ter?a-feira, 18 de dezembro de 2018
Tecnologia

FEIRA: Coleta de lixo eletrônico realizada na escola Maria Antônia

Durante duas semanas, a comunidade do bairro teve a oportunidade de descartar adequadamente itens como TVs de tubo, notebooks, aparelhos celulares, entre outros
Da Redação ,  Salvador | 08/08/2018 às 09:35
Informações sobre lixo eletrônico
Foto: PMFS

Como forma de despertar nos alunos a consciência ambiental, um ponto de coleta de lixo eletrônico foi montado na Escola Municipal Maria Antônia da Costa, do bairro Santa Mônica. A iniciativa fez parte das atividades da 8ª edição do Congresso do Meio Ambiente, realizado na última semana (31 de julho). O resultado da coleta será recolhido pela ECOBA, empresa especializada na valorização dos resíduos de componentes eletrônicos.

Durante duas semanas, a comunidade do bairro teve a oportunidade de descartar adequadamente itens como TVs de tubo, notebooks, aparelhos celulares, entre outros. Os alunos da unidade de ensino realizaram campanhas de divulgação no bairro para conscientizar os moradores e indicar a melhor forma de descarte do lixo eletrônico. A ação foi encerrada na última sexta-feira, 3.

Perigo do lixo eletrônico

“Os estudantes assistiram a uma palestra sobre logística reversa para compreender melhor os perigos dos materiais eletrônicos inservíveis que geralmente são jogados no lixo comum; também foram às ruas do entorno para divulgação da escola como ponto de coleta; realizaram entrevistas para ver o quanto a pessoas sabem do tema e transformamos os resultados em gráficos”, relata a vice-diretora da escola, Ilnara Brandão.

O congresso contou com a participação de alunos do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental e a presença da comunidade do bairro, pais e familiares.  Neste ano, o tema foi “Iniciação científica: energizando a natureza”.

Congresso com parcerias importantes

Além das apresentações de produções internas desenvolvidas pelos alunos, o congresso contou também com a parceria da Embasa, que promoveu oficinas para os estudantes; a empresa ECOBA, que viabilizou um projeto de logística reversa – que promove soluções ambientais - na escola; de estudantes de física da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), que sua vez desenvolveram uma mostra de experiências com energia; e finalmente do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), que ofereceu orientações para a comunidade.

Conscientização dentro e fora da sala

“Considero um importante avanço para o despertar do sujeito ecológico”, acredita a assistente social Roseane Santos, responsável pela execução do projeto social das obras de ampliação do sistema de abastecimento de água de Feira de Santana, da Embasa.

O projeto aborda, desde a primeira edição, diversos temas ligados à sustentabilidade, visando colaborar com a conscientização dentro e fora do ambiente escolar. “Acompanho a evolução e mudanças do congresso. Este ano, o diferencial foi a participação dos nossos parceiros. As contribuições trouxeram mais brilho ao evento”, defende a coordenadora pedagógica, Tamara Rabelo.