terça-feira, 17 de outubro de 2017
Saúde

Salvador vai sediar II Simpósio de Medicina Interna no próximo dia 21

Evento vai debater questões relacionadas aos cuidados com pacientes internados em estado crítico

Da Redação , Salvador | 11/10/2017 às 11:32
Guilhardo Pontes
Foto:


A Síndrome da Angústia Respiratória Aguda (SARA), importância dos exames de imagem nas emergências médicas, DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica) grave, diagnóstico e tratamento do tromboembolismo pulmonar e importância da broncoscopia (exame óptico dos brônquios) nas emergências respiratórias são alguns dos temas que serão abordados no II Simpósio de Medicina Interna, no próximo dia 21 de outubro, das 8 às 17 horas, na ABM (Rua Baependi, 162, Ondina). 

O evento, promovido pela Associação Bahiana de Medicina (ABM) em parceria com a Sociedade de Terapia Intensiva da Bahia (SOTIBA), é dirigido a médicos e estudantes de medicina e coordenado pelo pneumologista Guilhardo Fontes Ribeiro, Diretor Acadêmico da ABM e coordenador da Associação Bahiana dos Portadores de DPOC. O Simpósio conta com o apoio institucional do Hospital Santa Izabel. Informações podem ser obtidas pelos telefone (71) 3025-9701 ou (71) 2107-9682. As inscrições custam o valor simbólico de R$ 20,00 e podem ser realizadas através do site http://www.abmeventos.org.br/

 “Ao chegar numa unidade de emergência em estado crítico, o paciente deve receber os cuidados de forma integral. O diagnóstico correto e as condutas terapêuticas adequadas fazem toda diferença na abordagem do paciente e podem salvar vidas”, explica o médico Guilhardo Fontes.

O foco do Simpósio é promover e ampliar conhecimentos sobre as condutas médicas para o atendimento nas unidades de Urgências e Emergências e dos pacientes internados. “A  prevenção continua sendo o mais efetivo método de tratamento. O diagnóstico precoce e preciso, aliado a uma indicação terapêutica adequada baseada nas melhores evidências clinicas e no bom senso, pode contribuir muito para redução do índice de mortalidade e sofrimento da nossa população”, ressalta o médico.