ter?a-feira, 18 de junho de 2019
Colunistas / Esportes
Zé de Jesus Barrêto

COPA DO BRASIL: BAHIA DERROTA SÃO PAULO NO MORUMBI,

São Paulo 0x1 Bahia, de gude presa
23/05/2019 às 10:48
COPA DO BRASIL

BAHIA DERROTA SÃO PAULO NO MORUMBI

 

  Um triunfo importante, que dá muita confiança à equipe Tricolor, um alento para o seu torcedor.  Agora, joga a segunda partida pela Copa do Brasil contra o São Paulo com vantagem e dentro da Fonte Nova, diante de seu torcedor.

  E venceu jogando bem, de forma organizada, taticamente correto em campo. No mais, quebrou o tabu de não vir conseguindo vencer fora de casa. Sim, é possível, dá para acreditar. Os atletas ganham, crescem depois de dois jogos como essa sequência em SP e com um triunfo desse, contra uma equipe de primeira linha com atletas caros, consagrados.  

*

Sâo Paulo  0 x 1  Bahia, Morumbi,  primeiro confronto eliminatório das oitavas de final. Um públicomenor que o de domingo.

 

*

Bola rolando

 Um São Paulo em campo mais jovem, mais leve e rápido do que a equipe do domingo passado - mudanças nas laterais e no meio-campo -, e ofensivo desde os primeiros minutos. Muita movimentação entre os avantes velozes e valorizando a posse de bola no meio. O Bahia fechadinho. As tramas se desenrolavam mais no campo baiano.  

  Mas, aos 13min, Douglas Augusto pegou forte de canhota, da intermediária, e assustou o goleiro Volpi, na primeira chegada dos visitantes. Os paulistas rondam mas finalizam pouco. Aos 32’, Tchê-Tchê tentou de longe, Douglas catou no chão.

 Aos 39’, após arrancada e bom cruzamento de Léo (ex-Bahia)  pela esquerda, Toró chegou antes da zaga e testou forte para ótima defesa de Douglas, no lance mais perigoso do tricolor paulista até ali. Aos 45’, Fernandão tentou de bicicleta mas não pegou forte. Foi só.

  Uma primeira etapa em que o São Paulo teve mais a bola, mais  volume  e as iniciativas. O Bahia bem plantado, arrumado, esperando as oportunidades de contragolpear. Suportou bem.

*

  O Bahia voltou dos vestiários animado, postado mais à frente,  ousando mais no ataque. Claro, o jogo ficou mais aberto e arriscado. Aos 13’, Pato ganhou uma dividida com D.Augusto, na intermediária e disparou. Muito perigo.  Aos 20 o Bahia respondeu: Fernandão ganhou da zaga e rolou para a chegada de Nino que bateu de prima, de fora, tentando encobrir o goleiro, adiantado, mas cobriu também o travessão.

  Aos 22’, Roger pôs Rogério no lugar de Fernandão, morto; e Cuca colocou Antony na frente, substituindo Éveton , mais velocidade. Aos 26, Cuca colocou o veterano Nenê no lugar de Igor Gomes.

 -  Gol ! 1 x 0  Bahia. Èlton puxou o contragolpe, Rogério dividiu com a zaga na meia lua e a bola sobrou para Élber, de frente. Bateu colocado, no canto abrindo o placar aos 27  min.

  Os sampaulinos sentiram o golpe e o Bahia continuou em cima, querendo mais. O tricolor paulista aos poucos foi se assentando e partiu para a pressão, jogando bolas na área baiana, forçando, atacando com oito, nove atletas. E, com a cobrança das arquibancadas, buscou o empate a todo custo.

  Aos 36’, Roger lançou o meio-campista Flávio no lugar de Douglas Augusto, exausto. Aos 39’, após uma dividida perdida na frente da meia-lua pela defensiva do Bahia, Nenê achou Pato enfiado na marca do pênalti; o chute saiu colocado mas bateu no poste de Douglas. Por sorte essa não entrou.

  O tempo passando e o jogo ficou tenso. Roger pôs Claiton, para ganhar fôlego e gastar tempo; o árbitro deu acréscimo de 6 minutos. A questão era aguentar a pressão, o abafa. Aos 48’, Antony foi ao fundo, pela direita e cruzou para o chute de primeira, de Pato; grande defesa de Douglas, salvando.  Aos 50’, num contragolpe, Rogério entrou de cara com  Volpi, mas chutou em cima do goleiro. Foi o lance derradeiro.

 Deu Bahia ! Um grande triunfo fora, dentro do Morumbi.

*

  Destaques   

  O goleiro Douglas, com  duas defesas salvadoras e a sorte da bola na trave. Nino e Moisés incansáveis. Firme a dupla de zaga Ernandes e Lucas Fonseca. Gregore, demais. Élber pelo gol e pela luta.  Artur...   e a aplicação coletiva. Parabéns à estratégia de jogo de Roger Machado. Uma equipe bem arrumada, eficiente.

  Pato e Tchê-Tchê foram os melhores da equipe paulista.

*

Escalações

São Paulo -  Tiago Volpi, Igor Vinícius, Walce, Bruno Alves e Leo; Tchê-Tchê, Luan, Igor Gomes; Éverton, Pato e Toró.   Treinador,  Cuca.

Bahia – Douglas, Nino, Ernando, Lucas Fonseca e Moisés; Élton, Gregore e D.Augusto; Artur, Fernandão e Elber.  Treinador, Roger Machado.

No apito, Bruno Arleu de Araujo (RJ), caseiro. As divididas sempre para os donos da casa.

**

   O Bahia volta a campo no domingo, pelo Brasileirão /Série A. Enfrenta o Fluminense do Rio, na Fonte Nova.

   O jogo de volta, decisivo, pela Copa do Brasil, contra o São Paulo, acontece na quarta-feira à noite, na Fonte.