domingo, 18 de fevereiro de 2018
Tecnologia

Cláudia Leitte recebe homenagem por promover sustentabilidade no Momo


A entrega ocorreu antes da saída do seu trio pipoca para mais um dia de desfile nas ruas do Centro.
Da Redação , Salvador | 11/02/2018 às 19:48
Claudia Leite
Foto: Paulo Lima
    

Madrinha desta edição da campanha "Eu Promovo o Carnaval Sustentável" - realizada pela Prefeitura, através da Secretaria de Cidade Sustentável e Inovação (Secis) -, Cláudia Leitte recebeu, neste domingo (11), no circuito Osmar (Campo Grande), uma placa de agradecimento por apoiar a campanha. Em 2017, o bloco Largadinho, de Cláudia, também recebeu o troféu da campanha, honraria concedida para os blocos e camarotes que mais de adequam às práticas sustentáveis.

Questionada sobre a importância da campanha, que já teve como padrinhos em edições anteriores os artistas Margareth Menezes, Durval Lelys, Saulo e Levi Lima (Jammil), a artista afirmou que o Carnaval vai além da curtição e que é preciso pensar em outros aspectos do evento. "Nós somos uma festa de alegria, mas somos feitos de cidadania. Por ser um espaço de todos, o respeito é imprescindível, principalmente onde tanta gente se aglomera e se une. Acima de tudo, precisamos de amor para fazer a festa", afirmou. 

A entrega ocorreu antes da saída do seu trio pipoca para mais um dia de desfile nas ruas do Centro. A campanha ocorre desde 2014 e tem como intuito incentivar ações de sustentabilidade e preservação do meio ambiente em plena festa. São avaliados, durante todo o Carnaval os blocos, camarotes e trios que adotam práticas sustentáveis. Aqueles identificados com maior número dessas práticas receberão troféus, em evento ainda a ser agendado pela pasta. A ideia é que a premiação estimule os demais a investirem nessas ações.  

Este ano, novos critérios para a efetivação da participação das entidades na campanha foram estabelecidos. Falta de acessibilidade, condições inadequadas de higiene e segurança no espaço destinado à coleta seletiva, mau atendimento aos catadores e ausência de regras claras para coibir o trabalho infantil são considerados critérios eliminatórios da campanha. Mais de 100 instituições já participaram da campanha desde 2014. Nesse período, cerca de 300 ações ligadas ao tema da susten