sexta-feira, 30 de outubro de 2020

SHOW DE ABERTURA DO CARNAVAL NEM NA COPA DE SERRINHA

Tasso Franco
06/03/2011 às 11:03
Foto: Alberto Coutinho
Baianada é hospitaleira com turistas e fitinha do Senhor do Bonfim é marketing antigo
  O Carnaval de Salvador está maravilhoso, com seus altos e baixos naturais numa festa desta dimensão.

  Registro, no entanto, que a abertura oficial do Carnaval foi mambembe, um fiasco. E põe falta de organização e objetividade nisso. O prefeito JH, o secretário Domingos Leonelli, o rei Momo recebendo as chaves da cidade e as garotas da Didá fazendo um batuque na passarela do Campo Grande.

  Ora, para a dimensão que é o Carnaval de Salvador, desde a administração do prefeito Antonio Imbassahy (1997/2004) inserido no Guiness Book como a maior festa de rua do gênero no planeta, era de se esperar um espetáculo de grandeza na abertura da festa. Como aliás acontecia na gestão Imbassahy, com apresentação do Bloco da Cidade, homenagens a personagens internacionais da Bahia, Jorge Amado, João Ubaldo Ribeiro, e presenças de artistas do primeiro naipe da MPB.

  Mas, o que se viu foi um circo mambembe, discurso vazio do prefeito e pequenez dos organizadores da festa. Aliás, diga-se de passagem, o prefeito JH, sem compreender a importância do Carnaval de Salvador já promoveu uma abertura da folia no bairro de Cajazeiras. É mais ou menos como se o prefeito do Rio fosse abrir o Carnaval carioca em Bangu.

  Salvador está na antevéspera da Copa do Mundo de Futebol, que acontecerá no Brasil, em 2014. Até lá o prefeito da capital será outro e o governador do estado, com a desencompatibilização de Wagner para candidatar-se ao Senado, em abril de 2014, o governador será Otto Alencar, no momento da Copa, junho de 2014.

  A capital baiana pleiteia ser a sede de abertura da Copa. Tem sentido porque Salvador é a cidade mãe do Brasil e não existem indefinições como acontece em SP na construção de sua arena esportiva. O ministro dos Esportes, Orlando Silva, em pré-decisão salomônica já disse que pode dividar a jornada de abertura da Copa, Salvador sediando o evento lúdico e SP, o jogo de abertura.

  Trata-se de uma decisão política inconsequente. Mas, se assim for, Salvador tem que estar preparada para fazer um espetáculo de abertura da Copa a altura dos anseios internacionais, como fez a África do Sul, recentemente. Gente capacitada e artistas de alto nivel são o que não faltam na Bahia.

  O que não pode é acontecer um vaxame desses como foi a abertura do Carnaval.