quinta-feira, 26 de novembro de 2020

A GUERRA ENTRE DAVID E GOLIAS NA TERRA PROMETIDA

Pedro Castro
16/06/2010 às 08:26

Foto: AP
A paz enternamente ameaçada na Cisjordânia
     Após a Guerra dos Seis Dias, em 1967, a Faixa de Gaza e a Cisjordânia
sofreram a ocupação militar por parte do Estado israelense, que possui
atualmente um dos maiores poderios militares do planeta e poduz armas
nucleares.

   Os confrontos entre palestinos e israelenses se assemelham a uma
guerra entre David e Golias, sendo que, ao contrário da passagem bíblica, o
poderoso Estado de Israel, o gigante em questão, invariavelmente leva uma
larga vantagem nas batalhas, sendo esta avaliação baseada nas estatísticas
das comparações de baixas entre israelenses e palestinos nas suas inúmeras
batalhas.

   Em uma área onde existia a Palestina até 1947, na ocasião uma colônia do
Reino Unido, foi criado o Estado de Israel, o sonhado eldorado para milhões
de judeus sem pátria. O mundo vivia a comoção pós Segunda Guerra Mundial
diante de um povo massacrado pelo mais vil, monstruoso e odiado ser "humano"
de todos os tempos: Adolf Hitler.

   Em visita a Israel em março deste ano, o presidente Luís Inácio Lula da
Silva, em discurso no Parlamento israelense, defendeu a criação do Estado
Palestino. E agora, outra atitude louvável da diplomacia brasileira. Aliás,
setor onde o Brasil vem se destacando como um dos "players" no
cenário internacional, vide a ciumeira de Mrs. Hillary Clinton com a
Declaração de Teerã, um acordo Brasil-Irã-Turquia onde o governo do Irã se
comprometeria a enviar seu urânio pouco enriquecido à Turquia, onde seria
trocado por material nuclear.

Recentemente, o chanceler Celso Amorim foi rápido e categórico ao condenar, de
forma veemente, o assassinato de Estado cometido por Israel contra dez
"perigosos" cidadãos do mundo que iam prestar ajuda humanitária aos
palestinos.

Que a perda destas vidas sirva para potencializar as manifestações em torno
do planeta pela criação de um Estado Palestino. E que os governantes de
Israel mudem para sábias decisões, como as notórias do Rei Salomão, filho do
Rei David, ambos de Israel.

* Pedro Castro é jornalista