quarta-feira, 11 de dezembro de 2019
Colunistas / Miudinhas
Tasso Franco

Políticos, empresários e militares cogitaram tirar Bolsonaro, diz VEJA

O presidente, na época, chegou a declarar que não seria uma rainha da Inglaterra que está no poder, mas não manda em nada
11/08/2019 às 09:38
MIUDINHAS GLOBAIS:

   1. "Reportagem deste fim de semana da revista Veja afirma que grupos de políticos, empresários e militares cogitaram afastar o presidente Jair Bolsonaro do poder. Segundo a revista, o Brasil esteve à beira de uma crise institucional entre abril e maio. O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, atuou para evitá-la, juntamente com outras autoridades.

   2. De acordo com a reportagem, chegou-se a pensar na possibilidade de um impeachment de Bolsonaro, seguido de novas eleições. Mas a avaliação teria sido de que não havia brecha jurídica para isso.

   3. Também foi cogitada a instituição do parlamentarismo no Brasil – o que faria do presidente uma figura decorativa, já que o país seria comandado por um primeiro-ministro escolhido pelo Congresso.

   4. Um grupo de militares teria consultado Toffoli sobre a possibilidade legal de intervir no país, sem a permissão de Bolsonaro (comandante-chefe das Forças Armadas), caso houvesse uma convulsão social. O presidente do STF teria dito que isso afrontaria a Constituição.

   5. Na época, veja esta dceclaração. Bolsonaro questionou Congresso: "Querem me deixar como a rainha da Inglaterra?"

   6. A crise teria sido gestada por vários fatores. Do lado dos empresários, a insatisfação com a demora na aprovação das reformas, especialmente a da Previdência, necessárias para a retomada do crescimento econômico.

   7. Os políticos estariam insatisfeitos com as acusações de integrantes do Congresso de que eles queriam a volta da "velha política" do “toma lá, dá cá” – ou seja, da liberação de verbas e cargos para votar projetos de interesse do Planalto.

   8. Militares de alta patente, por sua vez, estariam questionando a capacidade de Bolsonaro comandar o país. E uma ala mais radical, formada principalmente por oficiais de baixa patente, falava em uma “sublevação” contra instituições corruptas.

   9. O dia em que a “convulsão” poderia ter ocorrido era 10 de abril – data em que o STF ia julgar a constitucionalidade das prisões em segunda instância, decisão que poderia resultar na libertação do ex-presidente Lula.

   10. Segundo a reportagem, Toffoli teria atuado como um moderador da crise. Mais de 30 reuniões foram realizadas entre altas autoridades para contornar a situação – das quais teriam participado o próprio presidente do STF, Bolsonaro, comandantes militares, e os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

   11. Nessas reuniões, foi firmado um pacto. Oficialmente, o objetivo era a retomada do crescimento. Mas havia outros acertos.

   12. A revista destaca que vem muito mais coisa pela frente neste segundo semestre, sobretudo a possibilidade do STF determina que Lula seja solto.
                                                                     *****
   13. O perfil oficial de Jair Bolsonaro no Facebook compartilhou um post chamando o procurador Deltan Dallagnol, chefe da força-tarefa da Lava Jato, de "esquerdista estilo PSOL". A resposta foi a comentários feitos na página de Bolsonaro solicitando a indicação de Dallagnol ao cargo de procurador-geral da República.

   14. O link compartilhado pelo perfil do presidente redireciona para post da página "Bolsonaro Opressor 2.0". A mensagem é voltada "pra quem pede o Deltan Dallagnol na PGR". "O cara é esquerdista estilo PSOL", afirma a publicação.

   15. O post é acompanhado de declarações do procurador contra a ditadura militar, críticas ao decreto do Planalto que ampliava sigilo de dados e atos do governo e elogios a reportagens sobre as investigações contra o ministro Marcelo Álvaro Antônio (Turismo) e de Fabrício Queiroz, ex-assessor do hoje senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) na Assembleia Legislativa do Rio.

   16. O Indicador de Confiança do Empresariado Baiano (ICEB), índice que avalia as expectativas do setor produtivo do estado, calculado pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), apresentou, em julho, um quadro de maior confiança comparativamente ao observado no mês anterior.

   17. A confiança avançou após ter se deteriorado duas vezes seguidas. Numa escala que pode variar de -1.000 a 1.000 pontos, o ICEB marcou -64 pontos, melhora de 30 pontos em relação ao registrado em junho (-94 pontos).

   18. Mesmo com a alta mais recente, as expectativas continuaram a apontar pessimismo no meio empresarial baiano. O ICEB, na verdade, ficou abaixo de zero pela terceira vez seguida. A expectativa geral do empresariado local, portanto, permaneceu na zona de Pessimismo Moderado.

  19. A melhora observada no nível de confiança evidenciou o progresso nos indicadores de duas das quatro atividades: Agropecuária, com avanço de 45 pontos; e Serviços, com alta de 70 pontos. Nos setores de Indústria e de Comércio, por outro lado, ocorreram quedas de seis e 93 pontos, respectivamente.

   20. Ao fim, em julho, a Agropecuária assinalou 182 pontos; a Indústria, -67 pontos; os Serviços, -94 pontos; e o Comércio, -100 pontos. O otimismo, portanto, somente prevaleceu na Agropecuária, setor de maior pontuação pela sétima vez consecutiva. Em compensação, a atividade de Comércio exibiu o menor nível de confiança entre os setores.

  21. A Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop) prorrogou o prazo de recadastramento dos ambulantes por mais 30 dias.  Com isso, a nova data limite para a realização do procedimento se passa a ser 9 de setembro. 

  22. O recadastramento é fácil e rápido, e pode ser feito pelo site da Semop, no endereço www. ordempublica.salvador. gov.br, ou na própria sede da pasta, localizada na BR-324, na altura do KM 618, ou em uma das dez Prefeituras-Bairros da cidade.

   23. As unidades administrativas funcionam de segunda a sexta, exceto feriados, das 8h às 17h, e são: Centro, Subúrbio-Ilhas, Cajazeiras, Itapuã, Cidade Baixa, Barra-Pituba, Cabula-Tancredo Neves, Pau da Lima, São Caetano-Liberdade e Valéria. Quem fizer a atualização cadastral presencialmente deve levar RG, CPF, comprovante de residência e de isenção (caso haja o benefício), além de uma foto 3x4.
 
   24. Diversão, brincadeiras e muita imaginação estão entre as atrações garantidas pela Feira Literária de Mucugê (Fligê), que desde a sua primeira edição reserva um espaço especial para as crianças: a Fligêzinha. Com direção artística da CazAzul Teatro Escola, a programação proporciona aos pequenos leitores encontro com escritores, apresentações teatrais, contações de histórias e, principalmente, o contato com o livro e com a escrita poética.

   25. Como a quarta edição da Fligê homenageia o poeta Castro Alves, ele também se apresenta às crianças, com a montagem teatral baseada no livro “Cecéu, o poeta do céu”, de Adelice Souza. Logo após o espetáculo, a autora irá bater um papo com a criançada sobre a história e suas inspirações literárias.

   26. As escritoras Rita Queiroz, Palmira Heine e Alexandra Patrocínio participarão de bate-papos e de outros espetáculos teatrais, como “O Barão nas Árvores”, do Coletivo DUO, serão apresentados. Brincadeiras com o grupo da CazAzul e contações de histórias também mexem com a imaginação dos pequenos.

   27.  O governo baiano está credenciando empresas interessadas em prestar serviços ao Estado como avaliadores de bens imóveis. O edital de credenciamento marca a inauguração de um novo modelo de seleção pública proposto pela Secretaria de Administração do Estado (Saeb) que deverá proporcionar aos cofres públicos economia de 40% na execução dos serviços de avaliação contratados anualmente pelo Estado para viabilizar o seguro, locação, permuta e aquisição de imóveis, entre outros processos.

   28.  “O modelo vai dar novo estímulo aos processos de avaliação e reavaliação de imóveis no Estado, com ganhos em economicidade e agilidade”, ressalta a diretora de Administração de Bens Imóveis da Superintendência de Patrimônio da Saeb, Laura Protásio.