quinta-feira, 26 de novembro de 2020

OS ANTIGOS JÁ DIZIAM: ABRIL, CHUVAS MIL

Pedro Godinho
30/03/2010 às 16:21
Foto: BJÁ
O abril de chuvas mil começa na próxima quinta-feira, 1
As chuvas ocorrem em função de ciclos naturais: quando a água da terra sobe à atmosfera em forma de vapor, devido ao calor solar, ela se condensa, até que, pela turbulência do ar ou pela eletrização das gotas, haja precipitação sob a forma de gotículas.

A chuva é de vital importância para o desenvolvimento dos vegetais, animais e do próprio homem, cujas atividades econômicas estão estritamente relacionadas a ela, como a agricultura e a pecuária, além de proporcionar o equilíbrio do volume d'água nos rios e lagos, responsável pela energia hidroelétrica dos países.

Em dezembro do ano passado, representantes de 192 países se reuniram em Copenhague, Dinamarca, quando comprovaram, após exaustivos estudos estatísticos, que os recursos naturais de nosso planeta vêm sendo consumidos em escala desproporcional à reposição da natureza; isso, em vista do descontrolado e preocupante aumento populacional, que já atinge o índice de 6,8 bilhões de pessoas.

Diante de medidas políticas urgentes aliadas a estudos técnico-científicos aprimorados, visando o planejamento familiar, a ONU estima que, através desses fatores, a população mundial possa se estabilizar em cerca de 9 bilhões, lá pelo ano de 2050, sem que, contudo, venham a causar traumas.

Vê-se, por conseguinte, que a água da chuva também participa favoravelmente do contexto do equilíbrio ecológico.

Quando, porém, há elevados índices pluviométricos, mormente em zonas urbanas onde a população menos favorecida aglomera-se em casas precárias e locais de alto risco, tais como à beira de barrancos ou sob eles, geralmente causam danos irreparáveis, como a morte de pessoas e prejuízos materiais enormes a elas e aos poderes públicos.
Sensível a este triste acontecimento, a nossa Prefeitura vem realizando a limpeza e desobstrução de 19.000m2 de canais e caixas de sarjetas, em toda a cidade, através da Secretaria de Conservação e obras Públicas do Salvador.

O trauma psicológico causado aos moradores pela perda de seus familiares e bens, levando-os a viver em abrigos improvisados, tornam-se um drama que os marcará para sempre, notadamente as crianças.

Atenta a este drama, a Prefeitura de Salvador, sorteou neste mês de março, 415 casas para desabrigados da chuva, situadas em novo bairro que contou com recursos de R$ 10,3 milhões do Ministério da Integração Nacional.

Ademais, a topografia de nossa cidade é bastante desfavorável, pois confluências de ladeiras e encostas direcionam as enxurradas abaixo em grandes velocidades, onde se acumulam volumosamente em locais planos onde acabam por arrastar pessoas, veículos e o que encontrarem pela frente e invadindo casas, lojas, etc., proporcionando perdas valiosas, além de instalarem surtos de zoonoses e de epidemias.

Tanto assim, que a Prefeitura, mediante a "operação chuva 2010", vem intensificando os trabalhos preventivos em variados pontos de nossa cidade, desde o início deste ano, ou seja, a desobstrução de canais, pondo à população o telefone 199 para as solicitações cabíveis.

Diante desse quadro desolador, urge providências preventivas constantes na educação do povo para que respeite certos princípios básicos de higiene e limpeza nos logradouros, a par de medidas preventivas dos órgãos públicos no que concerne à sustentação de encostas, construção de escadarias, limpeza e drenagem de rios e canais.

Essas mediadas de proteção tornam-se mais necessárias à aproximação da estação do inverno e de meses onde as chuvas são por demais severas.
É do trabalho consciente e irmanado das pessoas e dos órgãos públicos, que poderemos nos beneficiar enormemente até das chuvas torrenciais, que é um fenômeno divino fundamental para os vegetais, animais e, principalmente, para nós humanos.

Enfim, o mês de abril está chegando e com ele, as famosas "chuvas mil....".