segunda-feira, 11 de dezembro de 2017
Saúde

PMS inaugura primeiro Centro Dia da Bahia às crianças com microcefalia

Com capacidade para receber 60 crianças por dia, equipamento traz esperança a mães que lidam diariamente com a Síndrome Congênita do Vírus Zika
Da Redação / Secom PMS , Salvador | 04/12/2017 às 16:39
Prefeito ACM neto e ministro Osmar Terra
Foto: Jefferson Peixoto


A esperança por dias melhores foi um sentimento comum entre as mães de crianças com microcefalia que estiveram presentes, nesta segunda-feira (04), na cerimônia de inauguração do primeiro Centro Dia da Bahia, no Edifício Cosmopolitan Mix, situado no parque Bela Vista. No local, estas mães poderão contar com a assistência diária para os seus filhos. Articulado com instituições de reabilitação física e de educação, o Centro Dia de Salvador dispõe de infraestrutura planejada e de uma equipe profissional multidisciplinar especializada para atender a 60 crianças por dia e a até 150 usuários por mês. Incluem-se no equipamento salas de descanso, de reunião, de desenvolvimento pedagógico, além de espaços lúdicos, recepção, refeitório e banheiros adaptados.

O equipamento foi oficialmente aberto pelo prefeito ACM Neto, pelo ministro de Desenvolvimento Social, Osmar Terra, e pela titular da Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps), Tia Eron. A inauguração ainda contou com a presença do vice-prefeito, Bruno Reis, das secretárias municipais de Políticas para Mulher, Infância e Juventude (SPMJ), Taíssa Gama, e da Reparação (Semur), Ivete Sacramento, e de demais lideranças comunitárias e parceiros. 

Durante a inauguração, o prefeito ACM Neto reafirmou o compromisso com as famílias que tiveram de lidar com a síndrome congênita ocasionadas pelo Zika Vírus. “Esse é um compromisso que nós temos com essas famílias, sobretudo, com as mães. Não há como deixar de ter um olhar muito especial para as crianças com microcefalia. Este é o primeiro Centro Dia da Bahia e o objetivo é dar toda a assistência às crianças e às famílias que foram vítimas do Zika Vírus. A partir de agora, elas terão todo o apoio para garantir que essas crianças possam ter uma boa qualidade de vida”, afirmou.

O prefeito ressaltou que a administração municipal está somando esforços para garantir que as crianças com a Síndrome Congênita do Vírus Zika já possam ser inseridas no ambiente escolar no próximo ano letivo. “A ideia é fazer um trabalho integrado com assistência social, educação e saúde de maneira que, tanto as crianças como as suas famílias possam ter esse apoio por parte do poder público”, disse.

O ministro Osmar Terra parabenizou o prefeito pelo investimento realizado na área social. “Poucas prefeituras investem tanto no social quanto esta. Num país desigual como o Brasil, onde há muita gente pobre, o trabalho social cumpre um papel fundamental para melhorar a qualidade de vida. O prefeito ACM Neto entendeu bem essa necessidade e aplica aqui este investimento, que tem como resultado o início do funcionamento desse Centro Dia, que nasce com o objetivo de apoiar as crianças, mas também as mães, que abdicam de tudo para dar atenção integral aos filhos”.

Segundo o ministro, há no Brasil mais de 3 mil crianças afetadas pela Síndrome Congênita do Vírus Zika. Em Salvador, até agosto desse ano, 251 casos foram confirmados pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Diante do cenário, a titular da Semps, Tia Eron, diz esperar que o equipamento funcione como um ponto de apoio para as famílias e, principalmente, para as mães. “Esse é o o primeiro em Salvador e, pelo visto, vai atender a todo o estado. O Centro Dia vai dar condição para essas mães inseguras, com medo, preocupadas com um futuro incerto de seus filhos. O equipamento vai ser esse amparo para ajudar a dar uma qualidade de vida melhor às crianças”, salientou.

Acolhimento – Flávia Checcucci, de 28 anos, é uma das mulheres que viram a vida se transformar após a epidemia do Zika Vírus. Mãe da pequena Danyelle, que completa dois anos esse mês, ela só descobriu que a filha tinha a Síndrome Congênita do Vírus Zika após o nascimento. Hoje ela se dedica integralmente aos cuidados direcionados à filha. A rotina inclui a compra e administração de medicamentos mensais, condução a hospitais, clínicas e centro de reabilitação, além dos cuidados diários.

“Eu mudei toda a minha vida. Dedico atenção integral para ela. É difícil encontrar alguém que queira olhar por algumas horas porque as pessoas têm medo de não saber lidar com as necessidades especiais da criança. Espero que esse centro seja um ponto de apoio, até para que possamos cuidar um pouco de nós mesmas”, disse.

A presidente da Associação de Pais de Anjo, Íngrid Graciliano, ficou feliz com a entrega do espaço. “Nós estamos muito agradecidas, pois realmente precisávamos de um centro que proporcionasse atividades lúdicas para as nossas crianças, que trouxesse, na verdade, acolhimento. Essa é a palavra”.

Funcionamento – Dedicado, prioritariamente, às crianças com microcefalia e deficiências associadas, com idade entre 0 e 6 anos, o equipamento será dotado de equipe multidisciplinar composta por coordenador, assistente social, psicólogo, terapeuta ocupacional, cuidadores e auxiliares, que dedicarão atenção exclusiva às crianças e seus familiares.

O Centro Dia surge a partir de um esforço conjunto do Governo Federal, que vai investir R$ 40 mil mensais, e da Prefeitura de Salvador, que contribuirá com um aporte de R$ 300 mil mensais. O funcionamento será de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h. Para contar com o benefício, as famílias precisam estar inseridas no Cadastro Único do Governo Federal e serem beneficiárias do Benefício por Prestação Continuada da Lei Orgânica de Assistência Social (BPC/LOAS).