quinta-feira, 27 de junho de 2019
Saúde

1ª Jornada de Endoscopia de Coluna da Bahia apresenta alta tecnologia

O objetivo do evento é colocar à disposição dos profissionais baianos a técnica moderna
Golden Comunicação , Salvador | 07/06/2019 às 16:39
Acontece neste sábado (08), das 08 às 18 horas, no Hotel Intercity Aeroporto, 1ª Jornada de Endoscopia de Coluna da Bahia. O objetivo do evento é colocar à disposição dos profissionais baianos a técnica moderna realizada em países como China, Estados Unidos e Alemanha, além de algumas clínicas particulares em grandes centros brasileiros, que em vez de bisturis e pinças, utiliza alta tecnologia com câmeras e instrumentos de proporção reduzida, garantindo uma rápida recuperação do paciente e diminuindo os riscos de sequelas.
“Por esse método, após anestesia local e sedação é feita uma pequena incisão. Por ela é inserida uma cânula pela qual passará um dispositivo com uma pequena câmera acoplada. Dessa maneira, conseguimos retirar a hérnia e na maioria dos casos o paciente recebe alta no mesmo dia. Além disso, em 15, 20 dias normalmente ele pode retornar às suas atividades“, explicou o diretor técnico do Bahia Spine Group, o ortopedista e traumatologista com especialização em Endoscopia da Coluna pela USP, Alexandre Machado Andrade.
Os interessados podem fazer a inscrição através do site https://www.sympla.com.br/i-jornada-de-endoscopia-de-coluna-da-bahia__525200 . O investimento é de 150 reais. Durante o seminário, os participantes assistirão a duas cirurgias ao vivo. 
Todos os anos, cerca de 300 mil brasileiros são operados para tratar algum problema na coluna, de acordo com o Ministério da Saúde. O procedimento convencional, além de ser altamente invasivo e com a necessidade de anestesia geral, demanda um tempo médio de recuperação de dois meses. 
Durante o acesso cirúrgico tradicional estruturas importantes para a função normal da coluna são parcialmente ou completamente danificadas, em especial a musculatura e alguns ligamentos, causando dor e disfunção em alguns casos. Já na modalidade menos invasivas, com retratores especiais e uso de microscópio, é possível diminuir significativamente a agressão aos tecidos, diminuindo a dor pós-operatória e abreviando o tempo de recuperação.
A técnica é normalmente utilizada nas cirurgias de hérnia de disco na região lombar, podendo ser utilizada em descompressões medulares, em todas as regiões da coluna.