ter�a-feira, 07 de dezembro de 2021
Colunistas / Cinema
Diogo Berni

CINEMA: o BOCA, um "tiro" no submundo paulistano

Welcome to São Paulo ou Bem vindo a São Paulo é um documentário com 17 curtas-metragens narrado por Caetano Veloso, feito em 2007
26/11/2012 às 11:18

Como o jargão popular já diz: “ não se faz uma bela omelete sem desperdiçar alguns ovos’. 

   O filme Boca, Flávio Frederico, Brasil, 2012, é uma livre adaptação do livro Boca do lixo, escrito na prisão pelo Hiroito de Moraes Joanides, vulgo o Boca . 

  Obviamente não podemos comparar filmes com livros, pois nos filmes as imagens já vem criadas e nos livros as criações de personagens e de imagens é por conta da imaginação de cada leitor.

  Dentro dos limites do possivelmente aceitável o filme não envergonha o livro, não é fidedigno, mas tem seus méritos também. 

   A começar pela incorporação do seu protagonista: Daniel de Oliveira, fazendo um Hiroito digno do personagem do livro.

   Ele era o tal Boca, onde começara desde cedo a freqüentar a região da capital paulista conhecida como a boca do lixo, ou seja, pela região ser um lixão a céu aberto. 

   Inicialmente o protagonista ia para a boca do lixo porquausa da zona de prostituição, que também existia por lá. Com o tempo e conhecendo uma prostituta ali e um traficante acolá Hiroito começa sua vida com os negócios ditos como ilegais: maconha e lança perfume. 

  Sempre com um gênio pra lá de estourado, era um fio desencabado prestes a estourar a qualquer momento. Por essa fama de maluco, o acusaram de até ter matado o próprio pai, acusação da qual ainda até hoje não se teve provas. 

  A ambientação da estória se desenrola entre as décadas de 40 a 60 do século passado da metrópole de pedra, que nesta época ainda não era de tanta pedra assim, tinha-se mais puta e maconha do qualquer outra coisa. 

   Para o Hiroito as coisas só começaram a se aprumar de fato quando conhece uma bela mulher, interpretada pela pernambucana Hermila Guedes, onde trabalhava na zona da boca do lixo, a qual em primeira vista se apaixona e se casa logo. 

   Outro alavancar para o protagonista fora o fato do surgimento da cocaína como material de consumo. Uma droga totalmente desconhecida para os habitantes de São Paulo nos anos 1950,60, fazendo que o Boca ganhasse muito dinheiro com a revenda da nova droga. 

  O filme não se esquece de pincelar os esquemas do Boca: os subornos a delegados corruptos, um dos, interpretado pelo sempre excelente Paulo César Pereio. 

   A fita tem o mérito ainda de mostrar de maneira selvagem a disputa entre o tráfico e a prostituição já naquela época,e por fim para linkarmos o filme com essa onda de assassinatos que vem acontecendo em Sampa nestas últimas semanas, percebemos que a coisa não mudou muito, apenas aumentou com o passar dos anos. 

   Outra boa produção nacional que não se encontra a luz dos holofotes, mas é melhor que o Amanhecer - Crepúsculo parte II, disso não tenho dúvida alguma.

   Com a primeira e irretocável participação do Leonardo DiCaprio no cinema , Diário de um adolescente, 1995, EUA, Scott Kalvert é, sem sombras de dúvidas, um bom filme, e passando em Tv aberta por incrível que pareça.