terça-feira, 23 de maio de 2017
Política

415 POLITICOS de 26 partidos citados nas delações da Odebrecht

Há citações de delatores da Odebrecht de pessoas que receberam propina e não corresponderam com a contrapartida
Tasso Franco , da redação em Salvador | 16/04/2017 às 17:33
Senadora Kátia Abreu não teria dado contrapartida
Foto:
   MIUDINHAS GLOBAIS:

   1. Segundo levantamento feito pelo Estadão, o Partido dos Trabalhadores lidera a lista de políticos delatados por executivos e ex-executivos da Odebrecht, com 93 dos 415 políticos citados nas delações. Ao todo, as denúncias envolvem 26 dos 35 partidos legalmente registrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Logo após aparecem PSDB e PMDB, com 77 citações cada. 

   2. Os três partidos concentram 59,5% dos políticos enredados nas delações da maior empreiteira do País. Estão envolvidas as principais lideranças desses partidos – como o próprio  presidente da República, Michel Temer, e cinco ex-presidentes (José Sarney, Fernando Collor, Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff).

   3. Aparecem, ainda, os senadores José Serra (PSDB-SP), Aécio Neves (PSDB-MG), o governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP), o ex-governador Eduardo Campos (PSB-PE), o pastor Everaldo (PSC-RJ), José Maria Eymael (PSDC-SP), o ex-governador Leonel Brizola (PDT-RJ) e o deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) – nos casos desses dois últimos, a acusação foi arquivada pelo STF.

   4. No PT, foram citados os ex-ministros como Jaques Wagner, Guido Mantega, Antonio Palocci, José Dirceu e Paulo Bernardo e governadores como Tião Viana (AC) e Fernando Pimentel (MG). No PMDB, foram delatados o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e senadores como Renan Calheiros (AL) e Romero Jucá (RR), o ex-governador Sérgio Cabral (RJ) e os governadores Luiz Fernando Pezão (RJ) e Paulo Hartung (ES).

   5. Entre os partidos médios, o mais citado é o PP, com 35 nomes. O DEM vem a seguir, com 22 denunciados. O PSB (19), o PSD (15), o PTB (11), o PR e o PC do B, com 10, o PPS (9), e o PDT (8) completam a lista.

 A INGRATIDÃO:

   6. As centenas de horas de depoimentos de delação premiada dos executivos e ex-executivos da Odebrecht mostram um lado pouco conhecido dos pagamentos feitos para políticos, seja via doação oficial ou caixa 2: o mau negócio. Dados do portal Globo.com

   7. Muitas vezes, os delatores se mostram frustrados com pagamentos que não deram o retorno desejado, revela a editora da GloboNews Camila Tonin.

   8. A senadora Kátia Abreu (PMDB-TO), por exemplo, foi citada pelo ex-diretor da Odebrecht Ambiental Mário Amaro da Silveira.

   9. Ele relatou um pedido de contribuição feito pelo marido de Kátia Abreu, Moisés Pinto Gomes, a pretexto de que a senadora era uma "parceira muito importante da Odebrecht".

   10. Ficou acertado, segundo o delator, um repasse de cerca de R$ 500 mil à senadora, por meio de caixa 2. O "problema", disse Mário Amaro da Silveira, é que a atuação parlamentar de Kátia Abreu não agradou. "A senadora foi eleita, mas não fez nada por nós no Tocantins também, não", reclamou.

   11. Após o Supremo Tribunal Federal autorizar a abertura de inquérito para investigar Kátia Abreu, a senadora divulgou nota na qual informou não ter elementos para rebater as acusações por desconhecer a decisão de Fachin, mas afirmou que, em toda a vida pública dela, nunca participou de corrupção e nunca aceitou participar de "qualquer movimento de grupos fora da lei. 

   12. O governo também não escapou às queixas de delatores. O ex-presidente da Odebrecht Marcelo Odebrecht contou que ficou muito incomodado com a eleição de 2014.

   13. Disse que a empreiteira estava doando e já tinha se comprometido com R$ 100 milhões, mas o governo não resolvia os problemas.

    14. "Eu fiz uma nota enorme, uma vez, com todos os pontos dos problemas que a gente tinha com o governo. Uma nota de quase cinco, seis, sete páginas. Essa é a maneira de tratar os parceiros? A gente faz isso e vocês deixam todas essas pendências?", desabafou.

                                                                           ******
   15. Os dez anos de operação da fabricante japonesa de pneus Bridgestone na Bahia serão comemorados nesta terça-feira (18), às 10h, na planta da fábrica, na rodovia BA-512, km 11,5, em Camaçari, com a participação do governador Rui Costa e do presidente da Bridgestone no Brasil, Fabio Fossen. Durante o evento, ocorrerá homenagem a funcionário com 10 anos de serviço e descerramento de placa comemorativa.

   16. Eles não são apenas personagens dos livros de História. Não são selvagens e não andam pelados. São brasileiros, mulheres e homens que lutam por reconhecimento e para manter viva a cultura e história dos seus povos. São brasileiros que precisam de políticas públicas que assegurem educação, saúde e inclusão social.

   17.  Esse é posicionamento que o Centro Educacional Luz do Saber (CELS), em Cajazeiras, está passando para seus mais de mil alunos, dentro da programação para lembrar o Dia do Índio. "É uma data para reflexão quanto a importância dos povos indígenas na formação do povo brasileiro e, na Bahia, de sua participação na luta pela independência da Bahia, que afirmou definitivamente a independência do Brasil", explica a professora de História e coordenadora pedagógica da instituição, Priscila Moabe.

   18. O deputado estadual Eduardo Salles, presidente da Comissão de Agricultura da Bahia, esteve em audiência, na manhã desta terça-feira (11),  com secretário de Segurança Pública, Maurício Barbosa, e representantes dos produtores do Oeste do estado para solicitar reforço na segurança da região. 

   19.  A medida é motivada em função da crescente tensão na região, após um juiz de Formosa do Rio Preto conceder liminar,  que determina a reintegração de posse de terras para uma pessoa física que alega ser dono de uma área de 340 mil hectares e que é cultivada por cerca de 300 famílias .

    20. "Estamos falando de uma área que há mais de 30 anos é cultivada por produtores que agora estão reféns de uma situação absurda, que é fruto da instabilidade jurídica em toda essa região. Os produtores estão reunidos e vão lutar por suas propriedades", explica o parlamentar.

   21. O grupo relatou ao secretário que no momento, há o risco de conflito iminente e seguranças fortemente armados estão na região, com a intenção de intimidar os agricultores e expulsá-los das propriedades, que ficam localizadas em áreas do Matopiba (região agrícola que abrange os estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia) .

    22. "Estamos na fase de colheita e esses supostos "seguranças" circulam  na região com escopetas e fuzis para amedrontar os trabalhadores", destacou o presidente da Aprochama  (Associação dos Produtores Rurais da Chapada das Mangueiras), Edson Fernando Zago.

    23. Investimentos públicos em mobilidade urbana vêm sendo anunciados, e alguns já executados, pelo Governo do Estado e pela Prefeitura Municipal de Salvador. Recentemente, a Prefeitura anunciou a abertura do edital para a construção do BRT (Bus Rapid Transit), que ligará a Estação da Lapa à Praça Newton Rique, na região do Iguatemi.

   24. Para tratar deste tema, a Comissão Especial de Desenvolvimento Urbano da ALBA (CEDUrb) da Assembleia Legislativa da Bahia, presidida pela deputada estadual Maria del Carmen (PT),  vai realizar, na próxima terça-feira(18), às 10h30, no Plenarinho da ALBa, a audiência pública “Mobilidade Urbana: o BRT de Salvador”.

   25. O secretário de Mobilidade Urbana de Salvador, Fábio Mota, será o expositor. A ideia é que ele apresente as principais características do projeto, a exemplo do trajeto e sua relação com a paisagem urbana, a quantidade e localização das estações, previsibilidade da integração modal e tarifária, recursos e investimentos, dentre outras informações técnicas. Já o debatedor será o arquiteto e urbanista Carl Von Hauenschild, membro do “Fórum A Cidade Também é Nossa”.

   26. “Por fazer parte da agenda desta Comissão trabalhar com os temas estratégicos relacionados ao desenvolvimento urbano no estado da Bahia, propomos esta audiência sobre o Projeto do BRT, possibilitando uma maior difusão das informações e debate acerca o tema, tanto para os parlamentares desta Casa, quanto para a sociedade civil”, justifica a deputada Maria del Carmen, que é engenheira Civil por formação.