ter?a-feira, 22 de setembro de 2020

O GRITO DO IPIRANGA DA PRESIDENTA DILMA

ZédeJesusBarrêto
07/09/2011 às 20:09
Foto: IG
Em Brasília, apoio ao faxinaço que esbarrou no PMDB
            O pronunciamento da presidente Dilma na noite de terça, dez minutos em rede nacional, às vésperas do Sete de Setembro, foi um recado. Bem endereçado. À nação como um todo e a alguns espertinhos, em particular.

Olho na câmara, o foco em 2014, a ‘presidenta' acesa, edição enxuta, sem efeitos, texto marqueteiro redondo, no momento preciso, adequado: O nosso Lula se botando, como sempre; o PT ciscando e bicando, pra variar; o PSDB juntando os trapos, gaguejando; os malfeitores de Brasília ‘cautelosos porém ousados', periculosos; o crescimento se encolhendo, a inflação mostrando as garras, a economia se sustentando no olho do furacão; nossa saúde pública penando, o ensino fundamental desaprendido nas escolas, as políticas pacificadoras mandando bala nas favelas, as drogas pesadas violentando a família ...

Lá fora, os fantasmas das Torres Gêmeas ainda assombram a América combalida do mulato Obama, a Europa está raspando o tacho, o mundo islâmico em constante rebuliço, a China, distante, amarelando o planeta e o ‘chifre' da África corroído, se acabando aos poucos pela violência da fome, da miséria humana; mais ventos e tempestades arrasando pobres e ricos, tremores de terra nesse ano de Iansã, a Oyá do fogo e dos mortos ...

Voltando à mensagem da presidente Dilma, ela foi clara: ‘Vamos tocar o bonde porque a parada é crise'. Investir, comprar, acreditar, combater a miséria. No mais, tome-lhe números e discurso afiado sobre ‘o que fizemos e o que vamos fazer', bem no modelito ‘horário eleitoral de campanha'. Afinal, 2012 está nas bocas, tem muita prefeitura em disputa, grana preta na partilha, e em 2014 acontece a Copa do Mundo de Futebol mas também, e sobretudo, é ano de eleições para governador e ... presidência da república! A bolinha já está rolando, fora de campo.

Portanto, quem já está se assanhando que fique sabendo: nossa ‘presidenta' tem o poder, está ligada, não vai tolerar falsetas, e que ela, como o país, está forte para ag?entar os trancos, de fora e de dentro. Palavra de mulher! Presidentíssima, candidatíssima! A quem interessar possa.
*