quarta-feira, 12 de agosto de 2020

OLODUM RASGA OS CÉUS DO MUNDO EM AGOSTO DE 1990, p BILLY ARQUIMIMO

Billy Arquimimo
23/07/2020 às 10:40
    Após uma desistência de um convite feito a Gilberto Gil, em 1989, para participar de um festival em Glasgow, Escócia, então diretor da Fundação Cultural e também Diretor Cultural do Olodum, João Jorge, que pegou o contato e passou para mim, Billy Arquimimo, também Diretor do Olodum na época, que diretamente da Cobafi, Companhia Bahiana de Fibras, desenvolveu todas as ações com o produtor do festival em Londres, Prakash

  E, um ano após, o Grupo Cultural Olodum, com cerca de 18 integrantes, decolava de Salvador para Inglaterra, para participar do Festival da Cultura do Mundo, na cidade de Glasgow. Era um sonho que estava se materializando em ter aqueles meninos, antes de rua, se transformando em profissionais da música, dando uma incrível resposta à sociedade, di- zendo que, basta ter boa vontade, comprometimento e meta, tudo pode.

   O festival durou 13 dias e foi composto com vários grupos de outras nacionalidade sendo recheado de um calendário de atividades de rua, em teatros, escolas, desfiles, shows em palcos, além de workshops de dança e percussão.

   Lá em Glasgow, participamos da abertura oficial do festival, onde fomos recepcionados pelo Embaixador Brasileiro, pelo Diretor Executivo do Festival, Sr. Kofi, os diretores e pro- dutores, Srs. Robert e Prakash e pela Tour Manager, Senhora Patrícia Till.

  Na cerimônia, havia uma grande expectativa com a presença do Olodum e a fala do seu Diretor João Jorge e lá estava eu como tradutor. Após as saudações normais e falar da importância de um grupo sair pela primeira vez de Salvador Bahia, no Brasil, do bairro do Maciel, Pelourinho para participar daquele festival, João Jorge, na sua fala, provocou a todos, dizendo que:

  "A música, os ritmos dos tambores do Olodum faziam com que o diabo que estavam dentro das pessoas, ao ouvirem o som, ele, começava a sair dos seus corpos, fazendo com que, as pessoas demorassem e dançavam livremente”.

  Essa fala gerou um bafafá, as pessoas não entendiam o porquê do diabo saia dos corpos com a musica?

  Enfim, estava ali, o inicio de uma brilhante trajetória. Final das atividades na Escócia, descemos para Londres. Antes porém, realizamos um show na cidade de Birmingham.

   Em Londres, participamos de atividades culturais, organizadas pelo Conselho Britânico, também, produzidas por Robert e Prakash.

   Após o encerramento das atividades, eu permaneci em Londres por mais uns dez dias, onde pude garantir o retorno da banda no ano seguinte, que cumprimos um novo calendário de atividades, com outros grupos, que incluiu eventos em Londres, na Holanda, em Amsterdam, na Alemanha, nas cidades de Berlim, Leipzip e em outras duas cidades. 

   Como trabalhador do Polo Petroquímico de Camaçari, trabalhando na Companhia Bahia- na de Fibras, que tinha como Gerente Sr. Walter Cid, que me deu todo apoio para organizar a viagem do Olodum, onde eu era Técnico de Relações Internacionais, a Cobafi foi a grande parceira do Olodum, nesse primeiro projeto internacional, além de também, ter participado de outros projetos, como fez doação da Corda do Carnaval do Olodum.

   Esse foi outro bafafá. Um bloco de carnaval com a corda com as cores da entidade!!!!! Nesse texto, tenho que render os meus agradecimentos aos gestores da empresa da época: Walter Luis Cid do Nascimento, Saraiva, Ildecio Medeiros, Zig e José Gomes.

  E assim relato esse primeiro ponta pé internacional do Olodum que dentre outras ações. Deus me permitiu desenrolar ainda um projeto ainda não sonhado, tornar-se realizado e dali, a banda tornar-se internacional, viajando todos os anos. 

   Fizemos no ano seguinte uma viagem de quatro meses que fomos até a Ilha da Reunião na África. E a cada ano, o grupo aprimora a a sua performance de palco, repertório, composição de integrantes, Agent Booking, onde a partir da terceira viagem, passa a ser organizada por Frank Abraham e produzida por João Jorge, como sempre a produção executiva do grupo.

  Se para aqueles meninos do Maciel Pelourinho, bairro com um excelente projeto social, mas com sérios problemas de desigualdade social, desemprego, moradia, dentre outros, foi um sonho inesquecível, para mim não foi diferente.

  Ter saído dos buracos de Amaralina e com meus esforços é claro, contribuir decisivamente para o grupo Olodum, aportar em Londres, no dia 13 de agosto de 1990, o dia mais quente do Século naquela época e de ônibus, partindo para Glasgow na Escócia.
.
  Fora tudo isso, o Olodum influenciou a criação do London Afro Bloco - Afro Bloco de Londres, motivou a percussionistas ingleses e africanos a aprenderem o Ritmo Samba Reggae e depois realizarem muitos workshops.

   A Bahia ganhou por vários anos, visitantes Ingleses nas festas momescas e construímos muitas amizades.Tenho até hoje muitos amigos, como consequências dessas viagens, já que participei das tornes por uma década.

  Tudo que vi e aprendi, são marcantes na minha vida para sempre. Obrigado Olodum
Billy Arquimimo, Ex Conselheiro, Ex Diretor do Olodum, responsável pelo dept de Rel. Internacionais, de de 1990 a 2000. Gestor de Turismo e Eventos. Ex Coordenador de Turismo Étnico Afro e Gerente de Relações Internacionais da Bahiatursa / Secretária de Turismo do Estado da Bahia.