ter?a-feira, 21 de novembro de 2017
Política

TÚNEL PARA ITAPARICA: Deputados dizem que Oposição tem dor de cotovelo

A polêmica em torno da Ponte Salvador Itaparica que pode ser um túnel
Tasso Franco , da redação em Salvador | 12/09/2017 às 19:28
Deputada Luiza Maia (PT)
Foto: Michel Dória
A deputada Luiza Maia afirmou nesta terça-feira (12), que a oposição ao governador Rui Costa tem virado o time da “picuinha e mesquinhez” na política baiana. A parlamentar criticou os ataques que o governador Rui Costa vem sofrendo por uma citação que fez em relação à possibilidade de o projeto da ponte Salvador-Itaparica ser trocada por um túnel.

“A turma do prefeito de Geddel, em Salvador, está esperneando porque Rui prova a cada dia ter mais competência que o demista. Aí inventam picuinha e mesquinharia política contra nosso governador. Se ele citou a possibilidade de túnel em vez da ponte Salvador-Itaparica, é porque os chineses, referência neste tipo de obra, sinalizaram a viabilidade”, afirmou a parlamentar. 

A deputada declarou ainda que o projeto da ponte Salvador-Itaparica está bem avançado, com estudos ambientais feitos e viabilidade financeira assegurada. “A turma de Neto está com dor de cotovelo pela competência e popularidade de Rui e tenta semear disse-me-disse”, disparou.  

ALEX LIMA

O deputado estadual Alex Lima (Podemos) rebateu as críticas da oposição sobre a obra do túnel Salvador/Itaparica. De acordo com o parlamentar, enquanto a oposição tenta desmerecer o trabalho do Executivo, o governador Rui Costa tem apresentado grandes obras na capital e interior. “Eles (oposição) não conseguiram destravar as principais obras da Bahia e tentam descreditar o trabalho do governador. Estão desdenhando do projeto de construção da ponte, da mesma forma que fizeram com o metrô. A resposta sobre isso o Governo do Estado devolve em trabalho”, disse o deputado.

Alex Lima ainda aproveitou para criticar a oposição em relação às articulações para barrar a liberação do empréstimo do Banco do Brasil para a Bahia. “O que a oposição deveria fazer era parar de perseguir a Bahia e liberar o empréstimo do Banco do Brasil. Não precisamos articular contra o nosso povo para levar vantagem nas eleições, precisamos apenas trabalhar e contribuir com o desenvolvimento dos baianos. Isso eles ainda não aprenderam”, alfinetou.