sexta-feira, 20 de setembro de 2019
Bahia

BISPO DE JEQUIÉ DOM RUY LOPES ASSUME A DIOCESE DE CARUARU EM SETEMBRO

Posse dia 21 de setembro
Da Redação , Salvador | 18/08/2019 às 19:05
Dom Ruy Lopes
Foto: BJÁ
    O bispo diocesano de Jequié, Dom José Ruy Gonçalves Lopes, vai assumir a diocese de Caruaru no próximo dia 21 de setembro em substituição de Dom Bernardino Marchiò, que renunciou a função após completar 75 anos, seguindo uma determinação da Igreja Católica.

    Dom José Ruy tem 52 anos e é natural de Feira de Santana, na Bahia. Ele fez seus votos na Ordem dos Frades Menores Capuchinhos em 1988 e foi ordenado padre em 1993. O prefeito de Feira, Colbert Martins Filho diz que irá a posse de dom Ruy, além de bispo seu amigo particular.

    Em 7 de setembro de 2012, Dom José Ruy foi ordenado bispo e assumiu a Diocese de Jequié-BA, onde, nestes 7 anos fez um excelente trabalho pastoral.
 
Renúncia

Dom Bernardino Marchió passar a atuar como bispo emérito — Foto: Reprodução/Diocese de Caruaru Dom Bernardino Marchió passar a atuar como bispo emérito — Foto: Reprodução/Diocese de Caruaru
Dom Bernardino Marchió passar a atuar como bispo emérito — Foto: Reprodução/Diocese de Caruaru


Dom Bernardino Marchiò renunciou ao cargo em setembro de 2018, após completar 75 anos e enviar uma carta ao Vaticano. Ele seguiu uma determinação do Código de Direito Canônico, que pede que todos os bispos com 75 anos renunciem ao episcopado.

Após a renúncia, Dom Dino seguiu como “Nunc Pro Tunc”, o que permitiu a ele continuar exercendo as funções de bispo normalmente até a nomeação do substituto. Ele seguirá como bispo até a posse de Dom José Ruy. Após a solenidade, Dom Dino passa a atuar como bispo emérito, sem obrigações com a Diocese de Caruaru.

Dom Bernardino Marchiò é natural de Busca, na Itália. Foi ordenado padre em 29 de junho de 1968 e depois bispo em 29 de junho de 1991. Na função, ele atuou em Pesqueira e depois foi transferido para Caruaru, onde está desde 2003.

Esse será o segundo caso em que um bispo de Caruaru renuncia e se torna emérito. O mesmo aconteceu com Dom Augusto Carvalho, em 1992.