sexta-feira, 30 de outubro de 2020

"NÃO ME ABANDONE JAMAIS", O MELHOR FILME DE MARÇO

Diogo Berni
02/04/2011 às 15:28
Foto: DIV
Não me abandone jamais é a história de 3 amigos que crescem juntos num internato inglês
  O que escrever do bostético filme Passe Livre?

   Primeiro estava no filme errado, pois trata-se de uma estória bem norte-americana sobre casais, o que não é o meu caso. Mas, uma película a dois real pra fugir ainda por cima de um escaldante sol de verão as duas da tarde em Salvador, vale qualquer filme mesmo, de modo que não tenho sinopse nenhuma a fazer, só lamentar a "cara" dos casais atuais, onde estes são ocos.

  Deve ser por isso que ainda sou solteiro.. VIPS é uma puta de um filme bem feito, embora não tenha muito roteiro. Quero o documentário à vera deste, pra comparar melhor. Não me abandone jamais é um filme tocante, emocionante, fascinante e todos os qualitativos positivos de "ante" que se tenha.

   Aborda coisas, valores importantes, como doação ao extremíssimo, mostrando que a vida que vivemos pode ser muito melhor. A maneira como a qual encaremos as coisas é que deve ser mudada, assim mudamos, e pra melhor pros outros e pra gente. O melhor filme de março sem dúvidas.

   Poucas, hoje, são as películas que fazem chorar, e esta faz. Puta filme mal elaborado e sem graça foi o Atividade Paranormal em Tóquio, nem meu japa deu pra treinar bem devido à péssima atuação dos personagens: dois irmãos vagabundos e paranóicos. A nota é zero.
 
   Vi, quer dizer, achei um filme nacional bacana em TV fechada. Praça Sãens Pena, ou algo parecido. Um filme todo rodado no bairro da Tijuca, mostra o cotidiano de uma família de classe média baixa brasileira. Legal por mostrar com visceralidade essa realidade. Para os filmes do mês de março é nota 8!
 
   Pra fechar o balanço de março não poderia fugir da morte do querido Alencar e a visita de Obama ao Brasil ou ao Rio.

   Sobre José Alencar, acho sinceramente que ele nunca deveria ter se metido em política. Nesses oitos anos que o acompanhei como vice-presidente, em momento algum, enxerguei sobriedade no que ele falava e no que ele fazia, muitas vezes indo contra o seu presidente, como a taxa de juros no início do primeiro mandato de Lula.

   Na Política, Zé Alencar fora sempre um peixe que procurava água e não achava, de modo que só posso o classificar como um peixe fora d'água.

   Poderia muito bem ter ficado só como empresário, mas que vá em paz!

   E o que dizer de Obama no Rio com Dilmão pé de feijão? "president rousseff, tu és um sapatão". Foi isso que ele quis dizer o tempo todo.

  Dilmão impôs respeito no cara, dizendo que queria a quebra de impostos para sucos de laranja e tudo mais, e ele mais uma vez quis dizer: "Presidente Rousseff, vai tomar banho que não vou ajudar a ninguém na America do Sul". E ficou assim: ele por ela; eles por eles; menos elas por elas