ter?a-feira, 10 de dezembro de 2019
Turismo

Trade quer incentivar romaria a Santa Irmã Dulce dos Pobres em SSA

Conselho Baiano de Turismo reuniu representantes do setor para discutir uma data em homenagem à primeira santa nascida no Brasil
Sara Barnuevo , Salvador | 23/05/2019 às 18:51
Reuniao do Conselho Baiano de Turismo
Foto: divulgação
O turismo religioso é um dos segmentos mais promissores. Estima-se que entre festas e romarias, ele movimente no país cerca de R$ 15 bilhões. Um levantamento realizado pelo Sebrae constata que o Brasil possui 350 santuários e mais de 11,3 mil paróquias (372 templos católicos só em Salvador). São 150 destinos de peregrinação, que movimentam 7,7 milhões de viagens, excetuando-se Aparecida, considerado o principal no país. Com base nesses dados bastante animadores, o Conselho Baiano de Turismo (CBTur) reuniu nesta quarta-feira (22), no Fera Palace Hotel, representantes do trade baiano para discutir a adoção de uma data ou período anual para comemorar e cultuar a "santificação" de Irmã Dulce, a Santa Dulce dos Pobres.
“Com este encontro pretendemos iniciar um diálogo com a Igreja Católica, o município e as Obras Sociais Irmã Dulce para formatar um produto direcionado ao público religioso, nos mesmos moldes do que já existe em outras cidades”, frisa o presidente da CBTur e da Salvador Destination, Roberto Duran. Segundo o dirigente, a programação, de uma semana do mês de maio, seria encerrada com uma romaria desde a Igreja de Santo Antônio Além do Carmo até o a Basílica do Senhor do Bonfim, passando pelo santuário de Irmã Dulce, no Largo de Roma, como parte do Projeto “Caminho da Fé”.
De acordo com o titular da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult), Claudio Tinoco, a prefeitura de Salvador tem investido fortemente em projetos que valorizam o turismo religioso. Depois de recuperar a Colina Sagrada, onde está localizada a Igreja do Bonfim, o município está direcionando R$ 18 milhões na requalificação da Avenida Dendezeiros, que liga a Colina Sagrada às Obras Sociais Irmã Dulce, no Largo de Roma. “São obras fundamentais para valorizar o turismo religioso”, assinala Tinoco, lembrando outras intervenções que vêm sendo realizadas na cidade, tendo como objetivo o visitante de fé. Um exemplo é a recuperação do Terreiro de Jesus, localizado frente à recém restaurada Catedral Basílica, ao Cruzeiro de São Francisco e porta de entrada ao Pelourinho.
Para o vereador e líder do PPS Joceval Rodrigues, que participou da reunião, a canonização de Irmã Dulce, divulgada pelo Vaticano no último dia 14 de maio, vai permitir um incremento não apenas no número de turistas na cidade, como ampliar a visibilidade das obras sociais de Irmã Dulce. “O turismo religioso não é apenas fé. É geração de renda e negócios”, frisa Rodrigues, destacando que além de ser perene, o turista religioso é mais fiel.