quinta-feira, 22 de abril de 2021
Bahia

PENALVA PEDE PRIORIDADE NA VACINAÇÃO DE AGENTES DA SEGURANÇA PÚBLICA

O vereador pediu a inclusão dos guardas municipais, policiais militares, civis, bombeiros e penais na lista de prioridade para vacinação
Juliana Nobre , Salvador | 04/03/2021 às 07:03
Vereador Emerson Penalva (Podemos)
Foto: Divulgação

Devido ao aumento de casos da Covid-19 entre agentes da Segurança Pública, o vereador de Salvador, Emerson Penalva (Podemos), solicitou ao prefeito de Salvador, Bruno Reis, e ao governador da Bahia, Rui Costa, a inclusão dos guardas municipais, policiais militares, civis, bombeiros e penais na lista de prioridade para vacinação contra a Covid-19. 

“Todos esses agentes da Segurança Pública estão na linha de frente no combate à pandemia do novo coronavírus, trabalhando intensivamente, principalmente, nas operações do toque de recolher em todo o estado. Entendo que é um trabalho diário de alto risco pelo seu contato direto com toda população que circula pelas cidades. Portanto existe a necessidade urgente de vacinação desses trabalhadores nesta fase mais grave e contagiosa da doença”, defendeu Penalva.

As Polícias Militar e Civil, por exemplo, atuam em conjunto com as Guardas Municipais apoiando as medidas necessárias nos municípios em que o toque de recolher está em vigor, monitorando e fiscalizando o cumprimento das determinações. 

Os sindicatos das categorias pleitearam a vacinação prioritária entendendo que “a solicitação visa proteger os trabalhadores da segurança pública que desde o início da pandemia não interromperam suas atividades realizando atendimento à população e contribuindo, ativamente, no planejamento do Estado para a contenção do vírus, dando cumprimento às determinações das autoridades sanitárias”.

Mortes – No início da pandemia, no ano passado, ao menos 7,3 mil policiais militares, civis e bombeiros foram afastados do serviço por suspeita de contaminação em todo o Brasil. Na Bahia, as mortes de agentes também chamaram a atenção para precária situação, a exemplo do coronel da Polícia Militar Siegfrid Frazão Keysselt, de 70 anos, que faleceu na semana passada em Salvador, vítima da Covid-19, e do investigador aposentado Derivaldo do Sacramento Borges, de 68 anos, no ano passado.