quinta-feira, 13 de dezembro de 2018
Saúde

FEIRA: Troca experiências famílias e crianças portadoras microcefalia

Com informações da Secom Feira
Da Redação , Salvador | 06/12/2018 às 09:06
Geovana e a mamãe
Foto: Secom FSA

Para promover troca de experiências entre famílias com crianças portadoras da Síndrome Congênita do Zika Vírus (microcefalia), a  Prefeitura de Feira de Santana, através da Secretaria Municipal de Saúde, promoveu nesta terça-feira, 4, o Natal Aconchego. A programação proporcionou uma tarde diferenciada, com roda de conversa, brindes e distribuição de cestas básicas.

Durante abertura do evento, a Secretária de Saúde, Denise Mascarenhas, ressaltou que a gestão municipal tem se empenhando para proporcionar o melhor em assistência. “Temos essa preocupação em conscientizar nossas equipes para, além das atividades de saúde e competências profissionais, buscar entender vocês como família, saber ouvir, acolher, até porque a escuta é algo primordial em qualquer acompanhamento de saúde”, afirma.

Geovana, de três anos, é acompanhada desde quando nasceu

Atualmente, 24 crianças são acompanhadas pelo município. Estas recebem assistência através dos setores da Vigilância Epidemiológica, Atenção Básica e TFD (Transporte Fora Domicilio). Geovana Vitória, 3 anos, é uma dessas crianças. “Ela é acompanhada desde quando nasceu. Para gente aqui é excelente, pois recebemos todo apoio. O transporte é disponibilizado para nos deslocarmos uma vez por semana aos atendimentos em Salvador, como também em algumas atividades como essa. A equipe está sempre acompanhando e dando suporte”, relata.

Reconhecido em congressos realizados nas cidades de Salvador (BA) e Brasília (DF), local onde também foi premiado durante o 33º Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde, o Projeto Aconchego iniciou com o surgimento das primeiras crianças diagnosticadas com microcefalia. Por meio deste trabalho, as famílias encontram apoio para troca de experiências, atendimentos de saúde e assistência.

Equipe multidisciplinar é disponibilizada

“Disponibilizamos uma equipe multidisciplinar que atende essas crianças em parceria com a Atenção Básica, e também um Ambulatório, na Rua Barão do Rio Branco, onde é prestada toda assistência com infectologista”, informa a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Francisca Lúcia de Oliveira.