segunda-feira, 26 de junho de 2017
Tecnologia

'GATO' de água em plena Avenida Sete. Dono prédio responderá p/ crime

Prédio deveria ser fechado e o dono preso
Da Redação , Salvador | 19/03/2017 às 11:24
Gato na Avenida Sete, centro de Salvador
Foto: Mateus Pereira
A Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) deu continuidade, nesta sexta-feira (17), ao conjunto de ações para intensificar o combate ao furto de água em Salvador e Região Metropolitana (RMS). Desta vez a ação foi realizada na Avenida Sete de Setembro, em Salvador, onde um prédio comercial com ligações clandestinas foi identificado. Na operação, as provas da fraude foram recolhidas e o dono do estabelecimento irá responder judicialmente pelo crime de furto qualificado.

Além de ilegal, o furto de água prejudicar a distribuição na cidade, como explica Paulo Jenner. Gerente da unidade do bairro da Federação. “Quem usa água de forma fraudulenta não se preocupa em fazer um uso racional, gerando um grande desperdício e falta de água na região e prejudicando quem faz o pagamento em dia. Estamos vivendo um momento complicado, com a falta de chuvas no nordeste, por isso a Embasa está desenvolvendo uma ação muito forte para combater as fraudes”. 

A empresa está executando um mapeamento para identificar casos de fraude com 50 equipes, já tendo identificado mais de 200 estabelecimentos em Salvador com a utilização dos chamados “gatos”. Três lava-jatos e um prédio comercial com ligações clandestinas já haviam sido identificados em uma operação realizada na quarta-feira (15), no bairro de São Rafael. Denúncias podem ser feitas pelo telefone 0800 555 195, presencialmente nos pontos de atendimento e pelo site da Embasa.

A ação conta com apoio das forças de segurança, que garantem que tudo ocorra dentro dos tramites legais. O Departamento de Polícia Técnica constata o crime e identifica as provas materiais. A Polícia Militar garante a segurança da operação e, nos casos de fraude, apreende os materiais utilizados e conduz os envolvidos para a delegacia de Policia Civil mais próxima, responsável por dar continuidade aos procedimentos.