a Enova do Google - onde todos podem gerar e-mails e acessar - mas é preciso dar mais treinamentos aos professores e ajuda financeira.

    Há uma proposta sugerida pelo governador Rui Costa e divulgada na rede da compra de computadores através de uma linha de crédito do Banco do Brasil, mas isso ainda não foi efetivado.

   Outra questão a ser ainda analisada tecnicamente e implantada são mecanismos de segurança que bloqueim mensagens de alunos (alguns mandam filmes pornôs e agridem professores) no compartilhamento das telas.

   Evidente que todas essas questões estão sendo analisadas pelos técnicos da SEC e certamente serão equacionadas com o tempo para que a rede opere com capacidade máxima e daí possa ser implantado o ensino híbrido, metade presencial; metade on-line.

   Hoje, quem está no ensino on-line não quer mais voltar para o presencial total.