sexta-feira, 22 de junho de 2018
Turismo

Dicas de passeios e hospedagem para quem quer conhecer Berlim

Por sua localização, o bairro de Mitte, na região central da cidade, continua sendo uma boa pedida de hospedagem.
Nara Franco , Rio de Janeiro | 11/06/2018 às 17:30
Berlim encantadora
Foto:
A cidade de Berlim, capital da Alemanha, é uma das cidades mais vibrantes da atualidade. Com 3,5 milhões de habitantes, a cidade foi capital da Prússia, do Império Alemão e do Terceiro Reich antes de ser dividida após a Segunda Guerra e isolada parcialmente do resto do mundo pela construção do Muro de Berlim, em 1961. Com a queda do Muro e posterior reunificação do país, em 1990, a cidade se tornou, mais uma vez, a capital de uma só Alemanha.

E foi para a parte oriental que a cidade se desenvolveu. O bairro de Mitte – que abriga atrações como o Portão de Brandemburgo, o Memorial do Holocausto e a Ilha dos Museus  – voltou a ser o centro da capital alemã, enquanto áreas tradicionalmente proletárias, como Neukölln e Kreuzberg, tornaram-se paraíso de artistas e hipsters.

A capital alemã tem mais de 200 museus. Sem falar das baladas e dos restaurantes cada vez mais diversificados. No outono, a cidade composta em boa parte por parques e jardins mostra uma extravagância de cores no Tiergarten, por exemplo, o maior e mais antigo oásis verde berlinense e um lugar perfeito para caminhar ou andar de bicicleta.

Mas é na primavera e no verão que Berlim revela todo o seu esplendor e faz jus à fama de cidade das águas, com seus lagos e praias fluviais. De meados de maio a fim de agosto, quando as temperaturas ultrapassam os 20°C, o clima é ideal para quem quiser ir aos biergartens e bares ao longo do rio Spree, para passear de barco ou fazer piquenique num dos muitos parques da cidade.

Por sua localização, o bairro de Mitte, na região central da cidade, continua sendo uma boa pedida de hospedagem. Ali se encontra a maioria dos pontos turísticos de Berlim, como a Ilha dos Museus e o prédio do Reichstag, e a região é muito bem servida de ônibus, metrô e bonde, como também de restaurantes e lojas. A desvantagem está no preço: por ser mais turística, a área também é mais cara.

A Berlim criativa se encontra hoje nos bairros de Kreuzberg e Neukölln, principalmente na região conhecida como Kreuzberg 36 (entre as estações de metrô Kottbusser Tor e Schlesisches Tor) e na área chamada de "Kreuzkölln" ou Reuterkiez (em torno da praça Reuterplatz). É uma parte da cidade não tão bem servida por hotéis, mas o local ideal para passear ao longo dos canais ou simplesmente curtir o dia e a noite nos bares, clubes e restaurantes mais descolados da capital alemã.

Outras possibilidades de hospedagem podem ser encontradas nos bairros de Friedrichshain e Charlottenburg/Wilmersdorf. Mais calmo que Kreuzberg ou Neukölln, Friedrichshain também não possui grande densidade de hotéis, mas oferece uma cena gastronômica e noturna bastante diversificada.

Para os nostálgicos, a região de Charlottenburg/Wilmersdorf é perfeita para reviver o charme da antiga Berlim Ocidental. Ali se encontra a Kurfürstendamm, a principal avenida de compras da cidade, com a célebre loja de departamentos KaDeWe, assim como o Zoologischer Garten (Jardim Zoológico).